terça-feira, 4 de julho de 2017

4/7 - Palavra Livre - Davis Sena Filho DE HOJE

Palavra Livre - Davis Sena Filho


Posted: 04 Jul 2017 08:12 AM PDT
Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


"Se você pertence a certos partidos vermelhos, está proibido de formar quadrilha. Após esta zoeira, desejo um ótimo final de semana a todos". (Prefeito Nelson Marchezan Júnior, do PSDB, ao deixar implícito em ato falho, no facebook, que os tucanos são inimputáveis, ao ironizar os petistas após o ministro do STF, Marco Aurélio Mello, devolver o mandato de senador a Aécio Neves — o megadelatado) 

Agora vamos à pergunta que se recusa a calar: os tucanos são livres para formar quadrilha? O PSDB é inimputável aos olhos da Justiça e do Judiciário? Parece que sim. Basta olhar para o governo corrupto de golpistas do qual os tucanos fazem parte.

A semana que passou foi "pródiga" com pessoas denunciadas e acusadas de cometer crimes, sendo que ilegalidades praticadas por indivíduos ligados ao presidente (sic) golpista, *mi-shell temer (PMDB), e ao igualmente golpista, senador Aécio Neves (PSDB), este último afastado do mandato, que ora foi restabelecido pelo juiz do Supremo, Marco Aurélio de Mello, com direito a elogios, foram soltas, sendo que o juiz Edson Fachin resolveu liberar das grades o operador do presidente (sic) *temer, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures.

Este suplente de deputado foi pego em flagrante com R$ 500 mil em uma mala. Loures foi filmado pela PF, bem como gravado. Os elogios do juiz Marco Aurélio a Aécio Neves só pode ser considerado como um deboche ou escárnio pela sociedade, porque o tucano cheio de bronca e que incendiou a fogueira do golpe, em uma sedição sem precedentes, cooperou com grande destaque para destruir a poderosa economia do País, bem como o jogou em um buraco sem fundo, pois a grave crise política e institucional não tem hora e nem dia para acabar.

Como já diziam os sábios: "guerra é fácil iniciar, mas como ela termina nunca se sabe". Contudo, a presidente legítima, legal, constitucional e reeleita se chama Dilma Rousseff, e ela vive no Brasil, a lutar pela democracia e pelos direitos civis do povo brasileiro. Dilma é convidada para fazer palestras no Brasil e no exterior, sendo repeitada em sua dignidade e reconhecida pelo seu valor político e intelectual.

Enquanto isso, temos um Poder Executivo dominado por ladrões, que deram um golpe de estado bananeiro e cucaracha para não serem presos, além de impor um programa econômico diabólico, que arrasou a economia, a tal ponto que ela se encontra em estado falimentar ou comatoso, porque a inflação neste País de escravocratas se tornou depressão.

Toda esta miserabilidade político-institucional, exemplificada em irresponsabilidade, ganância, arbitrariedade e autoritarismo, que se traduz nesse infame e sórdido golpe, foi efetivada por um consórcio de direita que é composto pelo Judiciário (STF, MPF e PF), pela imprensa de mercado e familiar, pelo Congresso mais corrupto e conservador da história do Brasil e pelos partidos direitistas, à frente o PMDB, o PSDB e o DEM.

Porém, são os tucanos que agem como pontas de lanças do golpe, porque é o PSDB, derrotado pelo PT em quatro eleições consecutivas, que dá sustentação ao desgoverno do presidente (sic) corrupto, *mi-shell temer, considerado o chefe de quadrilha mais perigoso do País por um gângster igualmente perigoso, que é o caso do dono da JBS, Joesley Batista, que tem sociedade com seu irmão, Wesley.

Entretanto, os psicopatas da cleptocracia (governo de ladrões) estão a comemorar os últimos benefícios que receberam por parte de um STF desmoralizado e desacreditado pelo povo, não somente por permitir que um ladrão que se tornou presidiário derrubasse do poder uma presidente que não roubou e não cometeu crimes de responsabilidade, mas, sobretudo, por ter permitido que o juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, interditasse a democracia, o Estado de Direito e ainda cometesse crimes gravíssimos, como o vazamento do diálogo entre Dilma e Lula.

Em um País desenvolvido, tal juiz seria preso e demitido para o bem do serviço público. E não é só isto. Dentre as incontáveis ações cometidas contra a democracia brasileira, as duas últimas fazem cair o queixo. E não é que o juiz Edson Fachin libera o Rodrigo Rocha Loures, o menino de recados e carregador de malas abarrotadas de dinheiro ilegal, além de ser homem de confiança do usurpador *mi-shell temer?

O que se observa no País é que Fachin evitou que Loures delatasse e, consequentemente, a crise político-institucional se tornasse ainda maior do que é, afinal a direita — e o STF é parte importante do consórcio de direita que levou Dilma à deposição — quer evitar eleições diretas antes de 2018 e, consequentemente, garantir tempo hábil para que os golpistas de direita possam se mobilizar em prol de um candidato ao menos competitivo, porque o PSDB está desmoralizado, apesar de nenhum tucano ter sido preso, mesmo com as evidências em forma de provas de que suas principais lideranças corromperam e foram corrompidas.

Como os tucanos são golpistas e usurpadores, como tais irão frequentar as páginas da história, pois apoiam um presidente (sic) que age há décadas nos porões da corrupção e é tratado como pária em âmbito mundial, porque todo mundo sabe que ele é golpista, ilegítimo, corrupto e criminoso, de acordo com as acusações perpetradas pelo PGR Rodrigo Janot.

E é por isto e por causa disto, dentre muitas outras questões que desabonam o *temer, que o G-20 se tornou G-19, porque o Brasil na mão da direita golpista, provinciana e subalterna, tornou-se apenas um satélite ou apêndice dos EUA, fato este que deixa a burguesia e a pequena burguesia brasileiras satisfeitas, pois notórias suas condições de vira-latas subservientes e sem quaisquer noções e sentimentos de nacionalidade e independência.

E deu no que deu: humilhações e revoltas para os brasileiros, os que lutam há gerações por um Brasil justo, livre, democrático e desenvolvido. Destruíram propositalmente a economia e estão a desmontar o Estado nacional para roubar, tirar o pobre do Orçamento da União e vender seu patrimônio público. Ih, já estava a esquecer de relembrar: deram um golpe cucaracha e terceiro-mundista para não serem presos, com a aquiescência e a cumplicidade dos juízes burgueses do STF. Vergonha!

Depois de o juiz Fachin soltar o carregador de mala cheia de dinheiro (R$ 500 mil — Imagine quantas malas ele já carregou para o *temer), o tal do Loures antes que ele delatasse, o juiz Marco Aurélio de Mello manda devolver o mandato do senador golpista do PSDB, Aécio Neves, que poderá, sem dúvida, interferir nos processos que ele responde, bem como demonstrou em gravação feita pela PF ter muito poder, afinal Aécio deu ordens até para o condestável juiz Gilmar Mendes, do PSDB do Mato Grosso.

Gilmar é o Babalorixá do STF e a herança maldita de FHC — o Neoliberal Golpista I —, aquele grão-tucano que foi ao FMI três vezes, de joelhos, humilhado, com o pires nas mãos, porque quebrou o Brasil três vezes, mesmo a ter realizado a segunda maior privatização (entreguismo) da história da humanidade, pois a primeira foi realizada pela Rússia, após o fim da União Soviética. Não é um "gênio" o "competente" FHC? Realmente, o PSDB jamais pensou o Brasil, pois seu único projeto é vender o País e atender o establishment internacional. Uma verdadeira desgraça para a Nação este partido de direita, de caráter golpista, defensor e porta-voz dos ricos.

O "Mineirinho" ou o "Chato" da lista da Odebrecht e de outras listas é o campeão em responder processos, bem como agora retoma suas atividades parlamentares, além de já ter avisado que retornará à presidência do PSDB. O que tudo isto representa na conturbada política brasileira? Significa, sem sombra de dúvida, que os tucanos, principalmente os mais antigos, a exemplo de FHC, Geraldo Alckmin, José Serra, Aloysio Nunes Ferreira, Antonio Anastasia, Cássio Cunha Lima (este já foi cassado quando governador da Paraíba e está aí a marcar posição a favor do golpe), Tasso Jereissati, Dalírio Beber, Beto Richa, Marconi Perillo, José Aníbal, Duarte Nogueira, Arthur Virgílio Neto, Yeda Crusius (RS) e Aécio Neves, dentre outros inimputáveis, são os representantes do estableshiment. Eles são o establishment no poder público. Trata-se dos garantidores do status quo. Por isto, não são presos ao ponto de o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, implicitamente afirmar que os tucanos podem tudo por serem inimputáveis.

O que esses tucanos têm em comum? Respondo: todos eles respondem a processos, com provas robustas, porque deixaram rastros de delitos, que estão nas mãos da PF e do MPF, bem como do STF e de outros tribunais. Então por que os tucanos não são presos? Porque, como os mundos animal, vegetal e mineral sabem, os tucanos são o grupo político que, dentro do Congresso, mantém o desgoverno do presidente (sic) *mi-shell temer a respirar por aparelhos, pois praticamente um cadáver político e administrativo, que tenta chegar a 2018 e, quiçá, entregar o poder central violado e usurpado pelo golpe para um político de direita que, de preferência, saia das hostes do PSDB. Ponto.

Os juízes do Supremo sabem disso e compreendem o contexto político geral. Com isto, o STF se acumplicia da forma mais tenebrosa e calhorda possível com a sedição de terceiro mundo, como parte intrínseca do consórcio de direita patrocinado pela casa grande — a verdadeira dona do status quo e que luta há séculos por um Estado patrimonialista para defender seus interesses e ajudá-la a ser mais rica do que já é. Este é o único projeto da direita: ser rica e manter suas riquezas com mão de obra barata, além de negar instrução para o povo, que é o motor da produção e que gera riqueza à burguesia escravocrata deste País.

Por sua vez, o golpe de estado, esta obra inesquecível, infame e sórdida da direita, está realmente nas mãos do STF, que, se seguir e levar a cabo as acusações de Rodrigo Janot ao desgoverno de desventuras e desesperanças de *temer/PSDB, a única saída honrosa, sensata e factível para a sociedade é a posse de Dilma Rousseff como presidente da República, porque autoridade legítima e legal, além de a magistrada decidir se antecipa as eleições diretas para presidente ou se mantém no poder, pois cargo conquistado pela maioria dos votos dos brasileiros, o que a torna a primeira mandatária do País, já que legitimada constitucionalmente pela soberania popular das urnas.

A redenção do STF, queiram ou não, começa pela restituição da legalidade e da legitimidade no que concerne a restabelecer o compromisso com a democracia, com o Estado Democrático de Direito, com a Constituição e com a efetivação de justiça à Dilma Rousseff, que foram criminosamente sangrados inúmeras vezes, principalmente a partir de 2015, quando ficou claro e transparente que a direita brasileira, em todos seus setores e segmentos, iria derrubar do poder a mandatária trabalhista reeleita pelo povo com 54,5 milhões de votos.

É incrível, inacreditável, inenarrável e indescritível o que aconteceu no Brasil, um dos países que lideravam até o ano de 2014 as relações diplomáticas, políticas e econômicas em termos mundiais. Também é igualmente surreal que, em apenas três anos do processo real de golpe, o Brasil ter rapidamente desmoronado como um castelo de areia, porque o Judiciário, juntamente com sua maior aliada, a imprensa de negócios privados, resolveu fazer parte da conspiração e sedição contra uma presidente legalmente reeleita, realidade que propiciou a derrocada econômica, política, partidária e moral do Brasil e de sua sociedade.

O STF é o maior responsável pela desmoralização e desconstrução do Brasil e do seu Estado, independente da participação do baronato alienígena de mídias, do patronato da Fiesp/CNI, que por preconceito social e ideológico deu tiros contra seus próprios interesses, porque prejudicou de morte o crescimento dos mercados interno e externo e não sua diminuição, bem como a participação dos políticos golpistas e corruptos do Congresso não supera, de forma alguma, a responsabilidade dos juízes do STF quanto ao golpe que partiu o povo brasileiro em dois, envergonhou o País e humilhou a Nação.

A vergonha que humilha e que extinguiu milhões de empregos, a falir ou enfraquecer duramente as estratégicas indústrias de base e civil, a incluir as indústrias naval e nuclear, além de praticamente acabar com o consumo, a paralisar a economia, assim como extinguir e diminuir os programas de inclusão social dos governos petistas, que nacionalmente e regionalmente cooperavam, e muito, para girar a roda da economia e diminuir a violência nas classes mais pobres da população.

Os golpistas e traidores da Pátria colocaram a Petrobras em um garrote vil e a estão a esquartejá-la, a fazer dela a única petroleira do mundo que não quer ter petróleo, o que seria algo impensável para as classes dominantes dos países desenvolvidos, que, apesar de serem capitalistas, sempre protegeram seus mercados e os interesses de seus países. A burguesia tupiniquim e seus empregados de classe média fazem o contrário e se submetem por vontade própria à subserviência e à própria colonização. Deplorável.

Enquanto isso, o mão de tesoura, o fanático do mercado e o fundamentalista do capital continua com sua sanha de fazer tucanagens, ou seja, fazer com que o Brasil não domine seu mercado de petróleo e alcance de vez sua independência e soberania. Trata-se do presidente golpista da poderosa estatal, o tal de Pedro Parente, um sujeito que deveria estar preso pelo tempo de 30 anos ininterruptos, para que ele tenha o tempo suficiente para pensar em seus desatinos e inconsequências, irresponsabilidades e traições. Trinta anos, de forma que ele não fique solto novamente para fazer merda com o patrimônio público do povo brasileiro por meio de um golpe. Ponto.

Outrossim, se o Supremo fosse sério revogaria o golpe jurídico-parlamentar-midiático e restabeleceria a democracia e o Estado de Direito, porque está mais do que comprovado que Dilma Rousseff, a presidente legítima e deposta por um golpe promovido por bandidos ou bandoleiros foi vítima de uma conspiração das "elites" brasileiras, que decidiram dar mais um golpe para canalizar o dinheiro público para seus cofres — os cofres da iniciativa privada, principalmente os bancos, de olho nos recursos previdência pública, na precarização do trabalho, na destruição da indústria nacional e no domínio do mercado interno pelos empresários estrangeiros.

Trata-se de um golpe gravíssimo e que coloca o Brasil e seu povo em perigo. Quando as "elites" param de defender seus próprios interesses, sinal que elas querem se subordinar ao colonizador e entregar o País e os trabalhadores ao jugo do grande capital. Acontecem essas terríveis realidades no mundo inteiro. A história dos países e da humanidade está repleta de exemplos. Nunca e em tempo algum houve tão grande vocação para entregar o País e desmontá-lo por parte da direita, pois a intenção é inviabilizar a retomada do crescimento econômico com distribuição de renda e riqueza.

A estratégia de destruição do País é para evitar que os políticos populares, trabalhistas e de esquerda não tenham meios, se conseguirem chegar novamente à Presidência. É o que o *mi-shell temer e sua quadrilha fazem, porque realmente não têm compromisso com o Brasil, além de serem totalmente alienados quanto à sua soberania.

O TRF-4 está a avisar o juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, que não vai aceitar delações como provas de fato, concretas e inquestionáveis. O TRF-4 está a desfazer as mazelas jurídicas de Moro e do MPF-PR. Lula vem aí, porque não há como interditar sua candidatura ou prendê-lo sem quaisquer provas. Provas robustas e reais têm contra os tucanos, que no Brasil são inimputáveis, porque são os legítimos representantes do establishment, além de golpistas. Aécio Neves solto é um escárnio — deboche! O STF, desmoralizado e desacreditado, tem apenas uma saída moral e republicana: Dilma no poder ou eleições diretas já! É isso aí.



Nenhum comentário:

Postar um comentário