1/3 - VÍDEO - Paulo Pimenta promete denunciar ao STF a indústria de delações da Lava Jato

FONTE:https://www.revistaforum.com.br/paulo-pimenta-promete-denunciar-ao-stf-a-industria-de-delacoes-da-lava-jato/

                                             

01 DE MARÇO DE 2019, 22H06

Paulo Pimenta promete denunciar ao

 STF a indústria de delações da Lava Jato

“É um absurdo que uma pessoa seja condenada pela palavra de um 
delator que recebeu milhões para mentir, em função de interesse de
 terceiros”, diz o líder do PT na Câmara
Foto: Reprodução/Twitter Paulo Pimenta
O deputado federal Paulo Pimenta (RS), líder da bancada do PT na Câmara, promete ir ao Supremo Tribunal Federal (STF). Ele declarou que a denúncia que surgiu por meio de uma reclamação trabalhista apresentada por Adriano Quadros de Andrade, ex-executivo da OAS, mostra o esquema criminoso das delações da Lava Jato. Andrade reconheceu que os delatores receberam R$ 6 milhões para “ajustar os depoimentos”.
Conforme o petista, a denúncia “traz a prova que nós precisávamos do esquema subterrâneo, criminoso, ilegal e perverso por trás das delações da Lava Jato”.
“Ele (Adriano Quadros) está denunciando que vendeu o teor da delação! Nós vamos voltar a denunciar para o STF e para a Procuradoria-Geral da República (PGR). É um absurdo que uma pessoa seja condenada pela palavra de um delator que recebeu milhões para mentir, em função de interesse de terceiros. Chega de hipocrisia e de cinismo. A Lava Jato era uma farsa que tinha como objetivo um projeto de poder: transformar o Sérgio Moro em ministro da Justiça da família metralha”, diz Pimenta.
Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.
00:00/00:40Revista Fórum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

15/9 - EXCLUSIVO. Quinze votos e uma reflexão, de Edson Fachin e Christine Silva

FONTE: https://osdivergentes.com.br/                                    OS DIVERGENTES EXCLUSIVO. Quinze votos e uma reflexão, d...