segunda-feira, 10 de abril de 2017

10/4 - FHC, flagelo do Brasil

Palavra Livre - Davis Sena Filho


Posted: 10 Apr 2017 10:14 AM PDT
Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

FHC gosta de votar no candidato tucano dele, mas conspirou para efetivar um golpe de estado, que rasgou 54,5 milhões de votos concedidos à Dilma Rousseff.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), sem sombra de dúvida, é um dos principais indivíduos que se tornaram flagelos do Brasil, no decorrer de sua história, porque, além de ser irresponsável como demonstrou ao ser um dos principais atores que chancelaram o golpe de estado de 2016, não satisfeito continua com suas provações à base de cinismo, escárnio e hipocrisia.

Agora, tal qual ao senador Aécio Neves (PSDB/Leblon), aquele senador que tocou fogo no Brasil por não aceitar sua derrota para a presidente deposta Dilma Rousseff (PT), o grão-tucano Fernando Henrique Cardoso pede por paz, diálogo e pelo fim do ódio. Agora. Somente agora... Depois de o País virar um inferno, ser desmoralizado e humilhado internacionalmente e o usurpador, *mi-shell temer, realmente e sem dúvida não passar de uma "pinguela", como afirmou o próprio FHC — o Neoliberal Golpista I.

Seria cômico se não fosse trágico, até porque esses golpistas, que tomaram o poder central de assalto como fazem os criminosos nas ruas de todo o País, pediram junto ao TSE a cassação da chapa Dilma/*temer e agora querem que somente a Dilma pague pelo pato (amarelo, suicida e corrupto da Avenida Paulista e da Fiesp), pois na época o PSDB não "sabia" que um pouco mais adiante no tempo e no espaço estaria envolvido até a medula com o principal parceiro do golpe terceiro-mundista, o PMDB de *mi-shell temer, a acompanhá-lo seus chacais de covil, que se aboletaram no Palácio do Planalto, nos ministérios e na Petrobras, sem a legitimidade das urnas até então soberanas.

Trata-se de usurpadores e covardes de um governo ilegítimo e inquestionavelmente impopular, porque composto por moleques autores de bandalheiras e solenemente desprezados pelas principais lideranças mundiais, pois pária e prostituído pela corrupção e a perversidade, a ter como único "projeto" a opressão sobre dezenas de milhões de brasileiros pobres e remediados, que trabalharam e trabalham por toda a vida e que hoje estão com seus direitos civis, trabalhistas e previdenciários sob o tacão de um garrote vil, que pretende eliminar os direitos conquistados pelo povo brasileiro, no decorrer de mais de um século. E aí vem o FHC, na maior cara de pau e desfaçatez, a pedir o fim do ódio. Inaceitável.

Tome-o e pegue-o no colo, Fernando Henrique Cardoso, pois quem pariu Mateus (o golpe à moda los macaquitos) que o embale. Este filho insensato, tenebroso e psicopata é teu! Não queira bancar o esperto, o malandro, e, com efeito, disfarçar seu golpismo elitista, barato, irresponsável e violento, a fim de separar sua condição de acadêmico e "intelectual" de carpetes, salões e gabinetes da realidade dos fatos e, como já é de seu costume, dar outro golpe, agora desta vez contra a verdade, que, segundo a história estudada e pesquisada através do tempo, reservará ao acadêmico da conservadora ABL páginas tenebrosas à sua já medíocre história.   

FHC — o Neoliberal Golpista I — tem de entender e compreender que o seu lugar na história está guardado por ser cativo, bem como as páginas dedicadas ao grão-tucano entreguista e colonizado são sombrias e plúmbeas, pois, além de ter realizado como presidente dois dos governos mais fracassados de todos os tempos, que, inclusive, quebraram o Brasil três vezes e o deixou praticamente desprovido de reservas internacionais.

Trata-se do fundador do PSDB, o partido mais poderoso da direita brasileira, e, sobretudo, um dos principais agentes políticos do golpe parlamentar de estado, que levou à deposição a presidente Dilma Rousseff — a mandatária trabalhista, constitucional e legítima, que não cometeu quaisquer crimes e teve 54,5 milhões de votos, que foram criminosamente invalidados com a cumplicidade e a aquiescência do Judiciário, que se desmoralizou por ser parte ativa e interessada no golpe de republiqueta bananeira e cucaracha, que estuprou a Constituição.

Seguramente, quando a democracia for restabelecida e o repeito às regras democráticas e eleitorais voltar à tona depois de algum tempo sem respirar, será necessário realizar uma nova Constituinte. O Brasil, para quem não sabe ou finge não saber, já vive em uma ditadura "disfarçada", e não adianta golpista fazer cara de paisagem quando os direitos civis do povo brasileiro estão a ser aniquilados, a economia destruída e seus empregos extintos, porque uma burguesia incompetente, covarde e violenta simplesmente não se submeteu às urnas.   

Fernando Henrique é o que poder-se-ia chamar de o fim da picada, porque, certamente, trata-se de um político e sociólogo que não sabe bulhufas de povo, pois não conhece suas necessidades, não compreende o porquê de suas reivindicações e desconhece as realidades do Brasil e de suas regiões, além de ser integrante de um grupo político conservador que despreza o País, recusa-se a pensá-lo para desenvolvê-lo e o trata como se fosse apenas um fazendão exportador de commodities, como nos tempos dos ciclos de cana de açúcar, ouro, café e borracha. Moderno tal sujeito e o bando de golpistas que o acompanha, não?

FHC foi cooptado pelo sistema de capitais há muito tempo e trabalha dessa forma contra o País para que a plutocracia possa cercar o terreno, marcar território e locupletar-se, a deixar que a casa grande brasileira possa continuar com seu papel secular de feitora ou capataz da burguesia nacional e internacional, esta a verdadeira controladora do mercado de capitais e de trustes associados, a exemplo das indústria de armas e petrolíferas, a compor também com os governos estrangeiros exemplificados nos Estados Unidos e seus principais aliados de guerras e de controle do comércio internacional.

Fernando Henrique e a casa grande que ele e seu partido representam sabem disso, porque são cônscios de seus papeis como testas de ferro dos interesses das potências ocidentais, de forma que o País abra mão de suas estratégias de independência e soberania, inclusive no que concerne às militares, científicas e pesquisas, como ocorreu também em âmbitos da diplomacia e do fortalecimento do mercado interno, que foi aquecido e demonstrou que a saída econômica em tempos de crises, ainda mais para países emergentes, é empregar os trabalhadores e facilitar o acesso dos pobres ao dinheiro e ao crédito.

Porém, Fernando Henrique Cardoso continua com seu flagelo anacrônico, pois o tucano é o flagelo do Brasil, o sujeito inconsequente e irresponsável que iniciou já na longínqua década de 1990 o desmonte do Estado nacional e a precarização do trabalho em prol do capital improdutivo, da banca financeira, dos jogos e apostas dos rentistas e aplicadores, que vivem dos juros escorchantes e de papéis "podres" emitidos pelos estados nacionais de países dominados por um capitalismo de terceiro mundo, que tem por propósito explorar e  roubar ao máximo, literalmente, as riquezas da maioria das nações e os salários e os empregos de seus trabalhadores.

O golpe bananeiro e violento foi para isto. E quem fez e faz parte, a ter liderado, entre outros golpistas, a sedição, a desordem e a perturbação da ordem pública? Para quem não sabe por ser analfabeto político ou por cumplicidade e má-fé, o responsável político e partidário, que aquiesceu para que o PSDB se tornasse um partido golpista, além de irrefragavelmente direitista foi o oligarca de punhos de renda, Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal Golpista I. O ídolo dos herdeiros dos reaças e escravocratas da quartelada da casa grande de 1932, que desejam até os dias de hoje que as riquezas do Brasil sejam transferidas eternamente para São Paulo e, consequentemente, para os Estados Unidos. Ponto.

Fernando Henrique Cardoso é a ave de rapina envernizada com os muxoxos de intelectual pedante, que não conhece o mundo nada além de Paris, Nova York e São Paulo. Igual a ele existem incontáveis criaturas, algumas até vencem eleições em São Paulo. FHC é o predador do Brasil! O tucano iniciou a predação em massa do Estado nacional, que não passa de um Estado burguês e patrimonialista.

O Estado que a iniciativa privada gosta que exista para financiar seus projetos e seus fracassos ou falências. Estado para emprestar muito dinheiro a juros abaixo de mercado, por intermédio da Caixa, do Banco do Brasil, do Banco do Nordeste e do BNDES. Aliás, o Amigo da Onça — vulgo *mi-shell temer — poderia retirar da sigla do BNDES a letra "S". E por quê? Porque o "S" significa social. Nada a ver com o *mi-shell e o FHC. Soa como palavrão e poderá ofendê-los.

O sujeito que jogou sua medíocre carreira política definitivamente na lixeira da história é o Fernando Henrique. Lula poderá ser preso mil vezes, mas o será encarcerado sem provas e injustamente, bem como a história o redimirá, além de o Lula com sua hipotética prisão ser ainda mais elevado como líder político de envergadura internacional em relação à sua histórica administração à frente da Presidência da República. Não tem jeito.

Enquanto isto, FHC sairá da vida política pela porta dos fundos, como golpista de quase 86 anos e um dos principais responsáveis, desde o início da década de 1990, pela violência, miséria e desesperança que tomou conta da vida e da alma do povo brasileiro. Um povo à margem do processo decisório e violado em seus direitos, como, por exemplo, a sórdida anulação de 54,5 milhões de votos concedidos pela maioria dos eleitores à Dilma Rousseff. FHC, não haverá de esquecer antes de sua vida chegar ao fim, que ele se tornou um golpista e aventureiro de caráter ditatorial. Exatamente isto o que é o Fernando Henrique.

Tão preocupado com o golpe do qual participou como se preocupa o verdugo com aquele que terá a cabeça decepada do corpo, FHC vaticinou: "Democracia exige certo grau de aceitação um do outro. Acho que só vamos sair de onde estamos, se criarmos de novo um ambiente que permita um jogo de divergências e não de ódio". Só que ninguém acreditou no tucano emplumado, indivíduo sorrateiro que não combina com sinceridade e credibilidade.

Nem os puxa-sacos golpistas da Globo News e da Globo e muito menos os borra-bostas da TV Cultura creem em FHC. A Cultura, a estatal paulista e tucana que pode livremente ter o controle de sua programação conservadora e de direita, o que não ocorre com a estatal federal, que está ocupada por fascistas que censuram a programação, afastam e demitem aqueles que, porventura, questionem as ações e as atitudes de um ditadorzinho de plantão a mando de *mi-shell-temer. Um ditadorzinho que chegou ao poder sem a autoridade do voto por parte de quem o nomeou.

Fernando Henrique chega ao fim da vida como golpista, mas também como mentiroso, quando afirma a seguinte mentira ao Globo, jornal aliado ao PSDB quanto ao golpe: "O diálogo se perdeu quando o PT inventou que o PSDB era o inimigo principal. Uma vez, eu ouvi uma declaração do José Dirceu, coitado, está na cadeia hoje, lamento, perguntando por que eu não ia cuidar dos netos. Uma coisa grosseira, está velho, vai embora. Eu me dava com eles. A briga foi eleitoreira" – tripudiou FHC, que não poderá ser chamado de "Santo", porque o "Santo" da Odebrecht é o governador tucano, Geraldo Alckmin.

Além de ser useiro e vezeiro em cometer escárnios, como o fez com José Dirceu, que está preso injustamente e condenado por intermédio do absurdo e a covardia que é a "teoria do domínio do fato", bem como o disse certa vez a juíza do STF, Rosa Weber, que não tinha provas cabais contra José Dirceu, mas que a literatura a permitia condená-lo, realidade esta que é de uma total irresponsabilidade por parte de uma magistrada, chego à conclusão de que o FHC, além de golpista e ex-presidente incompetente e entreguista, é também vingativo e, com efeito, rancoroso. "Virtudes" de seres menores...

FHC, do alto de sua picardia e cinismo, disse ainda que o PSDB e o PT foram os únicos dois partidos que apresentaram candidatos competitivos para vencer eleições presidenciais, mas que ambos tiveram de se virar para ter maioria no Congresso, mas que o PT institucionalizou a corrupção. Ora veja, o PT institucionalizou a corrupção {por meio de propinas e caixa dois}.

Não é uma maravilha este ex-presidente tucano da República, quiçá o político mais blindado pela imprensa de mercado monopolista e igualmente golpista, bem como corrupta até quando propaga notícias parciais, direcionadas e seletivas, principalmente contra o PT e suas lideranças? Não é uma maravilha? E todo mundo é ingênuo e idiota, não é FHC?  Agora o grão-tucano terá mais um nome nobiliárquico: "Esperto". Agora o "Príncipe dos Sociólogos", o sociólogo que não entende nada de Brasil e de povo será chamado assim: FHC — o Neoliberal Golpista Esperto I.

O ex-presidente continuou com sua esparrela: “(...) Essa visão antagônica com ódio. Ele não aguenta mais, gente. Por isto, FHC quer o diálogo, que ele nunca quis e nunca irá querer. O ex-presidente é um dos principais atores políticos do golpe. Ele manda no PSDB e é ligado a interesses da plutocracia internacional, bem como representa e é porta-voz confiável das oligarquias brasileiras, as mais atrasadas do mundo ocidental, pois herdeiras legítimas e diretas da escravidão de 388 anos oficiais, porque a escravidão ocorre e campeia neste País dado a golpes de estado até os dias de hoje.

Fernando Henrique Cardoso "esqueceu", por cinismo, hipocrisia e conveniência que o PSDB e suas lideranças devem muita satisfação ao Brasil e seu povo. Seu governo entregou o patrimônio brasileiro e foi um fracasso econômico e social. Atualmente, as principais lideranças do PSDB estão mais sujas do que pau de galinheiro, sendo que mesmo assim são blindados pelos procuradores, delegados e juiz da Lava Jato, pelos juízes do STF, TSE e STJ, bem como pelos delegados da PF, que de tão "imparciais" são chamados de delegados aecistas.

Os "Intocáveis", juntos com seus parceiros, serão personagens de um filme chapa branca, financiado às escondidas e que tem por finalidade ferrar com o Lula e o Partido dos Trabalhadores, afinal as eleições de 2018 vêm aí e o Lula NÃO poderá vencê-la de maneira alguma, mesmo se for necessário matá-lo de desgosto como fizeram com sua esposa, dona Marisa Letícia. Afinal, togados e meganhas são cheios de convicções e vazios de provas. Ponto.

Além disso, o PSDB de FHC — o Neoliberal Golpista Esperto I — está presente em todas as listas de delações, não somente as da Odebrecht, mas também em listas e delações de outras empreiteiras importantes e que também controlavam parte do mercado de construção no Brasil. Os escândalos nos quais os tucanos são acusados saem dos limites das construtoras e se expandem em outros setores e segmentos da economia e de poder, como os governos estaduais e municipais.

Escrevi inúmeros artigos no "Palavra Livre" e no "Brasil 24/7" sobre os escândalos, que foram evidenciados em listas. São muitos, desde o já "falecido" Mensalão do PSDB, a passar pelo Banestado, Privataria Tucana, Lista de Furnas, Pasta Rosa, Roubo da Merenda Escolar, Metrozão, Trenzão, Cidade Administrativa em BH, aeroportos, Brasif, dentre incontáveis escândalos de corrupções e rapinagem contra o Brasil e os brasileiros. Todos eles vinculados ao PSDB, e mesmo assim o FHC, por saber que o tucanos são vergonhosamente i-nim-pu-tá-veis, deita falação e "tira onda" com a cara dos outros, principalmente com a cara da sociedade, a parte que não conjura com suas "ideias", princípios e valores.

A parte imensa que teve 54,5 milhões de votos invalidados por golpistas covardes e autoritários. Inaceitável. FHC, veja bem: vossa senhoria não está a falar apenas com coxinhas analfabetos políticos e que compõem com a má-fé intelectual da imprensa de negócios privados e dos golpistas e usurpadores que tomaram o poder de assalto, igualzinho como fazem os criminosos nas ruas, nas casas e no comércio.

Fernando Henrique Cardoso, como diz o povo: "Você não sabe da missa um terço". O PSDB está presente em inúmeros casos de corrupção e, em particular, faz-se presente na Odebrecht, apesar da "cegueira" de conveniência e da seletividade do juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, e do procurador Deltan Dallagnol — o "rei" das convicções e do powerpoint midiático, mas sem provas. FHC, olhe-se no espelho e enxergará o *mi-shell temer, quiçá o José Serra, o Aécio Neves e o Geraldo Alckmin. FHC é o flagelo do Brasil, mas agora pede por "paz, diálogo e o fim do ódio. Seria cômico se não fosse trágico.É isso aí.





Nenhum comentário:

Postar um comentário