7/4 - BRASIL! BRASIL! de HOJE

BRASIL! BRASIL!


Posted: 07 Apr 2019 02:47 AM PDT

Prestes a completar 100 dias no cargo, Jair Bolsonaro tem a pior avaliação já registrada para um presidente em início de mandato. Segundo o instituto Datafolha, 30% dos brasileiros consideram o governo de Bolsonaro ruim ou péssimo, índice semelhante ao daqueles que consideram ótimo ou bom (32%) ou regular (33%). Bolsonaro perde para Dilma, Lula, FHC e Collor. Seu comportamento é considerado inadequado e até seus eleitores estão frustrados

Brasil247 -

  Prestes a completar 100 dias no cargo, Jair Bolsonaro tem a pior avaliação já registrada para um presidente em início de mandato. Segundo o instituto Datafolha, 30% dos brasileiros consideram o governo de Bolsonaro ruim ou péssimo, índice semelhante ao daqueles que consideram ótimo ou bom (32%) ou regular (33%). Bolsonaro perde para Dilma, Lula, FHC e Collor.

"Os petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, alvos frequentes de críticas do atual presidente, eram mal avaliados apenas por 10% e 7% da população ao fim dos primeiros três meses do governo", aponta a reportagem de Igor Gielow, sobre a pesquisa. "Nesses primeiros meses, Bolsonaro viveu diversos episódios de desgaste político: a investigação sobre milícias envolvendo o gabinete de seu filho Flávio na Assembleia do Rio, as candidaturas de laranjas de seu partido, os entrechoques entre militares e a ala do governo sob influência do escritor Olavo de Carvalho, a crise no MEC, a troca de farpas com o Congresso e a dificuldade no encaminhamento da reforma da Previdência. A economia segue em ritmo lento, e a taxa de desemprego subiu em relação ao trimestre passado —está em 12,4%", diz ainda o jornalista.

A pesquisa também capta um sentimento de frustração generalizado. "Para 61% dos ouvidos, Bolsonaro fez menos do que se esperava no exercício do cargo. Já 13% consideram que ele fez mais, enquanto 22% avaliam que ele fez o que era esperado", aponta Gielow. "O comportamento do presidente, que se envolveu em polêmicas como a divulgação de um vídeo pornográfico para criticar o que seriam abusos nas ruas durante o Carnaval, é avaliado como correto por 27% dos ouvidos."
Posted: 06 Apr 2019 06:37 PM PDT

por Ricardo KotchoBalaio do Kotscho

“Acompanhar a política brasileira é tão legal quanto passear num lixão atômico (…) Além do empobrecimento material, a contaminação envenena a cultura. 

Cinema, música, literatura e artes plásticas andam entorpecidos. Silêncio e renúncia são subprodutos da ruína atômica que Brasília erige” (Mario Sergio Conti, na Folha).

***
Foi tudo muito rápido.

Num outro sábado, um ano atrás, Lula era carregado pela multidão em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde tudo começou.

No mesmo dia, foi levado pela Polícia Federal para a cadeia de Sergio Moro em Curitiba.

Hoje, caminhamos sobre os escombros da ruína atômica do bolsonarismo, que em apenas três meses vilipendiou, prostituiu e destruiu o país.

Em menos de 100 dias, a boçalidade da nova ordem transformou o Brasil numa republiqueta de bananas.

Cumprida sua missão de condenar e tirar Lula da campanha eleitoral, Moro virou ministro da Justiça do capitão Bolsonaro e seus generais, eleito por 57 milhões de bolsonarinhos.

Voltamos ao Mapa da Fome, somos ridicularizados mundo afora, 17 milhões voltaram para a extrema miséria, o desemprego galopa e tchutchucas ultraliberais só falam em acabar com a Previdência Social.

Educação e Cultura estão em colapso, a Amazônia e o pré-sal vão sendo rifados, as estradas foram abandonadas, as conquistas sociais dos últimos anos estão sendo detonadas uma a uma, sem piedade.

Nulidades e figuras exóticas tomaram conta do Palácio do Planalto e da Esplanada dos Ministérios, a violência ficou fora de qualquer controle.

Confinado numa cela solitária da carceragem da Polícia Federal e proibido pelo STF até de dar entrevistas, Lula resiste a tudo e continua lutando, em todas as instâncias da Justiça, por seus direitos básicos de cidadania.

Pensar que apenas um ano atrás o Brasil voltava a ter esperança nas eleições, com Lula, mesmo condenado sem provas e preso, liderando todas as pesquisas, registrando o dobro das intenções de voto no capitão.

Quarenta anos atrás, eu também tinha muita esperança quando fui escalado por Mino Carta para seguir esse tal de Lula, a nova liderança que surgia nas lutas dos metalúrgicos do ABC.

A primeira vez que vi a cara dele foi na capa da revista IstoÉ, dirigida pelo Mino, que me foi enviada à Alemanha onde eu era correspondente do Jornal do Brasil.

“Presta muita atenção neste cara porque você ainda vai ouvir falar muito dele quando voltar ao Brasil”, escreveu o profético amigo num bilhete.

Só não poderia imaginar que minha vida, e a do país, ficariam tão embicadas com a dele, depois que nos tornamos amigos nas históricas greves dos metalúrgicos.

Por isso, não me conformo até hoje em ver Lula preso, logo ele que nunca ligou nem falava de dinheiro, não tinha ambições materiais e só vivia para a política.
Como assessor de imprensa em três campanhas eleitorais, disputadas em dois turnos, dei várias voltas pelo Brasil ao lado do candidato e nunca vi nada que o desabonasse.

Depois, quando venceu em 2002, fui com ele para Brasília como Secretário de Imprensa da Presidência, passamos muitos fins de semana juntos, no Alvorada e no Torto, e quando fui embora, dois anos depois, Lula até chorou no discurso de despedida. Eu também.

Nossas famílias ficaram muito amigas, mas após ele deixar o governo nos vimos poucas vezes.
Posted: 06 Apr 2019 06:20 PM PDT

por Fernando Brito, Tijolaço -

Ontem à noite, sem nenhuma prudência, o Secretário da Receita – o bolsosenior Marcos Cintra – mandou divulgar que os dados fiscais de Jair Bolsonaro “foram invadidos”.

Foi o que bastou para mandarem um avião cheio de policiais para prenderem o “petralha” que havia feito isso.

Só que não.

A invasão, ao que parece, foi apenas aos dados cadastrais ( filiação, endereço, estado civil) , não aos fiscais.

E o autor, Odilon Ayub, é irmão da deputada Norma Ayub, do DEM e bolsonarista. Segundo ela, Odilon é admirador do presidente e fez campanha “de bandeirinha” pelo “Mito”.

Nem para ser espionado este governo presta…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

18/6 - VÍDEO - Bom dia 247 (18.6.19): E Moro quebrou a Odebrecht

FONTE:https://youtu.be/p2B-JKHqkFw Bom dia 247 (18.6.19): E Moro quebrou a Odebrecht TV 247 Stream ao vivo realizado há 6 h...