31/5 - Famosos Que Partiram DE 29/5

Famosos Que Partiram


Posted: 29 May 2018 10:20 PM PDT
Júlio Barroso
(30 anos)
Jornalista, Cantor, Compositor, Guitarrista e DJ

☼ Rio de Janeiro, RJ (15/11/1953)
┼ São Paulo, SP (06/07/1984)

Júlio Barroso foi um jornalista, compositor, guitarrista, cantor e disk jockey (DJ) brasileiro nascido no Rio de Janeiro, RJ, no dia 15/11/1953.

Nascido no Rio de Janeiro e radicado em São Paulo, Júlio Barroso mudou-se para os Estados Unidos depois de uma tentativa fracassada de fazer sucesso com uma banda performática. Em New York, tomou contato com o movimento New Wave.

Júlio Barroso fundou o grupo Gang 90 & Absurdettes no início da década de 1980, do qual também participava sua irmã, Denise Barroso.

Após a participação no Festival MPB-Shell, promovido pela TV Globo em 1981, concorrendo com o hit "Perdidos Na Selva" (Júlio Barroso, Márcio Vaccari e Guilherme Arantes), posteriormente gravado pelo Barão Vermelho em 1996, Júlio Barroso e seu grupo gravaram o LP "Essa Tal de Gang 90 & Absurdettes".

Como compositor, Júlio Barroso foi parceiro de Guilherme Arantes, Wander Taffo, Alice Pink Pank, Lobão, Ritchie, dentre outros.

Em 1991, sua irmã Denise Barroso lançou o livro póstumo "A Vida Sexual Do Selvagem", em homenagem ao irmão.

Júlio Barroso é considerado junto à crítica musical especializada em rock um dos precursores do rock brasileiro surgido na década de 1980. Seu conjunto, ao lado da Blitz, teria tido um papel fundamental na consolidação do gênero nesse período.

Gang 90 & Absurdettes

Gang 90 & Absurdettes foi um grupo de rock brasileiro dos anos 1980, fundado pelo disc jockey e jornalista Júlio Barroso. Suas canções misturavam new wave com viagens beatnik, e ainda carregava batidas fortes e coro feminino, inspirado no grupo B-52s.

Sua primeira aparição foi na discoteca Paulicéia Desvairada em 1981. Participou do Festival MPB Shell do mesmo ano, com a música "Perdidos Na Selva", o que tornou o grupo famoso.

Para divulgar o grupo, o programa Fantástico de 02/08/1981 apresentou o clipe de "Perdidos Na Selva". Nesta época, a banda chamava-se simplesmente Gang 90. A música foi lançada originalmente em compacto pelo selo HOT, tendo a faixa "Lilik Lamê" no lado B, cantada por Alice Pink Pank, uma das cantoras-musas da banda, ao lado de May East e Lonita Renaux.

Um momento particularmente importante para a banda foi sua participação, também em 1981 do festival MPB Shell, promovido pela TV Globo. Naquela ocasião, e defendendo a canção "Perdidos Na Selva", conseguiram um grau de exposição e notoriedade até então incomum para bandas da cena pop brasileira, o que já prenunciava o vigor do movimento de rock nacional que surgiria a seguir ao longo da década de 80.


Em 1983, a banda lançou o LP "Essa Tal de Gang 90 & Absurdettes", que continha os sucessos anteriores da banda e que emplacou uma canção como tema de novela das 20h00 da TV Globo, "Louco Amor", de Gilberto Braga. No mesmo ano, participaram do especial da TV Globo "Plunct, Plact, Zuuum" com a música "Será Que o King Kong é Macaca?".

Após o falecimento de Júlio Barroso, em 06/07/1984, a tecladista Taciana Barros assumiu a liderança do grupo e tentou insistir em sua continuidade lançando um álbum "Rosas e Tigres" que tinha em seu repertório uma série de canções inéditas de Julio Barroso. O trabalho acabou tendo muito pouca repercussão comercial apesar de haver sido razoavelmente bem recebido pela crítica especializada.

Uma última tentativa, em 1987, foi o álbum "Pedra 90" já sem praticamente nenhum integrante original do grupo e que selou o fim da banda.

Além de Júlio Barroso, participaram desse projeto músicos como Alice Pink Pank, Lobão, May East, Lonita Renaux (Denise Barroso), Luíza Maria, Miguel Barella, Wanderley Taffo, Guilherme Arantes, Lee Marcucci, Sandra Coutinho, Gigante Brasil, Herman Torres, Otávio Fialho, Luiz Paulo Simas, Taciana Barros, Beto Firmino, Gilvan GomesPaulo Lepetit, Curtis e Claudia Niemeyer.

Morte

Enfrentando problemas com drogas e alcoolismo, Júlio Barroso faleceu tragicamente, aos 30 anos, ao cair da janela de seu apartamento, no 11º andar, em São Paulo, no dia 06/07/1984, em circunstâncias nunca completamente esclarecidas, encerrando prematuramente a sua carreira, no auge do sucesso. A hipótese mais aceita é de que a queda tenha sido acidental.

Fonte: Wikipédia
Indicação: Carlos

31/5 - Pragmatismo Político DE 30/5

Pragmatismo Político


Posted: 30 May 2018 04:36 PM PDT
bolsonaro caminhoneiros
Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Jair Bolsonaro afirmou que a paralisação dos caminhoneiros precisa acabar.
O presidenciável do PSL disse ainda que não tem ligação com as lideranças do movimento, especulação que surgiu devido à presença frequente de apoiadores de sua candidatura entre os manifestantes.
Confira os principais trechos da entrevista:

Como o sr. vê o movimento dos caminhoneiros?

Caso eu fosse presidente, isso não teria acontecido, pois há dois anos eu acompanho o movimento dos caminhoneiros. Estive com eles em Gramado, no Rio e em Brasília.

Nos últimos dias, o sr. foi o personagem político mais associado ao movimento. Como se deu isso?

Eu não participei da eclosão do movimento. O Temer resolve agora isentar o pedágio por eixo levantado por MP, isso é uma reivindicação antiga deles, que eu conhecia. Eu vejo críticas na mídia de que o Temer está passando por cima de um contrato, mas não é um ato jurídico perfeito. Se é uma cláusula leonina, ela pode ser questionada na Justiça.

O que faltou?

Faltou bom senso por parte do governo e por parte das empresas que exploram o governo. Há a questão do preço extorsivo do pedágio. A lombada eletrônica é outro problema. Deve ter mais de mil lombadas na BR-116, e isso vai para o frete, e acaba no preço do feijão que compramos no mercado.
Outro problema deles é a condição das estradas. E, em especial no Sudeste, roubo de carga. O prejuízo anual está na casa do R$ 1,5 bilhão, eu ouvi em reuniões em Brasília. E o governo não manda um representante nessas reuniões.

E como o sr. vê o pedido de intervenção militar?

Isso vem de um grupo pequeno. No desespero, cara, você pede qualquer coisa. Na minha opinião, dos meus amigos generais, se tiver de voltar um dia, que volte pelo voto. Aí chega com legitimidade, não dá essa bandeira para o PT dizer “Abaixo a ditadura” ou “Foi golpe”, porque aí foi golpe mesmo.
Não passa pela minha cabeça e eu não vi isso passar pela cabeça de nenhum general.
O que o pessoal tem saudade é dos valores, era uma época diferente. Hoje tem um desgaste de valores. Aí o [ex-governador paulista e presidenciável tucano Geraldo] Alckmin aceitou a questão de que qualquer pessoa que se sinta mulher vai para banheiro feminino [resolução de 2014 garante o uso de sanitários em escolas públicas baseado na declaração de gênero].
Que porra é essa, pô? Eu tenho uma filha, ela vai no banheiro e vai ter um cara balançando o peru lá dentro? Querem que eu aceite? A mulher que se sente homem não vai no banheiro dos homens. Duvido que uma mulher gay, bonita, vá no banheiro dos homens na rodoviária.
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
O post Bolsonaro se diz contra intervenção militar e critica caminhoneiros apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 30 May 2018 04:25 PM PDT
Eduardo Bonzatto*, Pragmatismo Político
O sistema conquista a estabilidade com a hegemonia da racionalidade. Mas encontra a finitude da entropia quando um zé ruela qualquer, munido não mais que o pensamento do caos, atinge a mônada, a menor parte desse sistema, com a lâmina de Occan, a simplicidade que desestabiliza completamente sua arquitetura.
Só existe um sistema: criador, produtor e reprodutor da desigualdade. Só existe uma ideologia: a que naturaliza essa desigualdade no tempo e no espaço, na história e na geografia, na ciência e na religião, no campo e na cidade, na mente e no corpo, nas crenças e nas certezas.
Nesse sistema não existem dominadores ou dominados: todos os usuários da racionalidade divulgam e reproduzem essa desigualdade (o homem na mulher e vice-versa, o pai e a mãe no filho e na filha e vice-versa, o professor no aluno e vice-versa, o patrão no colaborador e vice-versa, em hierarquias horizontais). A razão instrumental é uma prisão cartesiana da razão e sua utilização é já mecanismo de reprodução da desigualdade. É uma ética e uma moral.
Se a razão é o império desse sistema, torna-se absolutamente redundante utilizar a razão para confrontá-lo ou ameaçá-lo.
A razão é previsibilidade, sempre. “Penso, logo existo!”. Causa e efeito da dinâmica da reprodução. O pensamento é o dispositivo da racionalidade. Seu bólido, seu invólucro. O pensamento é dicotômico e é sistêmico para garantir a reprodução da desigualdade. Manifesta-se nos discursos com propriedade e só o diálogo pode fazer frente a essa forma de convencimento. Mas ainda assim o diálogo pode ser pervertido pelas argumentações da maiêutica. Então o diálogo é frágil para subverter os determinismos da racionalidade.
A mônada desse sistema é o menor conjunto de sua fundação: a desigualdade entre dois seres. Tudo que edifica essa desigualdade pode ser rastreado a partir da mônada: preconceito, negação do outro, egoísmo, competição, objetificação, reificação, coisificação. Compreender que antes da desigualdade econômica existe a desigualdade simbólica é fundamental para subverter o sistema, pois somos nós que alimentamos sua energia e fúria. Alimentamos com nossas crenças na desigualdade natural.
É compreensível que aqueles que se julgam mais instruídos, que dominam os discursos mais adaptados à busca da igualdade e da justiça, sejam os mesmos que não abdicam em nenhuma hipótese dos privilégios que detêm.
Isso torna o sistema previsível, controlável, consistente. Daí a dificuldade em escapar desses determinismos.
Aceitar que é preciso deixar de servir ao poder e servir ao teu próximo é ato de rebeldia fundante do fim desse sistema em nós, pois somos os únicos capazes de tomar tal decisão. Mas essa atitude sutil e profunda é fruto de um contorno do lugar da racionalidade.
O samadhi é um estado de contemplação capaz de suspender o hábito da racionalidade, em que se sente a profunda conexão com o universo e com todas as criaturas. É um sentimento pleno de indeterminações. É o caos e sua manifestação absoluta: imprevisibilidade. Só o sentimento é capaz de nos conectar com o caos que é vida plena, incontrolável, fluida, generosa.
Só no âmbito do sentimento podemos reconhecer que a desigualdade não é natural, mas imposta, ofertada por ideologias que nos convidam a partilhar de seus privilégios.
Contemplação é caos, ausência de controle, elo com a generosidade. Contemplar é simples e não necessita de nenhuma iniciação. Basta se ligar a tudo e a todos sem prevenções, sem precauções, sem exigências, sem pré-condições. Contemplação é aceitação incondicional. Contemplação é conexão.
Cessar a racionalidade é abdicar da boa intenção, da resolução de problemas, das resistências, dos confrontos, dos conflitos, da preocupação com os outros. É anular a força do ego que tudo sabe, que chora, que esperneia e que nos mantém nas zonas densas do sofrimento.
Contemplar é abraçar a alegria e a felicidade de viver continuamente sob as bênçãos tranquilas da gratidão. É aceitação e gratidão. É simples e complexa a contemplação. É o caos. É fluir no caos e se tornar o caos. Se tornar imprevisível e aceitar o imprevisível. É mover-se no repouso.
É repousar no movimento, pois a contemplação prescinde de esforços, de penitência, de renúncias dolorosas. Quando deixamos no chão o saco pesado de tijolos que voluntariamente carregamos por anos a fio em busca de futuros, nos tornamos imediatamente leves. O pesado fardo da racionalidade compromete nosso movimento com as promessas de uma vida melhor amanhã. Por isso o serviço da reumanização é tão importante, pois é imediatamente realizado sem que nenhum sinal de submissão dele se evidencie.
Servir inunda o sentimento e o potencializa. Mas vede, há que se acautelar com o ego, que adora se sentir útil e bom. Servir, aqui, é uma atitude a princípio cautelosa, pois não quer fazer o bem ao próximo. É o teu propósito servir, incondicionalmente. Cada ação tua, cada movimento de conexão está permeado pelo serviço. Tu não o faz pelo outro, o faz porque é teu propósito. Assim, esse servir não é glamoroso ou espetacular, mas parte de tuas mínimas atitudes. Jamais será notado pelo próximo, pois está em sintonia com tua existência, não com a dele. O outro não é condição do teu servir.
O teu serviço é ordinário em tuas ações. Jamais é um servir atencioso ou cuidadoso, mas tão natural que não transparece.
A palavra TRABALHO origina-se num instrumento de tortura, TRIPALIUM. Carrega todo o fardo da desigualdade em sua etimologia. A palavra SERVIÇO, por outro lado, origina-se em SERVIR. Servir não é submissão, mas aceitação das contingências que as conexões nos presenteiam.
No servir não precisamos forçar as conexões. Estamos abertos a todas, mas cada um lê o mundo e a realidade como quer e pode. Daí que servir nada tem a ver com bondade. É um propósito de vida, sem urgências, sem pressa, sem determinismos, sem previsibilidades.
Depois de tomada a decisão de servir, passa a movimentar-se sem intenção, pois a intenção já é desnecessária. Tu vives aberto para tudo e todos.
Mas veja, tua trajetória de vida te formou, te deformou, te conformou. Tu és tuas idiossincrasias. Elas são “naturais” em ti. Te caracterizam e se projetam para fora de si dando-se a ver aos outros. São tuas máscaras sociais. Portanto, não se esforce em negá-las. Como o servir não é intencional, tu podes continuar a ostentar essas máscaras sem culpas ou delicadezas. Sem precauções.
As atitudes de serviço são simples e despojadas de edulcorações. Jamais são concessões ou condescendências, que reduzem o outro a uma vítima. No servir tu podes ser rude ou irascível, pouco importa. O servir pode ser negligente ou atencioso. Mas o servir não pode ser tolerante ou paciente, pois emana de você com naturalidade, sem esforço e encontra o outro sutilmente, sem alarde, interpenetrando a conexão como energias suaves e leves.
O servir não é nunca presunçoso, pois emana involuntariamente de ti. Passa a ser tua natureza servir. O ato de servir é invisível.
Com o servir, o tempo da racionalidade cessa sua importância e tem lugar o tempo do sentir, do sentimento. Tu abandonas suavemente a prisão cartesiana da razão e flui no sentimento. Foi tua escolha ser livre e agora és.
*Eduardo Bonzatto é professor da Universidade do Sul da Bahia, permacultor e colaborou para Pragmatismo Político
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
O post O SISTEMA apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 30 May 2018 04:20 PM PDT
juiz Agílio Tomaz Marques
O juiz Agílio Tomaz Marques
Valtemir Noia, de 47 anos, deficiente físico, ficou conhecido em todo o Brasil por ter sido preso por ordem do juiz Agílio Tomaz Marques, na região da cidade de Sousa, na Paraíba.
Um vídeo mostrando a confusão viralizou na semana passada. Os dois se encontraram em um bloqueio da greve no sertão paraibano. O juiz queria passar e, segundo o deficiente, teria jogado o carro sobre os manifestantes.
Valtemir alega que, para não ser atingido, se desviou do automóvel e teria batido acidentalmente com o capacete no retrovisor do carro do magistrado. Ele recebeu ordem de prisão e foi levado à delegacia, onde passou nove horas detido.
A esposa de Valtemir isse que ele foi agredido, passou mais de nove horas detido na delegacia e, por conta da demora, sofreu uma crise convulsiva e precisou ser medicado.
“Ele ficou mantido preso o dia todo. Ele não agrediu ninguém. Pelo contrário, ele quem foi agredido. No início da tarde ele foi solto, mas o juiz ligou para a delegacia e mandou a polícia trazê-lo de volta. Ele permaneceu atrás de uma grade com cadeado durante várias horas”, relatou.

“Eu sou um juiz”

Nas imagens que repercutiram, o magistrado Agílio Tomaz Marques aparece gritando e empurrando o manifestante e em seguida ordena aos policiais que o prendam: “Eu sou um juiz, prenda esse cidadão e o leve para delegacia”.
A Associação dos Magistrados da Paraíba, demonstrando todo o seu corporativismo, divulgou uma nota de apoio ao juiz e tentou justificar o ato:
O vídeo não mostra a situação desde o início. O que aconteceu na realidade é que o cidadão danificou o carro do magistrado e com isso ele cometeu um crime. O fato é que o juiz deu ordem de prisão e ele estava se recusando a ser preso. Não há abuso de autoridade. O manifestante se recusou a ser preso e inevitavelmente houve a necessidade do uso da força física”.
A nota foi assinada pela juíza Maria Aparecida Sarmento Gadelha, presidente da AMPB.
VÍDEO:
O post Juiz que agrediu e mandou prender deficiente é apoiado por Associação dos Magistrados apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 30 May 2018 04:03 PM PDT
manuscrito de Karl Marx
Karl Marx
Um manuscrito do pensador alemão Karl Marx, fundador do comunismo, foi vendido por 3,34 milhões de iuanes (quase R$ 2 milhões) em um leilão realizado em Pequim, segundo informações divulgadas nesta quarta-feira pelo portal de notícias oficial China.org.
O documento, que até agora estava em propriedade do empresário local Feng Lun, foi vendido por um preço dez vezes maior que o de compra, no leilão realizado na última segunda-feira.
A escrita de Marx é parte das mais de 1.250 páginas de notas que o filósofo de Tréveris produziu em Londres entre setembro de 1860 e agosto de 1863 como preparação para O Capital, uma de suas obras-primas e base da ideologia comunista que ainda hoje é considerada um dogma fundamental para o regime chinês.
Especificamente, no documento agora vendido em Pequim, Marx analisou um livro de sua época, o Tratado Prático dos Bancos, do britânico James William Gilbart, também citado depois em O Capital.
No mesmo leilão foi colocado à venda um manuscrito de Friedrich Engels, outro pensador alemão que junto Marx produziu o não menos famoso Manifesto Comunista, embora neste caso o preço final tenha sido menor, de 1,67 milhões de iuanes (cerca de 262.000 dólares).
Os leilões acontecem no mesmo mês em que foi lembrado o 200º aniversário do nascimento de Marx. Na China, a data foi celebrada com um ato solene no Grande Palácio do Povo e um discurso do presidente, Xi Jinping, chamando o filósofo alemão de “o pensador mais brilhante dos tempos modernos”.
EFE
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
O post Homem paga quase R$ 2 milhões em manuscrito de Karl Marx apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 30 May 2018 03:58 PM PDT
Fernanda Montenegro Riachuelo
A atriz Fernanda Montenegro
Em entrevista à Folha de S.Paulo, a atriz Fernanda Montenegro falou pela primeira vez sobre sua recusa em participar de uma campanha da Riachuelo por causa da candidatura à Presidência de Flávio Rocha, dono da empresa.
“Eu me dou o direito de ter uma independência diante disso”, disse ela. No episódio, Fernanda Torres, filha de Montenegro, também rejeitou a campanha.
“É uma coisa de um partido, é muito delicado. É engraçado, porque no nosso país nem se é ligado a uma ideologia, mas a um partido”, prosseguiu.
“Cada um faça a participação que quiser, para quem quiser, dentro do que ele pretende para ele e para o país. Não estou fazendo campanha nem bloqueando. Quem sou eu para isso?”, questionou Fernanda.
“[O fato de eu me recusar] não quer dizer que eu não seja uma pessoa que atue. Posso não ser ativista, eu não estou a serviço de uma ideologia, de um partido. Mas, com a minha vida, com a minha profissão, sou uma atuante”, assinalou a atriz.
“A gente não chega a nenhuma conclusão, a nada. Parece que essa eleição vai ser feita daqui a 200 anos”, finalizou ela, que disse não mais participar mais dos pleitos. “Estou com quase 90 anos, não voto mais”.
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
O post Fernanda Montenegro explica por que rejeitou propaganda da Riachuelo apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 30 May 2018 03:50 PM PDT
caminhoneiro pedrada
Um caminhoneiro morreu após levar uma pedrada na cabeça em Rondônia e se tornou a primeira vítima fatal da paralisação que já dura dez dias.
Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o homem tentava sair da greve e foi atacado por manifestantes favoráveis à paralisação da categoria perto de um posto no quilômetro 8 da rodovia BR-364.
José Batistella, 70, chegou a ser socorrido pelos bombeiros da cidade, mas não resistiu. É a primeira morte violenta registrada no movimento, que chegou ao seu décimo dia.
Antes dois caminhoneiros que participavam de bloqueios sofreram infartos e morreram, em Tocantins e na Bahia. Em São Paulo, um terceiro manifestante teve um princípio de ataque cardíaco, mas sobreviveu.
A Polícia Federal no Estado foi acionada para investigar o caso. Não se sabe se quem atirou a pedra foi uma pessoa infiltrada numa manifestação concentrada à beira da rodovia ou integrantes do movimento. Não há bloqueios naquele ponto da BR-364, apenas pontos de protesto.
Nos últimos dias, mesmo com o arrefecimento do movimento dos caminhoneiros, há diversos relatos de intimidação e ameaça do uso de violência contra quem não quer mais participar da paralisação.
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
O post Caminhoneiro morre após levar pedrada e se torna a primeira vítima dos protestos apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 30 May 2018 03:41 PM PDT
Cyro Ramos Nogueira Filho
Cyro Ramos Nogueira Filho
Cyro Ramos Nogueira Filho foi condenado a 95 anos de prisão por estuprar crianças e produzir material pornográfico infantil. Na casa do ator de 54 anos, no Guarujá (SP), foram encontrados mais de 30 mil arquivos ilícitos.
O ator foi um dos alvos da segunda fase da Operação Glasnost, deflagrada em julho de 2017, a partir do monitoramento de um site russo utilizado para a troca de fotos e vídeos de exploração sexual infantil.
Durante o cumprimento de mandados de busca no imóvel, policiais encontraram e apreenderam computadores, celulares e material impresso expondo menores de 18 anos. O ator foi preso na ocasião pelo flagrante, e também por ordem judicial, uma vez que já havia a comprovação de crimes cibernéticos.
O trabalho pericial verificou que Cyro armazenava nos eletrônicos 987 vídeos e 29.608 fotos contendo cenas de sexo explícito envolvendo crianças ou adolescentes. Os peritos encontraram provas evidentes de que ele também gravou imagens, que foram posteriormente compartilhadas por meio do site internacional.
A partir da continuidade das investigações, um menino de 3 anos foi identificado como vítima de constantes abusos sexuais cometidos pelo ator. A criança ficava sob os cuidados dele, na ausência dos pais, que declararam não desconfiar de qualquer situação, mesmo após reclamações feitas pelo próprio filho.
Em um videoclipe produzido pelo ator, com legendas em inglês, intitulado por ele “My little princess in training – A new life of a sissy toddler boy” (Minha pequena princesa em treinamento – A nova vida de um menino mariquinha), a criança aparece sendo estuprada. O menino foi obrigado a vestir roupas femininas.
Em uma foto impressa, entre as dezenas com pornografia infantil apreendidas na residência, os policiais federais conseguiram identificar outro menino, que foi criado pelo então investigado. O ator tem dois filhos, que já não viviam com ele, e que negaram à polícia terem sido abusados sexualmente enquanto crianças.
O resultado da investigação, que sustentou a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) à Justiça, também identificou perfil sadomasoquista de Ramos Filho, que aparece em imagens utilizando fraldas e roupas femininas infantis. E-mails trocados com estrangeiros reafirmaram o perfil criminoso dele.
Nas mensagens interceptadas e traduzidas pelas equipes da Polícia Federal, foi possível constatar que Ramos Filho ministrava, à distância, treinamento sobre como estuprar crianças a estrangeiros conectados a uma rede de pornografia infantil. Os e-mails que ele mantinha com nomes falsos serviam para trocar instruções, além de imagens.
O ator negou as acusações, disse que parte dos arquivos encontrados na residência pertence a um inquilino, e que algumas imagens dos computadores eram utilizadas por ele para atrair pedófilos, que seriam depois denunciados às autoridades. A defesa também tentou provar à Justiça a insanidade mental dele.

Treinamento sobre estupro

Nas mensagens interceptadas e traduzidas pelas equipes da Polícia Federal, foi possível constatar que Ramos Filho ministrava, à distância, treinamento sobre como estuprar crianças a estrangeiros conectados a uma rede de pornografia infantil. Os e-mails que ele mantinha com nomes falsos serviam para trocar instruções, além de imagens.
O ator negou as acusações, disse que parte dos arquivos encontrados na residência pertence a um inquilino, e que algumas imagens dos computadores eram utilizadas por ele para atrair pedófilos, que seriam depois denunciados às autoridades. A defesa também tentou provar à Justiça a insanidade mental dele.
Após a denúncia apresentada pela Procuradoria, o juiz federal Roberto Lemos dos Santos Filho, da 5ª Vara Federal de Santos, condenou Cyro na última semana. O ator ficou impedido na decisão de responder aos crimes em liberdade e também terá que pagar multa. O parecer ainda cabe recurso no Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região.
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
O post Ator que criou manual para estuprar crianças é condenado a 95 anos de prisão apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

31/5 - Os Amigos do Presidente Lula DE 30/5


Posted: 30 May 2018 06:48 PM PDT

O ator americano Danny Glover visitou nesta quarta-feira o acampamento a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Curitiba.

"Meu irmão e companheiro Lula tem que ser libertado para continuar com todas as conquistas que ele alcançou para o povo. Ele é um símbolo de trabalho e amor que repercutiu não somente no Brasil como no mundo", diz uma mensagem assinada por Glover e postada na conta oficial de Lula no Twitter.

O tuíte também mostra uma foto de Glover com um cartaz que diz em inglês "Lula livre".

Glover, que no passado visitou várias vezes o então presidente da Venezuela, Hugo Chávez, também teve sua foto publicada na conta do Instagram do Movimento dos Sem Terra (MST).

Na terça-feira, Glover conheceu várias comunidades do Rio de Janeiro e se reuniu com lideranças locais e religiosos, segundo divulgou em sua conta do Twitter.
Posted: 30 May 2018 06:46 PM PDT


O Governo Federal publicou no Diário Oficial da União de quinta-feira a Portaria 349, por meio do Ministério do Trabalho, que restabeleceu regras da Medida Provisória 808/2017, que perdeu a validade em 23 de abril de 2018. As normas tratam sobre contratação de autônomo e trabalho intermitente. Conforme o texto, a norma já está em vigor a partir desta quinta-feira.

Na visão do doutor em Direito do Trabalho e professor da PUC-SP, Ricardo Pereira de Freitas Guimarães, a nova portaria é uma alternativa inconstitucional de “ressuscitar” a MP 808 e poderá provocar mais insegurança jurídica sobre as regras da reforma trabalhista.

- Vale esclarecer que a portaria, enquanto ato administrativo, não pode e não deve legislar. Nesse sentido, a Portaria 349 de 2018 não possui força vinculante, apenas é uma manifestação unilateral do Estado. Sendo assim, é inviável e inconstitucional a tentativa de ressuscitar a MP 808 sobre as questões abordadas, pois o veículo adequado está estampado no texto constitucional, que seria o decreto legislativo, que é exclusivo do Congresso Nacional (artigo 62 da CF, §3 e §11).  

Freitas Guimarães também afirma que a nova portaria “poderá e deverá ser contestada na Justiça”. O texto da portaria 349/2018 do Ministério do Trabalho é muito parecido com o da MP que perdeu a vigência. De acordo com o documento, é permitida a contratação de autônomos, com ou sem exclusividade, e para os casos em que o autônomo figure em um único trabalho, isso não caracterizará vínculo de emprego.

 O autônomo poderá também recusar atividades, sem que isso seja considerado um descumprimento do contrato. Já em relação ao trabalho intermitente, a portaria diz que o contrato deve ser firmado por escrito e registrado na carteira de trabalho, ainda que previsto em acordo coletivo de trabalho ou convenção coletiva.
Posted: 30 May 2018 06:36 PM PDT

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 12,9% no trimestre encerrado em abril deste ano. O dado é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro.

Segundo o IBGE, no trimestre encerrado em janeiro, a taxa havia ficado em 12,2%. Em abril de 2017, ela foi de 13,6%.

O contingente de desempregados, isto é, pessoas que procuram emprego e não conseguem, chegou a 13,4 milhões no trimestre encerrado em abril deste ano. Isto representa um aumento de 5,7% em relação aos 12,7 milhões de desocupados registrados no trimestre encerrado em janeiro. Na comparação com abril de 2017, no entanto, houve uma queda de 4,5% na massa de desempregados, já que naquele período havia 14 milhões de desocupados no país.

A população ocupada chegou a 90,7 milhões no trimestre encerrado em abril deste ano, 1,1% menor do que no trimestre encerrado em janeiro (91,7 milhões), mas 1,7% acima do trimestre encerrado em abril do ano passado (89,2 milhões).

O número de empregados com carteira de trabalho assinada, que ficou em 32,7 milhões, apresentou queda de 1,7% em ambas comparações temporais. Já os trabalhadores sem carteira (10,9 milhões de pessoas) mantiveram-se estáveis em relação a janeiro, mas cresceram 6,3% em relação a abril do ano passado.
Posted: 30 May 2018 06:33 PM PDT

Temer  tira dos programas sociais para beneficiar estrangeiros

O subsídio para manter a política de reajuste dos combustíveis representará para os contribuintes R$ 13 bilhões até o final deste ano, o equivalente 1/3 do Programa Bolsa Família, admite o chefe da Assessoria Especial do Ministério da Fazenda, Marcos José Mendes.

O governo informa que precisará fazer cortes. Clemente Ganz Lúcio, diretor do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), afirma que quem vai pagar a conta no final é toda a sociedade, especialmente os mais pobres, como os beneficiários do Bolsa Família e Farmácia Popular.

Para o presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), Felipe Coutinho, a política de preços “continua tirando da maioria dos brasileiros para favorecer aos importadores, comer-ciantes e refinadores estrangeiros. Se não pagamos, direta e indiretamente pelo litro do diesel, pagamos por meio de impostos regressivos e injustos. É a política de preços ‘America first!’”

Na visão do Dieese, o presidente da República eleito em outubro terá que tomar duas medidas principais: recuar da política de paridade internacional nos preços dos derivados, considerando também outros fatores, como a produção de petróleo e refino no país, custos para essas produções e câmbio; e aumentar o volume de petróleo refinado em refinarias próprias – que atualmente utilizam apenas 68% da capacidade total – dependendo menos do mercado internacional.

O governo, porém apega-se a seus dogmas. O sumido ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, reapareceu na Câmara dos Deputados nesta terça-feira para dizer que será estudada uma pro-posta para reduzir a volatilidade dos preços dos combustíveis para o consumidor.

Moreira, porém, reafirmou a manutenção da atual política de preços da Petrobras, com variações diárias em decorrência da taxa de câmbio e do valor do petróleo no mercado internacional.

31/5 - OUTRA SAÚDE de HOJE

Para ler com calma
31.05.18
O sequestro do sono
Pílulas já no mercado e pesquisas que parecem ficção científica: a quem interessa um mundo que não dorme?
Por Raquel Torres, do Outra Saúde
Abuso de poder
Boom de processos, lobby junto ao setor público, captura da agência reguladora são alguns dos problemas criados pelas empresas de planos e seguros de saúde no país. Por Andrea Dip, na Agência Pública

destaque da semana > 
As origens da epidemia dos opioides, no New York Times (em inglês)

Fale conosco: outrasaude@outraspalavras.net

Quer mudar a maneira que recebe o boletim?
Você pode alterar as preferências ou cancelar a inscrição.

12/11 - Após virar chacota por postagem surreal, Carlos Bolsonaro apaga perfis nas redes

FONTE: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/11/carlos-bolsonaro-redes-sociais.html NOTÍCIAS EDUCAÇÃO CU...