quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

18/17 - JUSTIÇA - JUSTIÇA

FONTE:TORRES DE MELO <gtmelo@guararapesgrupo.com.br>


JUSTIÇA  -  JUSTIÇA 
POR AMOR  DE DEUS  
Estamos em crise política, econômica, social e a pior delas que é a CRISE MORAL. “
Os presídios explodem e a matança nos envergonha  perante o mundo civilizado, enquanto outros criminosos (ladrões) de milhões e milhões de dólares, presos, tomam café com a esposa, também presa, também  por roubo
de dinheiro grosso.
Art 5º da CF: “todos são iguais perante a lei”. Que igualdade é esta onde autoridades são pegas roubando os cofres públicos e ainda são chamadas de excelência  e o ladrão de galinha não tem direito nenhum? 
A JUSTIÇA cria a confiança, desenvolve o sentimento do cumprimento do dever.  A  INJUSTIÇA CRIA O ÓDIO. 
“Fazer a justiça esperar é uma injustiça”. (Jean de La Bruyère). “Justiça tardia nada mais é do que injustiça institucionalizada.” ― Rui Barbosa
Nossa JUSTIÇA dorme o sono dos irresponsáveis? Por que demora tanto?
Quem salvará o BRASIL? Os salvadores da Pátria são destruidores dela. A história está cheia de salvadores que nada mais foram do que criminosos da humanidade. 
Vejam os SALVADORES do Brasil! Desgraçaram o País.

Quem salvará o BRASIL? A SANTA JUSTIÇA. A JUSTIÇA é a guardiã das leis. 
Para defender as leis temos a figura do JUIZ. 
“o juiz é o direito feito homem. Só desse homem posso esperar, na vida prática, aquela tutela que em abstrato a lei me promete” 

“ESCRAVOS DA LEI” SALVEM O BRASIL
                                     GRUPO GUARARAPES                      
 17/jan/207
GEN TORRES DE MELO – COORDENADOR
Repasse – envie para os amigos - JUSTIÇA

18/17 - TV está lentamente matando você

FONTE:http://www.anovaordemmundial.com/2010/03/5-formas-em-que-sua-tv-esta-lentamente.html


5 Formas em que sua TV está lentamente matando você

segunda-feira, 22 de março de 2010 | 

Matéria traduzida do site da rede msnbc, que surpreendentemente deixou passar uma matéria tão crítica da televisão.

Você já deve ter aceito a ideia de que a televisão deixa você mais burro. Você também sabe que há muitas coisas mais edificantes que você poderia fazer com seu tempo ao invés de aplaudir os participantes de "Survivor" ou big-brother.

E a menos que você esteja malhando na frente de um video de ginástica, você sabe que horas esparramado na frente da TV irá lhe deixar mais gordo - para não mencionar o impacto de todo o lixo comestível que você é tentado a engolir durante a os intervalos comerciais.

Mas você vai se surpreender ao saber a quantidade de outros malefícios a TV pode trazer para você.


1. TV deixa você mais morto


Ver TV é um passatempo bastante mortal, a pesquisa sugere. Não importa quanto tempo você gasta na musculação, cada hora que você gasta em frente da televisão aumenta o risco de morrer de doenças cardíacas, segundo um relatório recente na publicação "Circulação: Jornal da Associação Americana do Coração". Pesquisadores australianos estudaram 8.800 homens e mulheres adultos por uma média de seis anos e descobriram que todas as horas gastas em frente à TV se traduziram em um aumento de 11 por cento no risco de morte por qualquer causa, um aumento de 9 por cento no risco de morte câncer e um aumento de 18 por cento no risco de morte por doença cardiovascular. Assim, em comparação às pessoas que assistiam menos de duas horas de TV por dia, aqueles que assistiram a quatro ou mais horas por dia tiveram um risco 46 por cento maior de morte por qualquer causa e um risco 80 por cento maior de morte por doença cardiovascular. E isso era verdade mesmo entre pessoas que não fumavam, eram magros, comiam dietas saudáveis e tinham baixa pressão arterial e colesterol.

2. TV faz você bêbado

TV faz você beber mais. Quando se trata de beber, estamos aparentemente muito suscetíveis ao que vemos na televisão, segundo um relatório publicado em "Álcool e Alcoolismo". Para descobrir se o que vemos realmente afeta os hábitos de consumo, os pesquisadores pegaram 80 alunos do sexo masculino com idades entre 18 e 29 e colocaram-os em um estúdio/bar onde os alunos puderam assistir a filmes e anúncios publicitários na televisão. Os pesquisadores descobriram que os homens que assistiram a filmes e comerciais em que o álcool foi tema de destaque imediatamente alcançaram um copo de cerveja ou de vinho e beberam uma média de 1,5 copos a mais do que aqueles que assistiram a filmes e comerciais em que o álcool teve um papel menos proeminente.

3. TV pode fazer o seu filho engravidar/ sua filha ficar grávida

Os adolescentes que assistiram a uma série de TV que incluía conteúdos sexuais tinham duas vezes mais probabilidade de engravidar, segundo um estudo publicado na revista Pediatrics. Uma vez por ano durante três anos, pesquisadores da Rand Corporation entrevistaram 1.461 jovens - de 12 a 17 anos no início do estudo - sobre os hábitos de assistir TV e o comportamento sexual. Os meninos foram questionados sobre se já haviam engravidado alguma menina e meninas foram questionados sobre se já haviam estado grávidas. Para ter uma idéia sobre quantos programas de TV sexualmente carregados as crianças estavam assistindo, os pesquisadores pediram aos adolescentes se e quantas vezes assistiam 23 programas específicos.

Outro estudo mostrou que as crianças que assistem duas ou mais horas de televisão por dia começam com o sexo mais cedo, de acordo com um relatório na revista Archives of Pediatric and Adolescent Medicine. Os pesquisadores acompanharam 4.808 estudantes durante um ano. As crianças - todas as idades de 15 anos ou menos - nunca tinha tido relações sexuais no início do estudo. Entre as crianças com pais que não aprovavam o sexo durante a adolescência, aqueles que assistiam duas ou mais horas de TV por dia tinham 72 por cento mais chance de começar a ter relações sexuais até ao final do estudo. Os pesquisadores disseram que não ficaram surpresos ao encontrar nenhum efeito televisão entre as crianças com pais que não se importava com o sexo adolescente, pois as crianças estavam em risco elevado de sexo precoce de qualquer maneira.

4. TV enfraquece os ossos

Horas gastas assistindo a TV podem resultar em uma criança com os ossos frágeis, de acordo com um estudo publicado no Journal of Pediatrics. Até chegarmos por volta dos 25 anos, nós acumulamos massa óssea em uma espécie de conta poupança. Quanto mais osso que construímos quando somos jovens, menor a probabilidade de que estamos a desenvolver osteoporose.

Para ver se assistir à TV pode impactar o crescimento dos ossos nas crianças, os pesquisadores acompanharam 214 crianças de 3 anos por quatro anos. A altura das crianças e peso foram aferidos a cada quatro meses, juntamente com os seus níveis de atividade. Em cada exame, os pais foram questionados sobre os hábitos de assistir TV de seus filhos. Quanto mais as crianças assistiram TV, menos ossos cresceram, independentemente de quão ativos eles estavam em outros momentos.

5. TV torna você menos empenhado

Um estudo recente descobriu que enquanto a TV está ligada - mesmo que seja apenas de fundo - os pais interagem menos com seus filhos. Para saber mais sobre os efeitos da TV, os investigadores trouxeram 51 crianças e bebês, cada um acompanhado por um dos pais a um centro de estudo da criança, de acordo com o relatório publicado Child Development. Os pais e as crianças foram observados durante meia hora em uma sala sem televisão e, em seguida, por uma meia hora com o televisor ligado com um programa de adultos como "Jeopardy!" Quando a televisão estava ligada, os pais gastaram cerca de 20 por cento menos tempo conversando com seus filhos. E quando os pais prestavam atenção aos seus filhos, a qualidade das interações foi menor. Com a TV de fundo, os pais eram menos ativos, atentos e sensíveis aos seus filhos.


Leia mais: http://www.anovaordemmundial.com/2010/03/5-formas-em-que-sua-tv-esta-lentamente.html#ixzz4W7f5vZ7Y

Fontes:
MSNBC: 5 ways your TV is slowly killing you

18/17 - Fazendo lavagem cerebral

FONTE:http://www.anovaordemmundial.com/2017/01/especialistas-revelam-os-truques-que-que-a-midia-usa-para-lavagem-cerebral-e-controlar-as-massas.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+UmaNovaOrdemMundial+%28Uma+Nova+Ordem+Mundial%29


Especialistas Revelam os Truques que a Mídia usa Para Lavagem Cerebral e Controlar as Massas

terça-feira, 17 de janeiro de 2017 | 

Talvez você não saiba disso, mas as agências de inteligência ao redor do mundo têm, por décadas, se infiltrado em países-alvo para ter seus agentes e espiões posando como jornalistas (não, eu não sou um agente de inteligência). Isso serviu para dois propósitos: 1) proporcionou ao espião uma cobertura legítima; e 2) permitiu que o governo do espião usasse a posição na "mídia" para moldar a opinião pública no país anfitrião.

Fazendo lavagem cerebral neles, em outras palavras, com propaganda.

Mas, na verdade, esse tipo de propaganda e lavagem cerebral também é feito pela mídia institucional, que empurra uma agenda política específica. Pense no ciclo de eleições presidenciais recentemente concluído, e em como os "principais meios de comunicação" fizeram em um esforço fracassado para conseguir que sua candidata ungida, Hillary Clinton, fosse eleita. Eles mentiram, invetaram narrativas a partir do nada, e tentaram manchar o seu adversário, o agora presidente eleito Donald J. Trump, em um esforço para derrotá-lo.

Como relatado pelo site The Waking Times, os especialistas indicam uma série de técnicas que são utilizadas pelo establishment dos meios de comunicação, para fazer lavagem cerebral do público e criar/controlar a narrativa diariamente.

Os principais meios de comunicação são os verdadeiros fornecedores de "notícias falsas"

Edward Bernays é conhecido como o pai da propaganda moderna. Ele foi o primeiro a usar técnicas de engenharia social espalhadas pelos meios de comunicação da atualidade. No início do século 20, ele estabeleceu as bases para o que se tornou a programação cultural a nível da sociedade, auxiliando na transformação de uma sociedade norte-americana na sua maioria rural agrária, baseada em uma cultura homogeneizada de estatistas devotos e consumidores.

Os princípios que ele desenvolveu e implementou, influenciaram grandemente o crescimento da cultura americana, conforme ela crescia e a direção que tomava. Depois que Bernays pegou a tocha do século 21, vários especialistas em lavagem cerebral moderna, controle da mente e propaganda, têm dado recentemente uma visão sobre seu ofício.

Pense sobre o que está em crie nos EUA hoje, em termos de problemas sociais. Existe a corrupção dos chamados "movimentos de base" que são realmente financiados por multimilionários de esquerda como George Soros e Bill Gates, e ainda os movimentos são retratados pelos meios de comunicação do establishment muitas vezes como espontâneos e localmente fabricados, mas todos estão tentando alcançar um resultado social e político específico.

Os esforços destes grupos supostamente orgânicos,  muitas vezes são ampliados o seu tamanho pela mídia, a qual lhes dá credibilidade e um megafone com o qual gritam suas opiniões. E o que eles gritam?  Os EUA é racista, intolerante, homofóbico, injusto, politicamente quebrado, etc. Nunca são chamadas para a união ou elogios para os EUA, dando qualquer atenção em tudo.

Muito disso é feito através de uma técnica conhecida como "astroturfing" (plateia artificial). O veterano investigador Sharyl Attkisson explica, "A astroturf é uma perversão de base. A astroturf é quando os interesses políticos, corporativos ou outros interesses especiais se disfarçam e publicam blogs, começam contas do Facebook e do Twitter, publicam anúncios, cartas ao editor ou simplesmente publicam comentários online, para tentar enganá-lo, pensando que um movimento independente ou de base está falando."

Eles controlam nossos pensamentos criando falsas narrativas

Outra técnica utilizada é a comunicação subliminar. Esta é uma pedra angular de controle da mente, e quando uma pessoa está inconscientemente bombardeada com informações habilmente escondidas, uma emoção pode ser desencadeada deixando o intelecto de uma pessoa, e o melhor julgamento subjugados, em favor de um processo mental como o medo ou desejo sexual. Você nunca pode conscientemente entender ou perceber o porquê você começa a adotar certos comportamentos, produtos de estilos de vida, mas a atração é ainda assim real e se manifesta através de escolhas pessoais reais.

Em um documentário de 2011 chamado Programação da Nação, o cineasta, artista gráfico e produtor de mídia digital, Jeff Warrick, ex-representante de vendas de publicidade, forneceu exemplos de como as mensagens subliminares e outros métodos subconscientes, são empregados por executivos de publicidade e outros meios de comunicação para criarem "normas" culturais e programas sociais como o consumismo, a materialização dos corpos das mulheres, as escolhas de saúde e a glorificação da violência.

"Essas técnicas realmente poderiam estar contribuindo para uma variedade de problemas sociais, políticos e econômicos atualmente presentes em nossa cultura? Como a obesidade, anorexia e outros transtornos alimentares? A guerra contra o terror? E quanto aos montantes sempre crescentes da dívida, que têm apertado seu controle sobre uma porcentagem crescente da população?", diz o documentário.

Outras técnicas incluem notícias falsas, sim, pela omissão da grande mídia (não abrangendo um problema como se ele não fosse real ou importante); inclinação através do uso de fontes "especializadas" tendenciosas; e publicação de dados falsificados e de ciência como se fossem legítimos.

Leia mais:


5 Formas em que sua TV está lentamente matando você


Leia mais: http://www.anovaordemmundial.com/2017/01/especialistas-revelam-os-truques-que-que-a-midia-usa-para-lavagem-cerebral-e-controlar-as-massas.html#ixzz4W7c0sDgD

18/17 - ALÉM DE QUALQUER LIMITE-II

ALÉM DE QUALQUER LIMITE-II

Economista Marcos Coimbra
Professor, Assessor Especial da Presidência da ADESG, Membro do Conselho Diretor do CEBRES, Acadêmico fundador da Academia Brasileira de Defesa e Autor do livro Brasil Soberano.
         
Já escrevemos neste espaço vários artigos sobre a previdência social.
 Considerando que o tema continua a ser enfocado com abordagens diametralmente opostas, voltamos ao assunto.
         Nenhum analista verdadeiramente isento pode apoiar a proposta enviada ao Congresso pela atual administração federal. De início, a maioria dos trabalhadores não conseguirá atender a todos os requisitos impostos. Em um país onde existem oficialmente mais de 12 milhões de desempregados, com um número real superior a 22 milhões de trabalhadores, incluindo, além das pessoas desempregadas, trabalhadores subocupados e os inativos com potencial para trabalhar, é utópico sequer imaginar que um trabalhador poderá chegar aos 65 anos de idade, com 49 anos de contribuição. Na realidade, para receber integralmente a miséria do limite máximo deveria ter começado aos 16 anos de idade. Se não, teria que alcançar 67 anos, começando a contribuir com 18 anos. Para que contribuir é a pergunta lógica? Não seria mais adequado somar a contribuição do empregado e do empregador e deixar a critério do empregado sua aplicação a partir de agora? Porém isto não pode ser concretizado porque aí o Estado não teria recursos para honrar os atuais benefícios, pois as administrações anteriores dilapidaram ao logo do tempo o capital acumulado pelas contribuições iniciais que chegaram a um patamar de trilhões de reais.
E a comparação com outros países é ridícula. Lá a idade mínima é de 65 anos, porque as condições são inteiramente diferentes. O padrão de vida é melhor, o Estado funciona, atendendo à satisfação das necessidades coletivas e os salários são dignos. A diferença entre a média superior e a inferior chega até a dez vezes, enquanto no Brasil é de mais de cem vezes.  É a verdadeira criação de escravos modernos, que trabalharão até morrer, pois até lá as regras mudarão novamente, sempre penalizando o andar de baixo e privilegiando o andar de cima.
         Uma reforma previdenciária justa e capaz de ser aceita deverá atingir todos os segmentos da sociedade por igual, alcançando não só o Executivo, como o Judiciário, o Legislativo, o MP e outros intocáveis. É ridículo defender estipêndios de R$ 100 mil mensais a serem mantidos através de vários artifícios, enquanto os barnabés são violentados. A realidade é que o sistema econômico não suporta mais os excessos concedidos a uma classe privilegiada, possuidora de um padrão de vida de marajás, com dois meses de férias, trabalhando o número de horas que querem, quando querem, a pretextos vários. E as pensões e aposentadorias milionárias obtidas com o famoso “jeitinho” brasileiro. A conta não pode cair em quem possui um rendimento médio em torno de R$ 2 mil por mês. Caiam na realidade. Lembra a estória do cavalo do escocês. O dono do cavalo queria economizar a quantidade de rações dadas ao seu animal de carga. Foi baixando de dez, progressivamente, até chegar a uma e o cavalo continuava a trabalhar. Então, resolveu economizar direto e deixou de fornecer o alimento e o cavalo morreu. O povo não é escocês, nem é cavalo.
         A situação se agrava quando atinge o RJ. Uma das exigências do ministro da Fazenda para fechar o acordo com a administração estadual é a redução de carga horária de trabalho com a proporcional diminuição dos salários. Ora, é uma sugestão típica de banqueiro, o qual nunca trabalhou de fato na vida, vivendo à custa do trabalho dos outros, no mercado financeiro. Além de uma economia ínfima, imaginem a atitude de um servidor público diante de tal agressão. Ele passará a trabalhar com indignação, sem condições psicológicas de produzir o necessário para atender ao público, que mais uma vez será duramente penalizado.
Qual o critério da escolha de Sofia? Será para todos os servidores ou apenas para aqueles sem condições de reagir? Atingirá também os servidores da segurança, da saúde, da educação? Os hospitais, delegacias e batalhões deixarão de operar 24 horas por dia? Vão combinar com os criminosos? Ou farão como agora, quando covardemente pagam em dia, até o 13º salário, para  categorias com poder de fogo para infligir sérios riscos à ordem pública, ou a categoria dos marajás, ou fazer greves com poder de causar sérios danos ao cidadão, sobrando então para os aposentados, pensionistas e servidores ativos com menor condição de reagir? E as irresponsáveis isenções fiscais e tributárias? E a apuração da sonegação e a cobrança da dívida como ficarão? A mídia amestrada ignora o suicídio de servidores estaduais em depressão. Nada noticia.
Tomem vergonha na cara e tenham cautela. Até um animal, quando acuado, pula contra o algoz em defesa própria, causando-lhe dano.
Correio eletrônico: mcoimbra@antares.com.br

18/17 - Pragmatismo Político DE 17/17

Pragmatismo Político


Posted: 17 Jan 2017 10:40 AM PST
repórter da globo agredida ao vivo
Larissa Carvalho, repórter da Globo / Globo News foi agredida na madrugada desta terça-feira,17, quando falava ao vivo sobre a cobertura da rebelião no Presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, Minas Gerais.
A agressão aconteceu logo depois de a jornalista entrar no jornal da Globo News. Assim que a repórter começou a falar, uma mulher, parente de um detento, a empurrou, e ela caiu. A agressora foi contida por um policial militar e foi detida.
A transmissão foi interrompida e o apresentou comentou sobre o incidente. Em seguida, a repórter voltou a entrar ao vivo, desta vez com proteção policial. Ela informou que não se machucou.
Em nota de repúdio, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) considerou intolerável a agressão à repórter de televisão e destacou que a profissional foi empurrada e jogada no chão por uma mulher, parente de um dos presos, enquanto fazia uma entrada ao vivo.
“Atos de intolerância como este demonstram a total falta de conhecimento do verdadeiro papel da imprensa, cujo único objetivo é o de informar a população sobre assuntos relevantes que impactam o seu dia a dia. O acesso à informação é um direito garantido e não pode ser violado”, diz o comunicado.
VÍDEO:
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
O post Repórter da Globo é agredida em transmissão ao vivo apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 17 Jan 2017 09:48 AM PST
Guilherme Boulos prisão
O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) Guilherme Boulos foi detido pela Polícia Militar na manhã de hoje (17), após ação de reintegração da Ocupação Colonial, na região de São Mateus, zona leste de São Paulo. A PM alegou desobediência para justificar a prisão. Arbitrariamente, também citou a participação de Boulos em atos contra o governo Temer.
“Temos horas de filmagens suas de outras manifestações e ocupações e sabemos que você é liderança, você está detido por desacato, obstrução da via, obstrução da justiça e incitação de violência”, disse um integrante da Tropa de Choque, em fala colhida pelo coletivo Jornalistas Livres. Ele foi levado ao 49º DP, onde presta depoimento.
Em nota, o MTST afirmou ser “absurda” a detenção de Boulos, que tentava buscar uma solução que evitasse o conflito. “Foi uma detenção absolutamente ilegal. Ele estava na tentativa de interceder para evitar o conflito. O MTST não tem atuação na região. O Guilherme tentava apenas mediar. Nada mais”, disse Felipe Vono, advogado do MTST.
As cerca de 700 famílias da Ocupação Colonial queriam o adiamento da reintegração para que pudessem ser inscritas em programas de habitação da prefeitura. Uma ação do Ministério Público que também pedia o adiamento foi ignorada pela PM, antes mesmo de ser apreciada pela Justiça.
“Não aceitaremos calados que além de massacrem o povo da ocupação Colonial, jogando-os nas ruas, ainda querem prender quem tentou o tempo todo e de forma pacífica ajuda-los”, diz o MTST, que também denuncia a perseguição política aos movimentos sociais.

Prisão política

Ainda detido, Boulos afirmou que sua prisão foi política. “Foi uma prisão política, evidente. Alegaram incitação à violência. Eles despejam 700 famílias com violência, e eu que incitei?”, questionou o líder do MTST, que prestou depoimento, assinou termo de responsabilidade e foi liberado por volta das 15h.

Inaceitável

A presidenta destituída Dilma Rousseff afirmou em seu perfil no Facebook que a prisão de Guilherme Boulos é inaceitável.
“Os movimentos sociais devem ter garantidos a liberdade e os direitos sociais, claramente expressos na nossa Constituição cidadã, especialmente, o direito à livre manifestação”, diz Dilma. “Prender Guilherme Boulos, quando defendia um desfecho favorável às famílias da Vila Colonial em São Paulo, evidencia um forte retrocesso. Mostra a opção por um caminho que fere nossa democracia e criminaliza a defesa dos direitos sociais do nosso povo.”
A atriz e ativista Letícia Sabatella também manifestou, por meio de sua rede social, apoio às famílias da Ocupação Colonial, na região de São Mateus, zona leste de São Paulo, e ao líder do MTST. Sua mensagem faz referência ao fato de as lutas populares em defesa de direitos e de acesso à cidadania são mecanismos de combate à escalada de violência decorrente das desigualdades. “Três mil sem ter para onde ir. Quantas sobreviveriam longe da criminalidade se não estivessem em um movimento que que lhes dá suporte?”, escreveu. “Todo apoio ao MTST e a Guilherme Boulos.”
VÍDEO:

Recado do Estado

Para Leonardo Sakamoto, jornalista e Doutor em Ciência Política, a prisão de Boulos é um recado do Estado a quem quiser resistir. “Daqui para a caça aberta nas ruas, escolas e empresas é um pulo”, diz Sakamoto, em texto publicado em seu blog no UOL. Leia a íntegra abaixo:
A acusação de que Guilherme Boulos incita ao crime por mediar uma reintegração de posse e sua detenção são tão bizarras quanto as ações que foram movidas contra o coordenador do MTST por ter afirmado que parte da sociedade iria resistir nas ruas às reformas que reduzem direitos propostas pelo governo Michel Temer.
A Polícia Militar de São Paulo deteve Guilherme Boulos, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), na manhã desta terça (17). Ele dava apoio a cerca de 700 famílias em uma reintegração de posse na ocupação ”Colonial”, em São Mateus, na Zona Leste de São Paulo.
Boulos tentava mediar, junto com outras pessoas, o diálogo entre os moradores e a Tropa de Choque e foi acusado de incitação à violência e desobediência. ”Cometem a violência de despejar 700 famílias e eu que sou preso por incitação à violência?”, afirmou Boulos a este blog. Um comandante da polícia militar que participava da reintegração afirmou que o caso de incitação à violência era uma reincidência e citou manifestações realizadas com a participação de Boulos perto da casa de Temer.
Levado para o 49o Distrito Policial, em São Mateus, ele foi ouvido pelo delegado e, até a publicação deste post, não havia sido solto. A PM afirmou, em nota, que atendeu a uma solicitação de apoio aos oficiais de Justiça e que moradores resistiram à reintegração de posse com pedras, tijolos e barricadas com fogo.
Resistência significa utilizar os meios possíveis e ao alcance de cada um para demonstrar sua insatisfação. Isso ocorre com as elites econômica e social brasileiras, que não fazem de rogadas ao usar recursos financeiros para fazer valer sua vontade. Mas quando trabalhadores e movimentos sociais prometem resistência, ocupando ruas, avenidas e outros espaços, a ação vira caso de polícia? Onde o pessoal acha que está? Ou quando gostaria que estivéssemos? No Brasil do final do século 19 ou em plena ditadura civil-militar?
A criminalização da resistência de apenas um dos lados mostra o quanto os atores de nosso sistema político são incapazes de entender o que é, de fato, uma democracia. Chamar de violenta toda forma de resistência com a qual não concordamos é, no mínimo, infantil. Como, por exemplo, mostrar resistência diante de uma injustiça, como aquela que ocorre quando se retira centenas de famílias em um dia de chuva, sem saberem para onde ir, nem como.
Dessa forma, ao que tudo indica, a detenção de Guilherme Boulos não ocorre por sua atuação na mediação da manhã desta terça, mas por seu papel na resistência social e política brasileira. Sua voz tem sido uma das principais nas críticas ao governo Michel Temer, assim como também era durante o governo Dilma Rousseff. Ou seja, essa é sim uma prisão política.
Por isso, é preciso calá-lo ou reduzir sua credibilidade. Para que a narrativa da criminalização de movimentos sociais seja efetiva na mídia, nas redes sociais, nos espaços políticos. Narrativa que quer inverter os sentidos das palavras e transformar resistência popular em ameaça à democracia e à governabilidade.
Boulos é liderança do principal movimento social de massa deste país em termos de centralidade da pauta, capacidade de mobilização e visão de atuação hoje. Um movimento com uma agenda antiga, mas com uma equipe que sabe se comunicar e influenciar a disputa simbólica da narrativa, pela mídia, pelas redes sociais.
E vem exatamente do posicionamento crítico adotado contra a administração federal anterior o respeito de vários setores da esquerda para com o movimento e com ele. Esse respeito e essa capacidade de mobilização, que conseguem colocar dezenas de milhares de militantes nas ruas quando preciso, assusta muita gente.
Que prefere vê-lo preso do que articulando ou em cima de um caminhão de som.
Essa seria uma forma do poder público de São Paulo, mas não apenas ele, dar um ”recado” aos movimentos sociais, de acordo com fontes ligadas a ele ouvidas por este blog. Daqui para a caça aberta nas ruas, escolas e empresas é um pulo. Esse tipo de ação é uma amostra do que está acontecendo com parte da esquerda brasileira, com um macarthismo à brasileira se instalando aos poucos, como ação sistemática de limpeza ideológica. Já vimos, aqui e ali, a perseguição a quem usa roupas vermelhas e a agressão em espaços públicos contra quem defende determinado ponto de vista. Até o juramento de Hipócrates foi rasgado por médicos que acham normal não prestar atendimento a alguém que não compartilha da mesma opinião política que eles.
Daqui para a caça aberta nas ruas, escolas e empresas é um pulo.
Apesar de conquistas sociais obtidas na última década, o governo do PT não atendeu às pautas históricas propostas pelos movimentos sociais – o que, como já disse aqui, não seria nenhuma ”revolução”, mas melhoraria a vida de milhões de brasileiros que se mantêm excluídos. Pelo contrário, em nome da ”governabilidade” fez alianças espúrias, apoiando forças econômicas e políticas que eram contrárias a esses interesses populares, ignorando o suporte oferecido por esses mesmos movimentos para um mandato que significasse uma mudança de paradigma.
E o Brasil sob Michel Temer só piora esse quadro, com o desmonte do simulacro de Estado de bem-estar social que temos por aqui por conta da Constituição Federal de 1988 e por décadas de lutas do sociais.
Todos os movimentos sociais sabem o que é serem considerados criminosos simplesmente por lutarem pelos direitos que lhes são garantidos pela Constituição. Sabem o que é levar cacete por representar o que está em desacordo com a visão hegemônica de ”progresso” e crescimento econômico, seja no campo ou na cidade. E ainda guardam na memória as cicatrizes deixadas pelo passado, temendo que voltem a ser caçados dependendo do clima político do país.
Você pode não gostar de Guilherme Boulos. Mas, se preza pela liberdade, deveria repudiar a sua criminalização e dos movimentos sociais populares, da mesma forma que deve ser repudiada a criminalização de qualquer liderança social, de direita ou esquerda.
Pois, hoje é com ele. Depois, com uns sindicalistas, operários, padres, jornalistas…
Amanhã, quem sabe, não vai ser com você?
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
O post A prisão de Guilherme Boulos é uma ameaça para quem pretende resistir apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

18/17 - As coisas não andam bem para os golpistas

Os Amigos do Presidente Lula


Posted: 17 Jan 2017 09:38 AM PST


O golpe está passando pela sua pior crise desde a derrubada efetiva de Dilma Rousseff. Os setores que se unificaram em torno da queda do PT ingressaram em uma luta interna que se expressa de duas formas.

A ala mais importante do golpe, a direita impulsionada diretamente pelo imperialismo, deu o golpe para colocar em marcha uma política econômica de devastação do País. O que está nos planos dos golpistas é impor ao Brasil um modelo ultra neoliberal, com fortes ataques aos diretos, como é o caso das reformas trabalhista e da previdência, além de um ajuste fiscal sem precedentes nas contas públicas, como foi a aprovação do teto de 20 anos dos gastos para estados e municípios.

Essa política econômica começou a ser questionada por setores industriais que perceberam muito rapidamente que uma política tão ferozmente neoliberal causará uma devastação na indústria nacional. Além disso, o modelo que os golpistas querem implantar no Brasil está sendo rejeitado no mundo todo. É como se o Brasil estivesse atrasado em relação ao resto do mundo. A eleição de Donald Trump vai significar uma mudança, até certo ponto, da política econômica imperialista o que também deixou os planos dos golpistas sem uma base de apoio.

Outro aspecto do problema é a falência dos estados e municípios que entra em contradição com a política dos golpistas de corte de verbas por 20 anos. Essa contradição se expressa na rebelião da base de sustentação do governo golpista no Congresso Nacional, base esta que responde aos governadores e prefeitos. A política de arrocho fiscal não foi aprovada como desejada pelos golpistas devia a essa resistência.

Essa rebelião no Congresso é a outra parte da crise do golpe. Os golpista têm dificuldade de controlar deputados e senadores, é daí que vem a necessidade de aprovar medidas como as propostas “contra a corrupção” do Ministério Público Federal, ou seja, estabelecer um regime de exceção que submeta deputados e senadores aos arbítrios do Judiciário e da operação Lava Jato.

Essa tentativa de intervenção no Congresso foram o estopim para a crise institucional que se abriu e que teve como marco o embate entre o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o STF.

A tudo isso soma-se a crise no próprio Executivo. As quedas de ministros e as denúncias contra figuras importantes do PMDB revelam a tentativa dos golpistas de controlarem o governo, o que significa também controlar a base do governo no Congresso. As eleições para a presidência das duas Casas será um terreno dessa disputa pelo controle do político do governo.

Em suma, o golpe atingiu uma enorme crise que se expressa entre as instituições e internamente a elas. Esse fato abre a possibilidade de uma intervenção mais decisiva de um movimento que coloque como perspectiva a derrota do golpe através da anulação do impeachment. É um caminho possível, mas principalmente é um caminho concreto para agrupar um movimento de luta para derrotar a direita golpista.Causa Operaria .Aécio volta para Minas...O senador, é motivo de chacota por não ter conseguido eleger o primo
Posted: 17 Jan 2017 06:19 PM PST

Boulos foi detido pela Polícia Militar após reintegração de posse em um terreno particular na Rua André de Almeida, em São Mateus, na zona leste de São Paulo, na manhã desta terça)

A presidente Dilma Rousseff emitiu nesta terça-feira, 17, nota considerando "inaceitável" a prisão do líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, e disse que o ato representa uma perseguição aos movimentos sociais.

Boulos foi detido pela Polícia Militar quando tentava negociar a reintegração de posse em um terreno particular na Rua André de Almeida, em São Mateus, na zona leste de São Paulo, na manhã desta terça). Segundo o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), ao menos 6 mil  famílias moravam no local, conhecido como Ocupação Colonial em São Mateus. Boulos foi detido sob as acusações de desobediência civil.Os moradores acompanhados por Boulos pediram para os oficiais de Justiça aguardarem a análise do pedido do Ministério Público de suspensão da ação de reintegração de posse, mas não conseguiram. Às 8h20, a Polícia Militar avançou. Bombas de gás lacrimogêneo e gás de pimenta foram usados na ação. O terreno é de propriedade particular e cerca de 6 mil pessoas vivem há um ano e meio no local.
"A prisão do líder do MTST, Guilherme Boulos, é inaceitável. Os movimentos sociais devem ter garantidos a liberdade e os direitos sociais, claramente expressos na nossa Constituição cidadã, especialmente, o direito à livre manifestação", escreveu Dilma.

 Dilma disse que  prender o líder evidencia um forte retrocesso. "Mostra a opção por um caminho que fere nossa democracia e criminaliza a defesa dos direitos sociais do nosso povo", afirmou.

Outras manifestações

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ)manifestou pelas redes sociais apoio a Boulos, afirmando que o líder estava mediando conflitos em defesa dos direitos sociais. "Mais uma prisão arbitrária da polícia de São Paulo que só confirma o estado de exceção que estamos vivendo", disse o senador. Outros parlamentares da oposição já haviam se manifestado na Câmara dos Deputados.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) disse que a prisão foi injusta e covarde. "A truculência da tropa de choque da Polícia Militar, que usou bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha contra homens, mulheres, idosos e crianças na manhã desta terça-feira (17), foi absurda e desnecessária", afirmou

A policia do Alckmin não prende ladrão de merenda...Os corruptos do trensalão, do mensalão tucano...

 Na manhã desta terça-feira (17), Guilherme Boulos, coordenador do MTST, foi detido pela PM tucana do golpista Geraldo Alckmin. Boulos dirigiu-se a uma ocupação em São Mateus, zona leste de São Paulo, em solidariedade a 700 famílias que seriam expulsas de suas moradias pela polícia em uma reintegração de posse. O coordenador do MTST negociava com a polícia quando foi detido pela PM, sob a alegação de que estaria incitando a violência.

O militante falou com o blogueiro Leonardo Sakamoto minutos depois de sua detenção. Segundo ele, policiais mencionaram um ato no ano passado perto da casa de Michel Temer, dizendo que teriam horas de gravação do dirigente em caminhões de som. Ou seja, Boulos foi detido por militar e se expressar, preso por militar em um movimento popular.

Prisões arbitrárias contra lideranças e militantes de movimentos populares, sindicatos e partidos de esquerda estão no roteiro da direita golpista. O golpe foi desfechado pela direita para impor duras derrotas aos trabalhadores, fazendo o povo pagar pela crise dos capitalistas. Para obrigar o povo a se sacrificar pelo lucro dos capitalistas, a burguesia está alterando o regime político no Brasil depois de dar um golpe de Estado. Querem um regime mais duro para reprimir a população em geral e impor um programa político de devastação do País, de ataques às condições de vida das massas e de entrega do patrimônio nacional.

Na medida que o golpe se aprofunda, ações autoritárias como essa serão mais comuns. É preciso criar comitês de autodefesa, contra o golpe de Estado e contra a direita. É preciso exigir a liberdade para Guilherme Boulos e todos os presos políticos..Aécio volta para Minas...O senador, é motivo de chacota por não ter conseguido eleger o primo
Posted: 17 Jan 2017 08:47 AM PST


                   Após sorvetes e Nutella, pães de Temer aparecem superfaturados em edital
Menos de um mês depois do polêmico episódio em que o governo de Michel Temer anunciou licitação com gasto previsto de R$ 1,75 milhão para compra de alimentos com preço acima do valor de mercado para o avião presidencial, o Diário Oficial publica, agora, orçamento para a compra de pães, para os próximos 12 meses, com preços bem acima dos praticados. Em apenas três meses (janeiro, fevereiro e março deste ano), a Vice terá um gasto de R$ 1,9 milhão (R$ 389 em janeiro, R$ 654 em fevereiro e R$ 919 mil em março)

A Presidência da República prevê um gasto de R$ 356 mil para comprar produtos de padaria, hortifrutigranjeiros e outros alimentos nos próximos 12 meses. Três pregões foram abertos para registrar preços de comidas que vão abastecer as copas do Palácio do Planalto e serão servidas em eventos.

BRIOCHE E ABACAXI

Por 2.000 pacotes de pão de forma, por exemplo, o governo se dispõe a pagar até R$ 25.800 (R$ 12,90 cada um). Para ter 50 kg de brioches na despensa, o palácio aceita dar até R$ 27 no quilo do pãozinho (R$ 1.350 no total). A lista de compras possui ainda itens como pães de queijo, queijos variados, vegetais, ovos e frutas —incluindo 2.500 abacaxis.

'Brioche de aparência brilhante': presidente Michel Temer vai gastar R$ 104 mil com pães variados

Temer vai gastar R$ 104 mil do orçamento da presidência em pães variados — alguns deles, com preços acima do que é usualmente cobrado no mercado. 

Metade deste valor (R$ 51,6 mil) será investido em pães de forma (ao leite e integral), em pacotes de 500g. Cada um custará R$ 12,90 — uma rápida pesquisa em sites de supermercados mostra que é possível comprar as mesmas embalagens, de marcas como Plus Vita e Wickbold, por menos de R$ 7. A listinha de compra, pago pelo povo, foi publicado na coluna da Monica Bergamo

Aliás e a propósito

O edital também prevê o gasto de R$ 24 mil em baguetes com gergelim “e textura crocante”, além de R$ 1.350 em brioches “de aparência brilhante” e R$ 7.400 em pães de cenoura, “com pedaços de cenoura entre o miolo”.

SOBREMESA

As empresas que registrarem os menores preços serão acionadas sempre que o palácio precisar do fornecimento. Há alguns dias o governo cancelou compra de R$ 1,7 milhão para o avião presidencial que incluía 500 potes do sorvete premium Häagen-Dazs. Leia ainda: Aécio volta para Minas...O senador, é motivo de chacota por não ter conseguido eleger o primo
Posted: 17 Jan 2017 08:16 AM PST


O jornal britânico The Guardian publicou nesta segunda-feira (16) uma matéria sobre a crise do sistema carcerário do Brasil. O tumulto na prisão de Alcaçuz é o mais recente de uma onda de violência que deixou 140 mortos em duas semanas, enquanto as quadrilhas rivais lutam pelo controle das rotas de tráfico de drogas.

A reportagem diz que um novo motim ocorreu em uma prisão no nordeste do país, onde 26 prisioneiros foram mortos por uma facção de gangues rivais no fim de semana.

Como em uma série de outras revoltas nas prisões nas últimas semanas, muitos dos mortos tiveram suas cabeças cortadas e foram mutilados ou queimados, ressalta o Guardian. Pelo menos 140 presos morreram nas prisões do Brasil em pouco mais de duas semanas.

O diário aponta que a violência intensa é o resultado de uma divisão entre o PCC e a segunda mais poderosa gangue do Brasil, o Comando Vermelho. Por mais de duas décadas, as duas gangues mantiveram uma relação de trabalho, garantindo que um fluxo constante de drogas e armas passasse facilmente pelas fronteiras do Brasil com as maiores nações produtoras de cocaína do mundo.

O Guardian fala que há cerca de seis meses o PCC resolveu cortar as "boas relações" e assumir completamente as rotas de tráfico. O Comando Vermelho respondeu formando alianças com gangues regionais menores, principalmente na região amazônica do Brasil e no nordeste, na tentativa de bloquear o PCC, assumir essas rotas de drogas e ganhar novos territórios.

Um massacre na prisão de Anisio Jobim no estado do Amazonas, no qual 56 pessoas morreram, acendeu a violência recente. A maioria dos mortos eram membros do PCC, massacrados por membros da gangue Família do Norte, que está aliada com o Comando Vermelho.

Foi a mais mortal insurreição na prisão do Brasil desde a rebelião de 1992 na penitenciária do Carandiru, no estado de São Paulo, onde a polícia invadiu o prédio e matou 111 prisioneiros.

No dia 6 de janeiro, membros do PCC assassinaram 33 presos na prisão de Monte Cristo, no estado amazônico de Roraima. Vídeos feitos por prisioneiros mostraram o massacre, com homens dizendo que estavam se vingando por seus "irmãos" mortos na semana anterior.

As prisões do Brasil, em sua maioria sob controle de estados e não do governo federal, estão há décadas em um estado de caos, com extrema superlotação,fugas e violência.

As prisões também são em grande parte administradas por gangues de prisão e o Estado, especialistas e autoridades reconhecem, tem pouco controle sobre as instituições. Drogas, armas e todo tipo de contrabando aparentemente entram nas prisões à vontade. Leia ainda: Aécio volta para Minas...O senador, é motivo de chacota por não ter conseguido eleger o primo