16/5 - BRASIL! BRASIL! de 14/6

BRASIL! BRASIL!


Posted: 14 May 2019 03:33 PM PDT

Do Globo -

A quebra do sigilo fiscal e bancário de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz e outras 93 pessoas e empresas, autorizado pela 27ª Vara Criminal de Justiça do Rio de Janeiro, também alcançou Danielle Nóbrega e Raimunda Magalhães, mulher e mãe, respectivamente, do ex-PM Adriano Magalhães da Nóbrega, tido pelo MP do Rio como o homem-forte do Escritório do Crime. A organização de milicianos é suspeita de envolvimento no assassinato da ex-vereadora, Marielle Franco.

O ex-policial, hoje foragido, é acusado há mais de uma década de envolvimento em homicídios. Adriano já foi homenageado por Flávio na Alerj , em 2003 e 2004. Ele chegou a receber a medalha Tiradentes, a mais alta honraria do Legislativo fluminense.

Danielle e Raimunda trabalharam no gabinete do então deputado estadual, Flávio Bolsonaro. Elas tinham o cargo CCDAL-5, com salários de R$ 6.490,35.

Raimunda é uma das servidoras do gabinete que fizeram repasses para a conta de Queiroz, conforme aponta o relatório produzido pelo Coaf.
(…)
Posted: 14 May 2019 03:24 PM PDT

por Fernando Brito, Tijolaço -

A estratégia de que “não cedo, porque me garanto” do governo em relação aos partidos do Centrão e a pressão da opinião pública levou os partidos de apoio incondicional a Jair Bolsonaro levou a mais uma derrota na Câmara dos Deputados.

A proposta de convocação do “encarregado” da Educação, Abraham Weintraub, no mesmo dia das manifestações estudantis em defesa da Educação, para que vá explicar aos deputados as razões e os critérios dos cortes anunciados para as universidades e institutos tecnológicos federais foi aprovada em uma votação acachapante, de 307 a 82,  quase todos do PSL e do Novo.

Será um mar de gente nas ruas de todos os estados do pais, enquanto um pseudo showman que faz firulas com chocolates, para tentar desmentir o óbvio: as instituições federais de educação estão sendo estranguladas, forçadas a, a partir de agora, a reduzir o número de vagas e criar mercado para os grupos privados de educação.

Publico, abaixo, o guia das manifestações em todo o Brasil, que este blog fará o possível para acompanhar. Mas, certamente, menos completa do que aquela que você, podendo, poderá ter ser estiver lá:

Rio Grande do Sul– Porto Alegre: Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), às 18h. – Caxias do Sul: Praça Dante Alighieri, no centro, às 17h30– Viamão: centro de Viamão, às 16h
Santa Catarina– Florianópolis: Praça Central, às 15h– Chapecó: Praça Coronel Bertaso, no centro, às 9h30
Paraná– Curitiba: Praça Santos Andrade, centro, às 9h, com caminhada a partir das 10h até o Centro Cívico.
Às 11h30, haverá ato em frente a prefeitura e, às 12h30, uma reunião com a bancada da Educação na Assembleia Legislativa.
São Paulo– São Paulo: Masp, na Avenida Paulista, às 14h – Sorocaba: Praça Coronel Fernando Prestes, centro, às 9h – São Carlos: Praça Coronel Salles, às 9h – Campinas: Largo do Rosário, às 10h30
Minas Gerais– Belo Horizonte: Praça da Estação, na Avenida dos Andradas, às 15h. Um pouco antes, às 14h, haverá um debate sobre a reforma da previdência na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
Rio de Janeiro– Rio de Janeiro: Candelária, na Praça Pio X, às 15h
Espírito Santo– Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), no campus Goiabeiras e Maruípe, às 16h30. Às 8h30 terá um ato unitário na Praça do Papa, também na capital.
Distrito Federal– Brasília: Museu Nacional, às 10h
Goiás– Goiânia: Praça Universitária, no Setor Leste, às 14h. Já por volta das 15h, os trabalhadores da educação em Goiânia farão ato público na Praça Cívica.
Mato Grosso– Cuiabá: Praça Alencastro, às 14h, com estudantes, professores e servidores da educação.
Mato Grosso do Sul– Campo Grande: Gramado do Pontilhão, em frente a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, às 9h.
Amapá– Macapá, Praça da Bandeira, 16h, com estudantes e trabalhadores da educação.
Amazonas– Manaus: Entrada da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), às 7h e, na Praça do Congresso, às 15h.
Pará– Belém: às 8h, na Praça da República, haverá um ato público da categoria. Mais tarde, na Praça Dom Pedro II, às 11h, os estudantes realizarão sua manifestação.
Tocantins– Palmas: Praça dos Girassóis, na Av. Joaquim Teotônio Segurado, às 9h. No mesmo horário, trabalhadores realizarão um ato na Câmara Municipal.
Acre– Rio Branco: Ato na Universidade Federal do Acre (Ufac), às 7h. Já às 8h terá um ato público, organizado pelos trabalhadores da educação, em frente ao Palácio Rio Branco.
Maranhão– São Luis: Ato de estudantes na vivência da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), às 11h30. Mais tarde, às 15h, na Praça Deodoro, os trabalhadores da educação farão greve e participar do ato unificado.
Piauí– Teresina: em frente ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), às 8h, com trabalhadores em educação básica e entidades estudantis.
Alagoas– Maceió: Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa), na Avenida Fernandes Lima, às 9h.
Paraíba– João Pessoa: Lyceu Paraibano, na Avenida Presidente Getúlio Vargas, às 9h. Um ato público também será feito, às 14h, na Assembleia Legislativa.
Sergipe– Aracaju: às 8h30, será feito um ato em frente a Câmara Municipal. Às 14h, uma mobilização unificada entre sindicatos e movimentos sociais, na Praça General Valadão, região central.
Ceará– Fortaleza: Praça da Bandeira, às 8h. Será feita uma caminhada até a reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC), onde terá um grande ato unificado, com estudantes e trabalhadores.
Pernambuco– Recife: ato no Ginásio Pernambucana da Aurora, às 15h, que sairá em caminhada até a Praça do Carmo.
Rio Grande do Norte– Natal: às 15h, os trabalhadores junto com as universidade estarão nas ruas participando do ato unificado em frente ao Midway Mal, na Avenida Bernardo Vieira.
Bahia– Salvador: Ato em Campo Grande, às 9h. Às 08h30 terá um ato unificado ao lado da prefeitura da capital, com a participação de professores e professoras da rede pública de municipal de Camaçari.
Posted: 14 May 2019 03:18 PM PDT

Ao contrário dos governos do PT, que priorizaram o crescimento, os cortes e a estagnação econômica parecem ser as marcas do governo Jair Bolsonaro; após o BC admitir que existe uma "probabilidade relevante" do PIB ter encolhido no primeiro trimestre, evidenciando o risco de uma recessão técnica, a queda de 5% no valor das vendas do Dia das Mães, segunda principal data do varejo, confirma a paralisia que se soma a uma retração acumulada de 1,7% pelo setor de serviços nos três primeiros meses do ano

Do Brasil 247

 Após o Banco Central admitir que existe uma "probabilidade relevante" da economia ter encolhido no primeiro trimestre, o que poderá colocar o país oficialmente na situação de uma recessão técnica (leia no Brasil 247), a queda de% no valor das vendas do Dia das Mães, segunda principal data do comércio varejista, aponta para um quadro de estagnação econômica resultante de uma falta de política que alavanque o ritmo da economia. Além deste fiasco para o varejo, o setor de serviços também encolheu 0,7%em março, na terceira queda consecutiva, acumulando uma retração de 1,7% nos três primeiros meses do ano.

Segundo a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), os consumidores gastaram 5% menos que no mesmo período do ano passado, evitando fazer dívidas em carnês ou no cartão de crédito, apesar do aumento de 4% na vendas, ante a o Dia das Mães do ano passado. O ticket médio de um ano para o outro encolheu cerca de 10%. "Aquelas pessoas que já conseguiram melhorar o seu nível de endividamento não querem assumir novos riscos, logo, na compra de algum presente, procuraram aliar à sua disponibilidade de gasto menor", disse o diretor institucional da Alshop, Luís Augusto Ildefonso da Silva ao portal G1

A tendência de retração também se estende a outros setores da economia. Segundo o IBGE, o volume do setor de serviços vem encolhendo desde o início do governo Jair Bolsonaro. A queda de 0,7% em março, elevou para 1,7% a retração acumulada do setor ao longo do primeiro trimestre. Na comparação com março de 2018, o tombo chegou a 2,3%.

Além disso, a receita nominal do setor de serviços caiu 0,6% na passagem de fevereiro para março, apesar de registrar alta de 1,1% na comparação sobre o mesmo mês do ano passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

15/9 - Para os que serão enterrados sob flores amarelas e medrosas

FONTE: https://osdivergentes.com.br/outras-palavras/para-os-que-serao-enterrados-sob-flores-amarelas-e-medrosas                           ...