Candido
ANTONIO CANDIDO: UM CRÍTICO RIGOROSO, UM SOCIALISTA CONVICTO.
Com pesar, marxismo21 lamenta o desaparecimento de um dos mais criativos e instigantes pensadores críticos do país.
Antonio Candido de Mello e Souza (1918-2017) foi um intelectual que – ao longo de sua profícua existência – sempre cultivou a clareza na exposição das ideias, a erudição destituída do pedantismo e uma refinada acuidade analítica. Nesta breve Nota, não cabe aqui examinar a extensa atividade intelectual de Candido que se manifestou pela atividade docente em diferentes universidades públicas, pela formação de pesquisadores, pela orientação de dissertações e teses, pela produção de livros, artigos e resenhas críticas em revistas e jornais etc.
Como site de orientação marxista, cabe, pois, ressaltar o caráter da intervenção pública deste pensador. Como lembrou um de seus estudiosos, o próprio Candido reconhecia que a marca do estilo intelectual de sua época, a geração Clima, era a “paixão do concreto”. Neste sentido, o intelectual jamais ensarilhou as armas da crítica, participando sempre dos combates políticos de seu tempo. Isso significou um apoio incondicional a todo/as que combateram as ditaduras do Estado Novo (1937-1945) e do regime militar (1964-1985) bem como uma irrestrita solidariedade aos movimentos sociais e partidos políticos que, nos períodos da democracia política (1945-1964 e no pós-1985), se empenham por reformas sociais e econômicas em profundidade na sociedade brasileira.
No entanto, deve-se ressaltar – fato sonegado pela mídia burguesa e ignorado por vários acadêmicos que hoje o homenageiam – que Antonio Candido nunca acreditou na possibilidade de um capitalismo democratizado e humanizado, nem se contentava com o melhorismo social ou politicas de natureza assistencialistas propostos como soluções de esquerda. Como seu amigo íntimo e companheiro d´armas, Florestan Fernandes, Candido sempre afirmou o socialismo como alternativa civilizatória.
Recentemente, em elucidativa entrevista a um jornal da imprensa alternativa, Brasil de Fato, não hesitou reafirmar suas arraigadas posições socialistas. Até sua morte, aos 98 anos de idade, manteve a coluna reta jamais aceitando transigir com suas convicções críticas e socialistas.
Figura humana agregadora e imprescindível a toda/os que lutam pela transformação radical do Estado e sociedade brasileira, na direção do socialismo, ao site marxismo21 cumpre reafirmar a consigna:
ANTONIO CANDIDO, PRESENTE!
Editoria