sábado, 11 de março de 2017

11/3 - Os Amigos do Presidente Lula DE 8/3

Os Amigos do Presidente Lula


Posted: 08 Mar 2017 06:32 PM PST


Repercutiu mal o discurso de Michel Temer em evento sobre o Dia Internacional da Mulher, nesta quarta-feira (8). O presidente afirmou que tem "convicção do quanto a mulher faz pela casa". Minutos depois, a secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Fátima Pelaes, minimizou, ao ser questionada por jornalistas, a fala de Temer. "O presidente Michel é muito mais do que palavras. São fatos que temos que ter, são atitudes", disse Pelaes.

Em seu discurso, Temer afirmou que "homens e mulheres são igualmente empregados" e que "a gente vê o número de mulheres que comandam empresas", argumentou, sem mencionar, porém, pesquisas recentes que mostram que mulheres ganham menos que homens mesmo exercendo cargos iguais em empresas.

"Tenho absoluta convicção, até por formação familiar e por estar ao lado da Marcela [Temer], do quanto a mulher faz pela casa, pelo lar. Do que faz pelos filhos. E, se a sociedade de alguma maneira vai bem e os filhos crescem, é porque tiveram uma adequada formação em suas casas e, seguramente, isso quem faz não é o homem, é a mulher", declarou o presidente, em solenidade no Palácio do Planalto.

Ao lado da primeira-dama, Marcela Temer, o presidente disse que a mulher tem uma grande participação na economia do país porque ela é "capaz de indicar os desajustes de preços em supermercados" e "identificar flutuações econômicas no orçamento doméstico".
 "Na economia, também, a mulher tem uma grande participação. Ninguém mais é capaz de indicar os desajustes, por exemplo, de preços em supermercados mais do que a mulher. Ninguém é capaz melhor de identificar eventuais flutuações econômicas do que a mulher, pelo orçamento doméstico maior ou menor", afirmou Temer.

Em discurso curto, Marcela Temer afirmou que as mulheres vivem uma "realidade difícil" e que a sociedade brasileira precisa "acabar com a intolerância que afronta a realidade das mulheres" e "dar condições" para que elas criem seus filhos "da melhor maneira possível".
Posted: 08 Mar 2017 08:16 AM PST


Ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) têm dado sinais de que os dados disponíveis até agora no processo que investiga abuso de poder pela chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer, em 2014, não obrigam a corte a declarar a inelegibilidade da ex-presidente. Já a situação de Temer seria mais delicada.

BEM LONGE
Por esse raciocínio, basta a comprovação da existência de caixa dois em uma campanha para o eleito ser cassado do mandato que ocupa. Como Dilma já foi afastada, só Temer poderia sofrer a pena. Daí a defesa que os apoiadores do presidente fazem de que as contas da campanha eram separadas e assim devem ser julgadas.

DIRETO
Já a condenação à inelegibilidade, que pode afetar Dilma, só poderia ocorrer caso se comprovasse que ela tinha conhecimento do caixa dois na época da campanha. Nenhum delator afirmou até agora que Dilma participou de tratativas de contribuições ilegais à campanha.

DATA VENIA
Essa tese, à qual o ministro Herman Benjamin, relator do processo, dá sinais de que pode se associar, não é unânime no tribunal.

Ministros do TSE sinalizam que não há elementos para tornar Dilma inelegível

Nenhum comentário:

Postar um comentário