quinta-feira, 30 de março de 2017

30/3 - O dia em que assassinaram o Planeta Terra

FONTE:Castor Filho <castorphoto@gmail.com>


O dia em que assassinaram o Planeta Terra

Paul Craig Roberts, tradução de btpsilveira

“A mudança na qual você pode acreditar” desapareceu nos primeiros dias do regime Obama assim que foram preenchidos os quadros governamentais em Washington. David Brooks(1) cantou louvores àqueles que tornaram impossível a mudança: “o melhor dos infiltrados em Washington, Tron(s) conquistadores(2) que conseguiram duplo 800 nos seus SATs”(3)
(1)(comentarista político conservador (norte)americano – NT)
(2)(menção ao filme ‘Tron – uma odisseia eletrônica’ no qual uma pessoa é colocada (infiltrada) dentro de um programa de computador – NT)
(3)(SAT – exame que tem alguma similaridade com o ENEM brasileiro, para ingresso nas universidades (norte)americanas – não em todas e não obrigatório. A pontuação máxima é de 1600 pontos, divididos em duas provas – NT)
Oito anos passados, e Donald Trump foi taxativo sobre quais mudanças pretendia fazer, sendo as duas mais importantes a normalização de relações com a Rússia e o retorno para casa dos empregos de classe média, taxando as empresas com base nos Estados Unidos que expatriassem os empregos para o estrangeiro em busca de mais lucros. Mas rapidamente o governo Trump foi chamado às falas e voltou para a causa das corporações poluidoras, dos executivos de Wall Street, grandes empreiteiros de segurança e defesa e generais russófobos.

Os antigos e decepcionados aficionados de Obama se mantiveram firme na convicção de que aquele era o homem que colocaria em ação uma agenda própria e não os infiltrados em Washington que ocupavam seu governo. Os deploráveis desanimados de Trump estão atualmente cheios na mesma convicção. Mas parece que a parte boa prometida por Trump jamais virá, e até agora só tivemos contato com a parte má, de mais poluição e mais dano à rede de seguridade social.

Mesmo entre os que concordam com isso há desacordo quanto à explicação. Alguns insistem que era Trump, e não Hillary, a escolha do establishment desde o início e que a enorme oposição a Trump encenada na imprensa foi apenas uma orquestração bem sucedida para convencer os (norte)americanos ingênuos de que Trump era por eles. Tenho uma visão diferente. Acontece que Trump ameaçou o poder e o orçamento do complexo exército/segurança e os lucros de Wall Street antes mesmo de ter efetivado uma equipe organizada em campo para impor a sua agenda. Ao contrário de Don Corleone, ele foi precipitado.

A seguir, a CIA, FBI, NSA, o Partido Democrata, John McCain e Lindsey Graham e a mídia imprenstituta (presstitute no original em inglês – NT)(*) encurralaram Trump ao retratá-lo como um traidor em conluio com o presidente russo Vladimir Putin para roubar a eleição de Hillary. Instantaneamente, foram coreografadas marchas de protesto pelo mundo inteiro, e houve uma escalada das acusações apresentando Trump e seus aliados como títeres dominados por Putin. Todos os sites na internet que não se alinharam às guerras e provocações imprudentes contra a Rússia, China e Irã foram listados como disseminadores de notícias falsas.

Os ataques contra Trump parecem ter tido sucesso. Trump perdeu imediatamente seu Assessor para a Segurança Nacional, o qual favorecia a normalização das relações com a Rússia. Foi forçado a nomear em seu lugar um russófobo, como maneira de provar que não estava trabalhando para Putin. Recuou das intenções de quaisquer encontros com Putin para reduzir as tensões no relacionamento, que foram causados pelos três últimos presidentes dos Estados Unidos.

A batalha da CIA, de criar uma atmosfera hostil para qualquer um que pense que a Rússia não é um adversário perigoso e principal ameaça aos Estados Unidos foi bem sucedida. Em outras palavras, atualmente qualquer um que prefira a redução de tensões entre potências nucleares é apontado como agente de Putin ou pelo menos um idiota útil.

A vitória da CIA significa que as perspectivas de um Armagedom nuclear permanecem como uma possibilidade concreta, mas pelo menos o orçamento do complexo exército/segurança está seguro e crescendo. Parece um bom acordo para você?

Fico estupefato ao ver os liberais/progressistas/esquerdistas alinhados com a CIA contra a paz e com o globalismo e Políticas da Identidade contrárias à classe trabalhadora. Eles se viraram contra os homens brancos heterossexuais e descaracterizaram a classe trabalhadora de um grupo que sempre foi vítima como se de repente se tornassem agressores de mulheres, negros, homossexuais e refugiados muçulmanos. A esquerda (norte)americana degenerou para as Políticas da Identidade originadas no Sionismo.

Uma vez força que sempre buscou a paz, a esquerda política transitou para lima força pela guerra, porque guerra é o que resultará do alto nível de tensão que agora existe entre Estados Unidos e Rússia. Ao ajudar a CIA a conquistar mais influência e impedir o presidente Trump de reduzir essas tensões, o grupo liberais/progressistas/esquerda assume a responsabilidade por um perigo iminente.

Essas tensões são muito perigosas. Resultam de posturas de alerta de alta prontidão, junto com sinais constantes de perigo, falsas comunicações de mísseis de entrada e desconfiança mútua que criam no conjunto uma situação estratégica muito perigosa.

Washington se comporta de maneira imprudente ao fomentar a convicção de Rússia (e China) de que os Estados Unidos estão se preparando para um ataque nuclear preventivo contra eles. Mas é exatamente isso que os EUA estão fazendo ao colocar mísseis antibalísticos nas fronteiras russas e dizer em seguida que os mísseis são destinados a proteger a Europa dos mísseis nucleares iranianos. O mundo inteiro sabe que o Irã não tem armamento nuclear ou ICBMs. É claro que a Rússia sabe muito bem que Washington está mentindo em relação ao assunto.

O objetivo da propaganda enganosa contínua contra a Rússia que é promovida por Washington, OTAN e pela desprezível imprenstituta ocidental é orquestrar a suposta ameaça russa e impedir qualquer redução de tensão entre as potências nucleares. A demonização do presidente russo e as acusações claramente falsas contra a Rússia, tais como a de interferência nas eleições presidenciais dos EUA, invasão da Ucrânia, reconstrução do Império Soviético – são entendidas pelos russos como uma campanha de propaganda enganosa destinada a preparar as populações ocidentais para um ataque nuclear preventivo contra a Rússia. O envio de tropas para as fronteiras com a Rússia, e os exercícios militares nas proximidades das forças da OTAN são entendidos pelos russos como sendo de pequena extensão e inconsequentes. Não passam de uma orquestração que pretende mostrar para as indiferentes populações de países ocidentais que a Rússia representaria uma ameaça. O governo russo está consciente de que tudo isso é uma preparação para um ataque contra a Rússia. Da mesma forma que Saddam Hussein, Gaddafi e Assad foram demonizados pelos governos dos Estados Unidos, agora é a vez de Putin. O perigo dessa situação não poderia ser mais óbvio.

Mesmo assim, os apoiadores de Hillary, os liberais/progressistas/esquerdistas, os governos imbecis da União Europeia e a mídia imprenstituta ocidental estão completamente cegos para o que está acontecendo mesmo em frente aos seus narizes. Como disse o próprio presidente Putin, “ninguém está nos ouvindo quando mostramos o perigo iminente”.
Por mais prejudicial ao meio ambiente que possa ser um oleoduto, é nada comparado com uma guerra nuclear. Entre os opositores de Trump, a emoção prevalece contra a razão e o ódio domina o julgamento. As consequências para a vida na Terra serão terríveis.
Da mesma maneira que a CIA é totalmente indiferente à ameaça à vida na Terra que a orquestração das alegações de “ameaça russa” representa e os liberais/progressistas/esquerdistas estão tão absortos no seu ódio contra Trump para entender que isso está possibilitando uma guerra nuclear, a equipe de Trump está possibilitando outra catástrofe apocalíptica representada pela afirmação de que o aquecimento global é uma fraude. Que o óbvio e perfeitamente observável derretimento do gelo Ártico possa ser negado como um plano contra o capitalismo pelos cientistas da esquerda demonstra um distanciamento da realidade difícil de entender. Não importa a razão pela qual o gelo está derretendo, a consequência é a súbita liberação na atmosfera do metano destruidor da vida. Até onde eu saiba, não há controvérsia quanto às terríveis consequências da liberação massiva de metano.
Para um mundo que vê a si mesmo como baseado na ciência, é espantosa a diminuta influência exercida pelos cientistas. Eles alertam contra as consequências de uma guerra nuclear e os governos ocidentais continuam escalando as tensões entre as potências nucleares. Os cientistas alertam para as consequências do aquecimento global, e os apoiadores do crescimento econômico poluente gritam: “fraude!”
Leia a avaliação de Dahr Jamail sobre o último relatório científico publicado sobre a possibilidade de uma súbita e gigantesca liberação de metano e depois leia o próprio relatório. Não se trata daquelas notícias falsas que você encontra no New York Times, BBC, CNN, Washington Post, Le Monde, MSNBC e o resto da mídia prostituída. Este relatório é uma opinião científica, avalizada por cientistas e se apoia nos fatos conhecidos disponíveis.
Aquilo que é conhecido entre os cientistas como a “Bomba Relógio de Metano” do Ártico, tem sido estudado intensamente. Os cientistas acreditam que uma “erupção” de 50 gigatoneladas (01 gigatonelada = 1.000.000 de toneladas – NT) de metano pode ser liberada em um curto período de tempo pelo derretimento de gelo Ártico. Pode ser a súbita adição na atmosfera de dez vezes o total de metano que existe atualmente na atmosfera. Os cientistas comparam isso a um crescimento de dióxido de carbono de 1.000 gigatoneladas.
Em outras palavras e com base nos conhecimentos científicos, a continuidade da vida na Terra depende de que o gelo do Ártico não derreta. Mas está derretendo.
Com esses dois cenários apocalípticos descritos neste artigo, tão possíveis quanto provavelmente muito próximos, por que os liberais/progressistas/esquerdistas estão preocupados com instalações sanitárias adequadas para transexuais e a liberdade de imigração para os muçulmanos se dirigirem para a Europa e Estados Unidos? Será uma maneira de não ter que encarar as ameaças reais?
Por que as companhias madeireiras estão cortando florestas inteiras e por que as florestas que ainda restam estão sendo massacradas quando se sabe que as árvores absorvem dióxido de carbono e emitem oxigênio?
Por que existem fazendas comerciais de criação intensiva de bovinos e suínos quando se sabe que o metano originado desse enorme número de animais é grande e um dos fatores do crescimento das temperaturas e derretimento de gelo Ártico?
A resposta é que os buscadores de lucro fácil têm apenas motivações de curto prazo e seus lucros vêm principalmente dos custos externos impostos para terceiros e ao meio ambiente. O esforço para controlar o que os economistas chamam de externalidades requer regulamentação forte e determinada. Em vez disso, a administração Trump declara que a regulamentação seria um obstáculo aos negócios. Em outras palavras, as regulamentações interferem com a capacidade do capitalismo de gerar lucros através da externalização dos custos e, consequentemente, a regulamentação tem que ser abolida.
Nós atingimos o ponto onde a necessidade de uma ameaça russa para as externalidades da atividade econômica e as externalidades do complexo exército/segurança está à beira de exterminar a vida na Terra
A estupidez da Política da Identidade é que essa ideologia não faz a menor ideia de que nós todos somos vítimas dos reais algozes – o complexo exército/segurança dos Estados Unidos e um estilo de vida com base no carbono.
Considerando essas circunstâncias extremas, não importa se mais refugiados muçulmanos, cujos países foram destruídos pelas nossas guerras por hegemonia e que agora buscam a vingança pelo sofrimento que lhes foi imposto, forem admitidos no ocidente. O perigo de ser atropelado em uma ponte de Londres ou em ponto de ônibus na Alemanha por um muçulmano sedento de vingança é minúsculo quando comparado com uma guerra termo nuclear e as catastróficas mudanças em curso na biosfera.
Mas não espere nenhuma tomada de consciência inteligente de qualquer governante ocidental ou de qualquer membro da imprensa prostituída do ocidente. A verdade é a última coisa que interesse nesses disseminadores de notícias falsas. Eles estão mais interessados em fabricar ameaças fraudulentas e não em confrontar as reais.
O que esses supercriminosos estão fazendo é a destruição do Planeta Terra.

O Dr. Paul Craig Roberts foi Secretário Assistente do Tesouro para Política Econômica e diretor associado do Wall Street Journal. Ele era colunista da Business Week, Scripps Howard Service e Creators Syndicate. Suas colunas na internet atraem atenção em nível mundial.

(*) Agradeço a @marce1oz (do twitter) pela preciosa colaboração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário