sábado, 15 de abril de 2017

15/4 - Jean Wyllys (PSOL) dá uma lição em FHC

FONTE:http://maisvisto.com/2017/04/13/jean-wyllys-psol-da-uma-licao-em-fhc-e-diz-que-pt-estendeu-cidadania-a-milhoes-de-pessoas-leia-mais/


Jean Wyllys (PSOL) dá uma lição em FHC e diz que PT estendeu cidadania a milhões de pessoas! Leia mais..

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) fez uma carta aberta em resposta ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Motivo: FHC se referiu ao mesmo de maneira pejorativa, ao afirmar em vídeo que um recente “bate-boca” entre Wyllys e Jair Bolsonaro (PSC-RJ) seria o resultado da “divisão do Brasil provocada pelo PT.
Dentre os muitos argumentos usados pelo psolista para desmontar o arrogante FHC, há exposição de dados demonstrando que o Brasil é um país desigual e dividido economicamente desde bem antes a chegada dos petistas ao governo federal. Ao contrário do que o tucano prega, diz Wyllys, “os governos petistas trilharam, apesar de todas as suas deficiências, um lento caminho de “reunificação” que estendeu a cidadania a milhões de pessoas.”
Jean Wyllys também pondera que: “Precisamos unir o Brasil, sim. Mas essa união só será possível quando acabarmos com as fronteiras que produzem exclusão e privilégio. Se de algo o PT é culpado não é de ter dividido o país, mas de ter feito muito menos do que muitos de nós esperávamos para uni-lo. E o governo Temer está destruindo o muito ou pouco que foi feito!”
Por fim, o parlamentar do PSOL dá outra pedagógica reprimenda no Dr. FHC: “Não houve bate-boca nenhum no dia da votação do impeachment. Houve um deputado [Bolsonaro] que homenageou um torturador que enfiava ratos na vagina das mulheres, e esse mesmo deputado, quando eu fui proferir meu voto, começou a me insultar, a me chamar de veado, queima rosca e outras expressões chulas e ofensivas. (…) E dessa vez, pela primeira vez, eu reagi, no calor do momento, depois de ter sofrido seis anos de assédio moral, insultos, calúnias e ameaças. O senhor não pode me julgar por uma violência que não sofreu.”
Com informações de: Brasil 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário