quarta-feira, 22 de março de 2017

22/3 - HELIO FERNANDES - 2 TEXTOS

FONTE:http://heliofernandesonline.blogspot.com.br/



terça-feira, 21 de março de 2017

Romero Jucá, o porta-voz da politicalha

HELIO FERNANDES

Enquanto os Três Poderes agonizam, desarmônicos e hostis entre si, um dos personagens mais comprometidos e desmoralizados, aparece em publico, e proclama estarrecedoramente: "Se exterminar a política, o país vai para uma aventura".

Ha dezenas de anos não se faz política no Brasil, e sim a mais vil, deprimente, degradante e corrupta politicalha. E o mais comprometido de todos, que contamina tudo  ao seu redor,tem a audácia de ligar o sinal de alerta.Lá do distante estado de Roraima, foi tudo, ininterruptamente.

 Se tivesse nascido num estado grande e poderoso, (São Paulo, Rio, Minas) já teria sido presidente da Republica. Serviu a todos os governos e presidentes. Ministro da Previdência nomeado insensatamente por Lula, foi demitido antes de completar 4 meses,os deslizes eram maiores do que a paciência do próprio presidente .Mas inexplicável e incompreensivelmente , foi feito líder do mesmo Lula  no Senado Passava a ocupar a liderança que exercera no governo FHC

A LIDERANÇA COMO HERANÇA

Lula passou o cargo a Dilma, mas Romero Jucá, inatingível, continuou. No rumoroso e tormentoso processo de  impeachment, pela primeira vez abandonou a liderança, vestiu-se de almirante, comandou o que ele mesmo identificou como "desembarque do PMDB do governo Dilma". Vitoriosa a travessia com Temer empossado sem voto, sem povo, sem urna, Jucá é nomeado  estrepitosamente e com todos os poderes, Ministro do Planejamento.

Tido e havido como o  segundo político com mais transito e intimidade com temer(o primeiro natural e  permanentemente,Eduardo Cunha) Jucá foi nomeado Ministro do Planejamento. Durou pouco mais de  uma semana,demitido e como de praxe, transferido para a liderança no Senado.

ENVOLVIDO COM A LAVA - JATO, PEDE TODO CUIDADO COM O PAÍS
   
Não ataca de frente a investigação de Curitiba, mas afirma textualmente: "No final dessa operação, a política estará melhor. "E logo acrescenta: "Mas não podemos correr o risco de chegar a 2018, vulnerável a qualquer tipo de loucura". Sempre prudente, previdente e cauteloso, é um dos articuladores da famosa "lista fechada".

Diz que não é oportunismo, apenas manter a representatividade atual. Impedir que apareça algum aventureiro. Falou por mais de duas horas, quase pagina inteira. Jornalisticamente, um achado. Politicamente, crime premeditado contra a sempre traída opinião publica

Seu mandato termina em 2018, está em plena campanha eleitoral. Sabe que num um não será punido, e voltará com um novo mandato de 8 anos. Tão certo disso, que já está conversando para ser presidente do senado em 2019. Diz a mesma coisa para um auditório de  senadores assustados: "Eu sou o único  capaz de absolver vocês todos.

Como tinha que terminar da forma como falou, e sabendo que lidera um  grupo enorme, não apenas no senado, mas também  na Câmara, fica um tempo silencioso, pensaram que havia encerrado. Mas volta com essa frase, que transcrevo textualmente.

"QUEM VAI JULGAR  ESSAS  PESSOAS È DEUS. EU SOU VITIMA DESSE PROCESSO"

Voto em lista fechada

A ministra Carmen Lucia fez a proposta: consulta popular para a reforma política. Tudo que tem apoio popular merece respeito. Mas essa questão que pretendem submeter ao povo, é muito complicada. Adotar o voto em lista fechada para favorecer todos os corruptos, é um risco muito grande. Os corruptos com mandatos e foro privilegiado, controlam os colégios eleitorais, se elegerão  sem trabalho, ficarão na cabeça das listas. Tem que ficar no mínimo como está. 

 Fusão Kroton  - Estácio

São as duas maiores empresas comerciais do setor de Educação. A fusão ainda não completada  tem o objetivo de afastar a concorrência. (O mesmo padrão desnecessário da fusão Sadia-Perdigão). A fusão no setor de educação,pode se transformar num escândalo colossal. 

 As verbas do FIES, estão indo em massa para a Kroton-Estácio. Os educandários que precisam e não são prioritariamente  comerciais, estão enfrentando tremendas dificuldades. O Cade, que controla o setor, começou a criar embaraços para a fusão, desistiu.

O Reino Unido contra o Brasil

Foi o mais exorbitante na questão da carne. Alem de imediatamente suspender todas as compras,  tomou medidas extras. Criou um serviço de controle rigoroso de fronteiras. Pessoas são impedidas de entrar com carne brasileira, mesmo que seja exclusivamente para consumo domiciliar.

Temer, ontem, não saiu da televisão

Diversas vezes e em varias televisões,sempre criticando a policia federal. Usou até a palavra ALARDE, para denominar o comportamento que tiveram. Exagerou, "eles criaram um embaraço econômico para o país". Como tudo era consequencia de  corrupção, o indireto queria o quê?

O Ministro da Agricultura demitiu 2 superintendentes importantes, alem de dezenas de funcionários comprometidos.

MOODYS

A agencia de riscos, está  sempre vigilante  em  relação ao Brasil. Comunicado de agora:" A operação carne fraca, vai trazer grandes problemas e prejuízos para muitas empresas". O obvio. ULULANTE, se quisermos lembrar de Nelson Rodrigues.

PS- Ontem á tarde, foram depositados 250 milhões de reais, nas contas do  do governo do Estado  do Rio.Hoje, quarta, 147 mil famílias de aposentados e pensionistas, receberão 1 mês atrasado.

PS2-Essa é uma parte  dos 350 milhões desviados pelo ex-governado. Faltam 100 milhões que não demoram a voltar.


JT era para ser uma justiça pacificadora
(...) “perguntamos: Qual é a real formação civil de um juiz? Teria ele advogado? Ou trabalhado em alguma empresa, ou mesmo ter possuído algum negócio? Saem do nada, para ditar regras de direito, deformando títulos legais, tudo em nome de uma liberdade conquistada em pleno pulmão da ditadura de 64, com a mão vetusta, e a Lei da Magistratura Nacional - Loman.
ROBERTO MONTEIRO PINHO                              
Quando se fala em conflitos trabalhistas, é preciso refletir sobre a essência da palavra, para que o mal menor não se transforme num mal maior. Com o devido reparo dos que não se dão ao trabalho de pesquisar e consultar as informações dos portais dos tribunais e do Ministério do Trabalho e Emprego estou discordando dos números do desemprego recém divulgados, de que a população ativa (empregada era de 45 milhões).
Na informalidade (sem CTPS anotada) temos 60 milhões. Com isso, a demanda de ações no judiciário brasileiro atingiu total de 115 milhões (desses 34 milhões na justiça laboral). Só na laboral em 2016 ingressaram 4.4 milhões de novas ações.
Hoje são 14 milhões desempregados. (75 milhões informais) e 38 milhões empregados. Em conseqüência dos dissabores da relação laboral, em 2020 teremos 150 milhões de ações. E vamos gastar R$ 400 bilhões para sustentar os tribunais no país. 30% desse valor serão destinados para a Justiça do Trabalho, onde 97% serão para pagar a folha de servidores.
O custo Brasil, tem ingredientes maléficos, um deles o que acabo de alinhar. Quando falo em pacificação, me refiro inicialmente abrupta relação: juízes/serventuários com a comunidade. O preciosismo e as armadilhas das leis trabalhistas, e ainda das decisões dos juízes, desembargadores e ministros da especializada do trabalho, são em sua maioria fora da realidade do próprio negócio. Multinacionais quando se defendem na justiça, possuem os melhores serviços de advocacia.
Das ações na justiça laboral, 67% encalham na fase de execução. E mais da metade se tornam insolúveis. As indenizações arbitradas nas sentenças lotéricas dos seus juízes, superam até os mais otimistas dos advogados que militam nesta justiça.Levar uma revelia na JT, o melhor é fechar o negócio e evaporar. A visão deste cenário deprime e amargura a população que padece com seus magros salários, e distante uma eternidade dos privilégios dos atores internos dos tribunais.
Se extinta a especializada, serventuários debochados, irônicos, ameaçadores e intimidadores, despreparados e pernósticos e seu juízes terão que se contentar em deixar sua "zona de conforto", e terminar seus dias atrás de um balcão rabugento, onde não poderão mais, ofender e pisotear nos demandantes e advogados. EM SUMA: O FIM DESSA JUSTIÇA FOI TRAÇADO PELOS SEUS PRÓPRIOS ATORES.
Perguntamos: Qual é a real formação civil de um juiz? Teria ele advogado? Ou trabalhado em alguma empresa, ou mesmo ter possuído algum negócio? Saem do nada, para ditar regras de direito, deformando títulos legais, tudo em nome de uma liberdade conquistada em pleno pulmão da ditadura de 64, com a mão vetusta, e a Lei da Magistratura Nacional - Loman.
Enquanto o segmento que mais emprega, o pequeno e o micro empregador padecem a deriva das decisões contrárias, impedidos de recorrer diante das taxas absurdas dos recursos, para fazer valer texto de lei, ignorados por juízes desfocados, cujas sentenças são na verdade mera interpretação e inovação. Em 2015 lancei a obra, JUSTIÇA TRABALHISTA DO BRASIL - o fenômeno social agoniza. Em suas páginas estão registradas essas e outras observações, com todo esmero e seriedade, que o tema merece.
Agora uma avalanche composta de pessoas de profundo saber jurídico e que já concluíram que é necessária a medida extrema de extinguir a JT. E se isso ocorrer, ao contrário dos paternalistas que lutam para preservar o status e o elenco de privilégios concedidos de forma criminosa por eles mesmos em suas decisões nos tribunais superiores.
Quanto ao trabalho, a mais valia, estará garantida e os direitos ínsitos em lei, estarão preservados. Uma justiça onde um juiz se negou a fazer audiência com um trabalhador porque ele calçava chinelos, não é digna de se manter na estrutura da Republica.
Quem assiste às sessões dos tribunais trabalhistas, sofre constante com o desmerecimento que esses fazem dos representantes da Ordem dos Advogados do Brasil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário