quinta-feira, 16 de março de 2017

16/3 - BULA Revista 2


O amor não é imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure


Foi na sua distração que a vida lhe pregou esta peça: ao se desprender da necessidade de procurar por alguém (mesmo naqueles dias em que lhe doía a falta de companhia), você se apaixonou; e entregou-se a esta nova cena da vida porque a paixão é o primeiro ato do amor: o caos e a perfeição andando de mãos dadas.

Por Rebeca Bedone | Ler no navegador »



O livro é o melhor amigo do homem


Há livro que nos diverte. Há livro que nos ensina. Há livro que nos faz lembrar e há livro que nos faz esquecer de tudo. Há livro que nos tensiona, há livro que nos relaxa. Há livro que nos leva ao infinito, há livro que nos deixa de quatro no chão. Há livro que nos amplia e a há livro que nos coloca em nossa verdadeira dimensão. O livro acompanha você na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, na fila do consultório e na viagem de avião, no tumulto da rua e no aconchego do lar, na fartura de amor e na indigência afetiva.

Por Edival Lourenço | Ler no navegador »



Jack London, o mito permanente


London escreveu o que viveu, e seus livros têm três cenários distintos: o mais apreciado é, sem dúvida, o da corrida do ouro no Alaska, vindo depois o das ilhas até hoje deslumbrantes do Pacífico Sul e finalmente o espaço político socialista (e comunista) norte-americano do fim do século 19 e início do século 20. Nesses três cenários, Jack London gastou intensamente sua breve existência, viveu as emoções mais profundas, correu os riscos mais mortais, travou as mais duras batalhas. De fato, tinha o que relatar.

Por Irapuan Costa Júnior | Ler no navegador »



Não insista. Deus não é mulher


Há que se controlar a ira para ler o texto até o fim. Prova de amor maior não há. Faça um esforço. Encare o sacrifício como se fizesse um ato de caridade, um cordeiro imolado, aqueles cinco pilas depositados na urna durante o culto. Boa. É isso aí. É assim que se faz. Vamos começar a história. Não insista. Deus não é mulher. Aliás, todo mundo sabe, todo mundo diz, a ordem processual da criação, segundo consta dos autos, foi a seguinte: Papai do Céu concebeu primeiro o homem.

Por Eberth Vêncio | Ler no navegador »


Copyright © 2017 Revista Bula, Todos os direitos reservados.

 Atualize seus dados ou cancele sua assinatura

Email Marketing Powered by MailChimp

Nenhum comentário:

Postar um comentário