sexta-feira, 30 de junho de 2017

30/6 - Palavra Livre - Davis Sena Filho DE HOJE

Palavra Livre - Davis Sena Filho


Posted: 30 Jun 2017 10:02 AM PDT
Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


O juiz de província e de primeira instância, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, faz o que quer e como lhe aprouver, afinal o magistrado herói dos golpistas e usurpadores e político de direita sabe muito bem que este País é a casa da mãe Joana, onde a casa grande esculacha o País, além de dar golpe de estado contra uma presidente reeleita com 54,5 milhões de votos, de forma legítima e democrática.

A mandatária trabalhista que não roubou e não cometeu crimes de responsabilidade, bem como o ditadorzinho terceiro-mundista de Maringá, ligado aos interesses de estado dos EUA, ainda interfere no processo político brasileiro, quando cometeu gravíssimo crime, dentre muitos outros crimes de sua autoria, ao vazar para a Globo áudio de conversas entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula.

Se tal juiz, um dos protagonistas do golpe cucaracha e de terceiro mundo cometesse seus desatinos e covardias em um país desenvolvido e com tradição democrática, certamente que tal sujeito estaria agora a mofar em uma cela de cadeia igual às que ele confina os presos por meio de delações premiadas, sendo que muitos deles encarcerados sem provas, a exemplo de José Dirceu, João Vaccari Neto e Antonio Palocci, dentre muitos outros.

Trata-se de presos sem culpabilidade comprovada que, inclusive, foram levados à força para depor sem nunca terem sido intimados oficialmente para falar perante o magistrado midiático, ideologicamente de direita, além de ser comensal ou conviva das comezainas da casa grande, a quem o servidor público pago com alto salário, com esforço do contribuinte brasileiro, serve com dedicação e empenho.

Enquanto isso, os tucanos do PSDB, do DEM e do PPS, que cometeram crimes de corrupção e são acusados e denunciados com provas robustas, por intermédio de gravações de diálogos, contas no exterior e no Brasil, documentos, anotações e arquivos de computadores, além de pessoas filmadas, fotografadas e presas a carregar malas e sacolas de dinheiro, assim como seus nomes são citados de forma real como pagadores e receptores de propinas, continuam com suas vidas de opulências e fortunas nos bolsos e em suas contas correntes, declaradas aos Fisco ou não.

Contudo, estão aí: livres, leves e soltos, a participar, impunemente e com a aquiescência e a cumplicidade do STF e do MPF, como o do Paraná de Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, acostumados que são a pedir a prisão de pessoas por meio de "convicções", ilações e sem provas concretas, a realizarem, por exemplo, a apresentação de um powerpoint mentiroso, leviano e deplorável, que acusa Lula de ser chefe de quadrilha, mas no final da lamentável apresentação, que envergonha e humilha o Brasil, reconhecem que não há provas contra o ex-presidente trabalhista.

E daí?! O "intocável" Sérgio Moro diria e diz: "Isto não vem ao caso". Exatamente, mesmo após três anos de investigações e de perseguições, que deixariam o tribunal medieval da Santa Inquisição espanhola e seu líder, Tomás de Torquemada, com inveja e a convicção (sem aspas) de que o Brasil realmente tem uma casa grande medieval e com capitães do mato de carácteres e almas escravocratas.     

Não importa. Tem gente privilegiada que possui passaporte livre para cometer crimes, a despeito da Constituição e dos Códigos Penal e Civil. Aqui, neste fazendão de escravos e escravagistas chamado de Brasil, o Judiciário é o capitão do mato da grande burguesia e dos interesses colonialistas dos Estados Unidos. Aqui, neste País que poderia ser rico, independente e influente, existe um Judiciário que permite que um chefão mafioso, a exemplo do presidiário Eduardo Cunha e seus bandoleiros encastelados no Palácio do Planalto e no Congresso derrubem uma presidente constitucional e legítima em pleno século XXI, com a maior facilidade, pois deposta por um Congresso conservador e corrupto, por uma mídia que intermitentemente fez campanha insidiosa em prol do golpe, além de ser alvo de um Judiciário que ordenou juridicamente a sedição contra a presidente reeleita.

Aqui, neste País onde a bagunça proposital impera para que os ricos fiquem mais ricos e o Estado se torne patrimonialista para privilegiá-los e beneficiá-los, um presidente sem autoridade e legitimidade (sic) é acusado de ser ladrão em pleno mandato, bem como parte dos integrantes de seu ministério caiu de podre, além de a outra parte (Moreira Franco, Eliseu Padilha et caterva) está a fugir da polícia e da Justiça, porque há anos assaltam o Estado nacional, assim como lutam para permanecer no poder, pois se manter no desgoverno golpista representa ter foro especial por prerrogativa de prisão, mais conhecido popularmente como foro privilegiado.

Enquanto isso no país dos tupiniquins, o Geddel Vieira Lima, o Romero Jucá (este é líder do desgoverno no Senado!) estão livres para tocar suas vidas, sendo que já são oito os ministros desde que o presidente (sic) corrupto e ladrão, conforme a PF e a PGR, assumiu o poder maior da República por intermédio de traição e golpe. Alguns, como o Henrique Eduardo Alves estão presos, mas há outros, a exemplo de José Serra, que, para ficar em uma posição de discrição, ou melhor, em uma situação de quase morto, sumiu das mídias, pois, irremediavelmente, envolvido com casos de corrupção, como indicam as delações divulgadas pelos MPF e PF. Diga-se de passagem: denúncias sólidas e com provas, a exemplo de suas contas no exterior não declaradas.

Porém, os "ladrões" são o José Dirceu, o João Vaccari Neto e o Lula, dentre outros, ainda mais se for do PT. Dirceu foi preso pela famigerada teoria do domínio do fato e está solto porque realmente nunca foram apresentadas provas consistentes de que ele tenha incorrido em crimes, assim como o Vaccari, que está ainda preso porque o juiz Moro não obedeceu à determinação do TRF-4 de soltá-lo, pois, obstante, o juiz considera, a seu bel-prazer, que o Vaccari responde a outros processos, mesmo sendo eles baseados em delações premiadas formalizadas por bandidos e também por pessoas que não devem à Justiça.

Pessoas que foram envolvidas no processo da Lava Jato em diferentes formas e graus de participação. Quem está preso delata até sua mãe para sair da cadeia. Esta é a verdade, até porque muitos dos condenados pegaram mais de 20 anos de cadeia, o que não é brincadeira, como também chama a atenção de todo o Brasil e do mundo a obsessão da Lava Jato e de seus operadores para prender o Lula e, com efeito, tirá-lo à força da luta eleitoral pela Presidência da República.

Ninguém dá um golpe de estado contra seus inimigos políticos, para depois a corrente política deste mesmo inimigo assumir o poder central por força das eleições e da democracia. Essa corja é antidemocrática, antipopular e antinacionalista. Não estão nem aí. Ficaram 13 anos sem o controle do Governo Federal e resolveram dar um golpe. O golpe dos sem vergonhas praticados pelos patifes que assumiram o poder e pelos cafajestes que foram às ruas, de forma inconsciente ou consciente.

A concretização de um golpe só se torna possível em uma republiqueta bananeira dominada por uma "elite" branca e rica atrasadíssima, de maneira que o País afunde em uma crise sem precedentes, que destruiu sua poderosa economia, aumentou exponencialmente o desemprego, a violência e a desesperança, bem como gerou tanta insegurança, que os estrangeiros deixaram de investir no Brasil e seus governantes se recusam a aparecer ao lado de um presidente (sic) corrupto, golpista e usurpador, que é tratado como ele deve ser tratado, ou seja, como um pária, o bastardo que ninguém leva a sério, a não ser a escória que o acompanha em seus desatinos e que com ele ainda vai cair do poder criminosamente usurpado.

Dito isto, pois realmente a acontecer, o juiz injusto, partidário, ideológico, parcial e seletivo, que atende pelo nome de Sérgio Moro, continua a fazer covardias e a julgar e a prender pessoas que comprovaram não ter cometido crimes, a não ser participar dos governos do PT ou ser membro do partido ou aliado. É o caso de José Dirceu e o de João Vaccari Neto, que continua preso, volto a ressaltar, mesmo depois de o TRF-4 o ter considerado inocente e determinado sua saída da prisão.

Moro negou o alvará de soltura a Vaccari e continua com sua vocação para Torquemada seletivo e partidário, a fechar os olhos para os crimes dos tucanos, a exemplo de Aécio Neves (PSDB), sua irmã Andréa e seu primo Frederico Pacheco de Medeiros, assim como mantém grande parte dos corruptos do PMDB soltos e felizes com suas vidas de opulência, muita grana e patrimônios mil.

É a festança ou a patuscada ou o regabofe da direita brasileira escravocrata, que tomou o poder de assalto e agora está a vender o patrimônio público da Nação brasileira, como se esses bandoleiros de terceiro mundo tivessem vencido as eleições e seus programas de governo (sic) apresentados e aprovados pelos milhões de eleitores, sendo que a maioria elegeu Dilma Roussef como presidente do Brasil. Em países desenvolvidos, essa cambada de malfeitores estaria presa há muito tempo; e em países sob regimes radicais esse bando seria punido com a pena de morte. Ponto.

Só no Brasil das bananas um juiz de primeira instância faz o que faz. É a cara do Brasil que tem os focinhos e as carrancas da burguesia e da pequena burguesia. Essa gente se comporta como bárbaros e selvagens e disfarçam o mau-caratismo com o verniz dos ternos e vestidos bem cortados, o carrão importado, o perfume francês, a bebida cara, a frequência em bons restaurantes e eventos aburguesados, além  de um banho de lojas, quiçá em Miami. E a fazer isto, consideram-se civilizados e acima de quaisquer suspeitas quanto aos seus (lamentáveis) pedigrees.

Torcem o nariz para o Brasil e seu povo, mas não abrem mão de ganhar muito dinheiro em cima da exploração do trabalho desse mesmo povo, que ora está à mercê do governo (sic) mais corrupto de todos os tempos, cujo presidente (sic) é o primeiro, na história do Brasil, a ser denunciado por ter roubado em pleno mandato. Uma vergonha inigualável, que humilha o Brasil e o coloca realmente em uma posição de republiqueta bananeira e cucaracha. A cara da casa grande e de seus coxinhas amestrados e doutrinados.

Os coxinhas que tripudiaram sobre seus direitos trabalhistas e aposentadorias, a prejudicar suas gerações futuras, os trabalhadores, além de cooperar com os golpistas que tomaram de fato o poder real, a interditar a criação de empregos e negligenciar a soberania do Brasil. Os coxinhas que viram o Pré-Sal pertencer a estrangeiros, além de ficar por 20 anos a ter "congelados" os recursos públicos para a Educação e a Saúde. Não é incrível e inacreditável?

Trata-se de um povinho que se auto-aniquila, que se acha feio quando se olha no espelho, que se considera pior do que os outros e que detesta ser brasileiro, porque irremediavelmente colonizado e com a autoestima estima tão baixa, que seria muito adequado a um cidadão dessa estirpe ser objeto de estudos psicanalíticos e psiquiátricos. Destruíram o País e apoiaram o golpe de estado de corruptos, ladrões e entreguistas. Deram tiros em seus próprios pés, assim como entregaram de bandeja seus interesses e direitos a abutres que trabalham para a banca financeira nacional e internacional. Os coxinhas são dignos de muito estudo por parte da Psicologia e da Antropologia, tal qual como se estuda os homens das cavernas.

Agora estão a se esconder em suas casas, não falam nada, pararam de bater panelas e de fazer micaretas nas ruas, pois travestidas de protestos, bem como a ter como combustível muita cerveja e cachaça. A verdade é que o tema da corrupção apenas serviu como matéria prima da imprensa corrupta e de mercado para fazer a cabeça dos coxinhas, que jamais combateram a corrupção, mas apenas, após as quatro derrotas de seus candidatos a presidente, resolveram se juntar aos barões das mídias monopolizadas para derrubar a presidente eleita pelo PT e seus milhões de eleitores.

Os coxinhas deram um golpe até em seus familiares, amigos e colegas que elegeram Dilma Rousseff. Não se importaram, porque despolitizados, arbitrários e autoritários. Eles quiseram estancar a ascensão dos pobres e a busca pela igualdade. Os coxinhas golpearam a democracia e sabem disso, como também não têm a mínima preocupação com a soberania do País e com seus projetos estratégicos de independência e autonomia. Eles são irremediavelmente bárbaros com o verniz de "educados".

O juiz Sérgio Moro representa tudo isto o que está a acontecer no Brasil. O magistrado é o substrato desse processo dantesco que desconstruiu o arcabouço político e democrático brasileiro, como se fosse o exemplo emblemático da "revolução" às avessas promovida pelos conservadores, ao ponto de eles chamarem de "reformas" o que é, na realidade, demolição. A demolição dos direitos civis e sociais. Ponto.

E tudo isto para tomar de assalto o poder central, de forma que os programas e os projetos do governo golpista fossem efetivados à margem do voto popular depositado nas urnas, além de estratégia para que os usurpadores escapassem da cadeia. A delação premiada, para quem não sabe, é um instrumento que foi fortalecido pelo PT, bem como criou a Controladoria Geral da União (CGU), o Portal da Transparência e deu a importância, a credibilidade e as condições para que o MPF e a PF pudessem trabalhar com independência e dignidade, a não faltar-lhes pessoal, recursos financeiros e logística. *mi-shell temer, o Pária, tomou o poder de assalto, sendo que uma das primeiras ações que tal traidor realizou foi extinguir a CGU. Não é necessário explicar seus motivos, né?

Os procuradores, por exemplo, e os juízes do STF sempre puderam escolher o candidato em lista tríplice para assumir seus cargos como juiz do Supremo e procurador-geral, o que pela primeira vez, após os governos petistas, não ocorre, porque o ilegítimo *mi-shell temer nomeou uma procuradora que constava em segundo lugar na lista tríplice e mesmo assim assumiu o cargo mais importante da PGR. Agora, vamos à pergunta? Por que o golpista, o pária internacional acusado de ser ladrão agiu dessa forma? Com a resposta, o próprio usurpador do poder que não é e nunca foi seu.

Além disso, delação não é prova. Delatores podem mentir e omitir, bem como sabem que se forem levianos e faltar com a verdade ainda têm a chance de se redimir, o que, sem sombra de dúvida, faz o juiz Moro e os procuradores obsessivos comemorar, porque sempre terão a oportunidade de incluir o que antes não conseguiram incluir nos depoimentos concedidos pelos delatores presos preventivamente, alguns há anos encarcerados sem ser julgados, o que, de alguma forma ou outra, força o preso entregar até sua mãe, pois o que interessa a ele é se livrar da cadeia.

Mentem e são beneficiados com a diminuição da pena ou com a prisão domiciliar, em seus confortáveis apartamentos ou luxuosas casas. É o fim da picada. Enquanto isso, o Lula é chamado de "ladrão" por meio de acusações da Lava Jato, sendo que ele mora há décadas no mesmo apartamento e nada que pudesse macular o nome do ex-presidente foi encontrado, achado, gravado, ouvido, filmado e fotografado. Quebraram seus sigilos bancários, telefônicos e recolheram computadores e celulares. E o que aconteceu? Nada que pudesse incriminar o Lula foi encontrado. Esta é a verdade! 

Nem contas bancárias ou gastos bancários fora da normalidade foram encontrados. A perseguição a Lula é histórica e cada personagem desta época terá seu papel indelevelmente marcado nas páginas da história do Brasil. E a verdade será dita, pois inquestionável. A verdade é a verdade e ela desmonta e destrói qualquer conspiração, golpe e bandidagem. Ninguém derrota a verdade, que sempre aparece mais cedo ou mais tarde. O ônus da prova deveria ser do Moro e de seus aliados políticos da Lava Jato. É surreal. Lula tem de provar que é inocente ao dizer que os imóveis não são seus, porque nunca foram seus, porque nunca foram lavrados em seu nome ou de qualquer parente seu.

Como disse o respeitado advogado Antônio Carlos de Almeida Castro (Kakay): "O juiz Moro alegou que vários delatores falaram de Vaccari. Ou seja, irresponsavelmente, o que foi usado para condenar é uma delação que sustenta outra delação! Há tempos criticamos o uso indiscriminado da prisão preventiva", para logo complementar ao falar da Lava Jato: "(...) Sou de um tempo em que as pessoas iam para rua pedir liberdade, hoje os jovens vão para pedir prisão. Que sociedade sairá destes excessos? Todos nós queremos o combate à corrupção, mas dentro do respeito às garantias constitucionais (...)"

O advogado, na verdade, estava a criticar as prisões da Lava Jato, inúmeras sem critérios e que atropelaram as leis do País. Kakay perguntou se a prisão preventiva de Vaccari era necessária, além de indagar sobre quem devolverá ao ex-tesoureiro do PT os dois anos e dois meses que ele ficou preso (ainda está preso) injustamente, porque nada foi comprovado quanto ao cometimento de crimes por sua parte.

João Vaccari Neto, como muitos outros, a exemplo de Dona Marisa Letícia e o Lulinha, foram achincalhados e linchados em público, com enorme exposição nas mídias de direita que destruíram a economia do Brasil e estão cooperar para desmontar o Estado nacional e a mandar para o espaço o Estado de Direito. Julga-se seres humanos pela imprensa de negócios privados, a pior e a mais corrupta do planeta, sem sombra de dúvida, pois totalmente irresponsável e inimiga dos interesses do Brasil. Sempre agiram assim. É histórico.

Humilharam João Vaccari Neto. Martirizaram sua família e insultaram seus amigos e colegas, pois Vaccari não roubou, mas cometeu um grave erro para os tempos de perseguição macartista desses tempos: é membro do Partido dos Trabalhadores. E ser do PT é ser considerada uma pessoa à margem da lei, o que não se justifica e jamais será a verdade, porque o PT é o partido mais importante da América Latina, é a agremiação histórica deste País e a que realizou profundas mudanças, e para melhor, no Brasil e ao povo brasileiro.

O PT deu voz ativa às minorias, aos trabalhadores e a setores amplos da classe média. Não se engane ou se equivoque quem pensa o contrário por motivos de preconceitos político e de classe social. Não é à toa que o Lula lidera todas as pesquisas e que o juiz Moro e o campo da direita do qual ele faz parte estão desesperados, com ódio e totalmente dedicados para que o Lula não volte a sentar na cadeira da Presidência da República.

Porém, o doleiro delinquente e de estimação do juiz Moro — o Alberto Youssef — desde os tempos do caso Banestado, um escândalo bilionário muito conhecido pelo juiz e pelo procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos procuradores do powerpoint mentiroso e leviano contra o Lula, está solto. E por quê? Porque ele fez mais uma delação premiada em sua vida, como o fez nos tempos do Banestado, que acabou não dando em nada. Não é mesmo, juiz? Não é verdade, procurador?

Agora a sociedade brasileira terá de esperar para ver se o juiz Moro e os procuradores da Lava Jato soltarão o Vaccari. Vale lembrar que os paladinos do Judiciário seletivo e partidário estão a ser denunciados por estar a ganhar muito dinheiro por causa da operação que coordenam e controlam, conforme afirmam a OAB e a imprensa de mercado aliada deles desde de sempre, porque o que interessa é interditar a candidatura Lula.

Essa gente "genial" destruiu centenas de empresas ligadas à indústria pesada, a de base, além da construção civil, bem como exterminaram com milhões de empregos dos brasileiros, terá um dia de responder perante a história, porque para dar um golpe de direita tiveram de cometer crimes contra as leis, o Estado nacional, a cidadania e os interesses estratégicos do Brasil, a exemplo do setor nuclear, que é avançado e com tecnologia própria.

Esses caras do Judiciário não têm a mínima noção do que é ser estadista e conhecedor das necessidades e das agruras do Brasil e de todas suas regiões, porque vivem em redomas de cristal. Trata-se da pequena burguesia ávida de status, que chegou ao nirvana por meio de um concurso público, de uma operação midiático-policial e pensa ser dona da verdade e do conhecimento por ter feito curso de Direito, pois presunçosa, arrogante e autoritária. É a classe média em toda sua perversidade e decrepitude moral, como demonstrado nas ruas e nas redes sociais.

Sonham os togados e meganhas com a ascensão social e a consumir bens móveis e imóveis, viajar, comer em restaurantes caros, além de frequentar os salões da burguesia, da verdadeira casa grande, a que manda roubar e matar por meio da política e da economia, sem dar um tiro sequer, porque apenas usa a caneta com arma de exterminar os pobres e os remediados, que são os trabalhadores, que sempre enriqueceram as "elites" mais atrasadas do mundo, cujos setores do Judiciário atendem seus interesses como autênticos capitães do mato.

Moro não quer prender o homem Lula. O juiz Moro e os procuradores obsessivos do powerpoint leviano e mentiroso querem matar o que o Lula representa e representou na história do Brasil e no imaginário do povo brasileiro. A burguesia não está a julgar o Lula, mas está a julgar seu vitorioso, democrático e competente governo de oito anos, quando saiu com índices de aprovação superiores a 90%. Maiores do que os índices do internacional e respeitado Nelson Mandela. Oito anos e não despencar em aprovação é um fato raríssimo em todo o mundo. Pesquise.

O Brasil nunca teve tanto acesso à democracia e a direitos como nos governos do PT. Nunca o povo e seus inúmeros setores e segmentos foram tão respeitados, recebidos e ouvidos, inclusive no Palácio do Planalto. Os pobres pela primeira vez subiram a rampa da Presidência da República, pois incluídos no Orçamento da União.

Um dos principais motivos do golpe foi retirar o povo do orçamento e dar fim aos programas que viabilizaram a inclusão social, principalmente da crianças e dos adolescentes de famílias pobres. O golpe de direita e que tem a participação vergonhosa do Judiciário, ou seja, de homens e mulheres que são técnicos e operadores do Direito tem como fundamento principal manter o povo brasileiro como mão de obra barata, quase escrava em um retrocesso que remonta o período da República Velha e do fim do Império.

Quem trabalha com o Direito no âmbito do Estado não tem o direito de ser covarde, elitista, preconceituoso, partidário, mentiroso e golpista. Absolutamente. Portanto, são essas realidades  históricas elencadas neste artigo que movem o ódio, o rancor e a intolerância da casa grande e de seus aliados — os lamentáveis coxinhas com vocação para patos, de preferência amarelos.

João Vaccari Neto é mantido preso por causa desse processo de perseguição e de combate ao PT, à Dilma e ao Lula, que para o establishment não podem novamente conquistar o poder central. Manter os petistas na cadeia significa mantê-los nas manchetes da bilionária imprensa empresarial e familiar e, consequentemente, levar o debate político, ideológico e eleitoral para o âmbito do escândalo e para os assuntos policialescos.

A direita, além de golpista, sempre se pautou para interditar o debate. E por quê? Respondo: os direitistas nunca tiveram propostas de desenvolvimento e projeto para o País. Essa gente nunca pensou o Brasil, afinal os conservadores vivem a olhar e a sonhar com meia dúzia de países europeus e com os EUA. Eles são irremediavelmente colonizados e portadores de um complexo de vira-lata sem igual e sem par no mundo ocidental.

O juiz Sérgio Moro soltou vários empresários e executivos que roubaram milhões e milhões do Erário Público. O magistrado soltou mais uma vez na sua vida o doleiro Alberto Youssef, criminoso de estimação do high society, mas mantém preso o ex-tesoureiro do PT, como o fez com o José Dirceu e o José Genoíno. Vaccari foi liberado da cadeia pelos desembargadores do TRF-4. Quem mandou, João Vaccari, você ser do Partido dos Trabalhadores? Deveria ser do PSDB. Veja o Aécio Neves e cia. Contudo, não vem ao caso. É isso aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário