domingo, 11 de junho de 2017

11/6 - Nota oficial do STF contra Temer

De Canhota


Posted: 10 Jun 2017 05:13 PM PDT
1) No afã de derrubar Temer, a galera tava topando qualquer coisa, mas o TSE não era o caminho. Não havia razão para cassar a chapa vencedora em 2014. Não havia provas. A decisão foi correta. Não tem razão ficarem revoltados com a derrota de uma ação proposta pelo candidato e seu respectivo partido derrotados nas urnas. O relatório do ministro Herman Benjamin era um absurdo à moda Sérgio Moro, que defendia a produção de provas pelos juízes, algo típico em Estados de exceção. E também disse e repito aqui que quero na esquerda quadros com a competência, inteligência, sagacidade e compromisso ideológico que tem o ministro Gilmar Mendes com a direita. 

2) Enfim, ao meu ver, o resultado de 4 x 3 a favor da não-cassação da chapa no TSE tem pontos positivos: I) põe freio na Lava-Jato e na Globo; II) expõe as contradições do golpe e exibe a direita como ela é e com seus rachas; IV) também nos revela como o PT, Dilma e seu núcleo duro foram amadores, não tendo feito nada pra se contrapor à Globo e seus asseclas. Nesse ponto, Temer não é nada bobo e joga o jogo bruto como ele é tem de ser. Por isso, o resultado foi positivo, pragmaticamente falando. Um Temer fraco e sangrando dificulta ainda mais o avanço e aprovação das malditas "reformas".

3) Em 3 anos, essa estupidez de Lava Jato quebrou as indústrias de engenharia pesada, construção civil, nuclear, petroquímica, naval e de exportação de carnes. Em todas o Brasil ia muito bem, nadava de braçada - com todos os problemas e contradições que podemos e devemos discutir de forma aprofundada em outro momento. Agora é centrar esforços e parar o Brasil no próximo dia 30 de junho, greve geral. Passemos da indignação para propostas claras de reconstrução do Brasil soberano, democrático e justo com e para seu povo. 

À luta!
Não às reformas!
Diretas, já!

Abraços,
Daniel Samam
Posted: 10 Jun 2017 05:10 PM PDT
Em nota contundente, a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, reagiu contra a denúncia de que Michel Temer teria usado a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) para espionar a vida do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na mais alta Corte do Judiciário brasileiro.

Nota Oficial


"É inadmissível a prática de gravíssimo crime contra o Supremo Tribunal Federal, contra a Democracia e contra as liberdades, se confirmada informação de devassa ilegal da vida de um de seus integrantes. 
Própria de ditaduras, como é esta prática, contrária à vida livre de toda pessoa, mais gravosa é ela se voltada contra a responsável atuação de um juiz, sendo absolutamente inaceitável numa República Democrática, pelo que tem de ser civicamente repelida, penalmente apurada e os responsáveis exemplarmente processados e condenados na forma da legislação vigente. 
O Supremo Tribunal Federal repudia, com veemência, espreita espúria, inconstitucional e imoral contra qualquer cidadão e, mais ainda, contra um de seus integrantes, mais ainda se voltada para constranger a Justiça. 
Se comprovada a sua ocorrência, em qualquer tempo, as consequências jurídicas, políticas e institucionais terão a intensidade do gravame cometido, como determinado pelo direito. 
A Constituição do Brasil será cumprida e prevalecerá para que todos os direitos e liberdades sejam assegurados, o cidadão respeitado e a Justiça efetivada. 
O Supremo Tribunal Federal tem o inasfastável compromisso de guardar a Constituição Democrática do Brasil e honra esse dever, que será por ele garantido, como de sua responsabilidade e compromisso, porque é sua atribuição, o Brasil precisa e o cidadão merece. 
E, principalmente, porque não há outra forma de se preservar e assegurar a Democracia.

Brasília, 10 de junho de 2017.
Ministra CÁRMEN LÚCIA
Presidente do Supremo Tribunal Federal

Nenhum comentário:

Postar um comentário