quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

31/1 - CHEGA ÁGUA NO CANAL DO SERTÃO


 
From: Ana Santanna
Sent: Wednesday, January 30, 2013 2:03 PM
To: undisclosed-recipients:
Subject: Obrigado Lula, Obrigado Dilma, Água em Alagoas!
 
 
De: Julio Cesar Macedo Amorim


Do NE10 copiado do blog do Nassif
Da Redação, com assessoria
Após a conclusão dos primeiros testes das bombas do Canal do Sertão, a maior obra de infraestrutura hídrica de Alagoas entrou em operação na noite desta segunda-feira (28). O anúncio foi feito via Twitter pelo governador Teotonio Vilela Filho e pelo secretário de Estado da Infraestrutura, Marco Fireman, que estão em Delmiro Gouveia nesta terça-feira (29) para acompanhar o bombeamento das primeiras águas ao longo dos 65 quilômetros iniciais do canal.
O início da operação do Canal do Sertão vai permitir a distribuição de água ao longo dos municípios de Delmiro Gouveia, Pariconha e Água Branca, já na divisa com Olho D’Água do Casado.
Testes concluídos no Canal do Sertão. Neste exato momento está chegando água no canal. Confesso minha emoção com a notícia. Estarei lá para comemorar com os trabalhadores esse momento histórico para Alagoas e nosso Sertão. Que Deus nos abençoe e abençoe o povo sertanejo do nosso Estado”, publicou em seu Twitter o governador Teotonio Vilela, após receber de técnicos a notícia do acionamento das bombas.
O secretário Marco Fireman também comentou o assunto na rede social. “Se o Canal do Sertão era um sonho, neste exato momento podemos dizer: agora ele é realidade, alagoanos e alagoanas!”, comemorou Fireman.
De acordo com o governo, a inauguração oficial dos primeiros trechos do Canal do Sertão será agendada para depois do Carnaval, com a presença da presidente Dilma Rousseff.
No início da manhã desta terça-feira, a água já atingia o km 16 do canal e a perspectiva é de que dentro de uma semana a água alcance o km 65. Para a inauguração, a lâmina de água que percorrerá o canal terá 1,9 m de altura. Quando a obra estiver totalmente finalizada a altura será de 2,8 m.
Obra
Inserido no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o Canal do Sertão é a maior obra de infraestrutura hídrica de Alagoas e uma das maiores do Nordeste. Ele alcança 42 municípios e mais de 1 milhão de alagoanos, levando água para a população sertaneja anualmente atingida pela seca.
O Governo do Estado concluiu os dois primeiros trechos do canal, alcançando o km 65, e as obras do terceiro trecho já foram iniciadas, com serviços em andamento e recursos garantidos pelo Ministério da Integração Nacional até o km 78. Quando estiver concluído, o Canal do Sertão alcançará a marca de 250 km de extensão, ligando Delmiro Gouveia a Arapiraca.




--
[A rede castorphoto é uma rede independente tem perto de 41.000 correspondentes no Brasil e no exterior. Estão  divididos em 28 operadores/repetidores e 232 distribuidores; não está vinculada a nenhum portal nem a nenhum blog ou sítio. Os operadores recolhem ou recebem material de diversos blogs, sítios, agências, jornais e revistas eletrônicos, articulistas e outras fontes no Brasil e no exterior para distribuição na rede]

31/1 - SARAIVA 13 (IMPERDÍVEL)

SARAIVA 13



Posted: 30 Jan 2013 03:14 PM PST

 

Esses dias o Cadu Amaral, em seu blog, num post maravilhoso (intitulado A Doença de Reinaldo Azevedo) ressalta vários comportamentos do Coxinha da Veja, e os associa ao distúrbio mental conhecido hoje como Bipolaridade. Para os mais antigos é mais conhecido como Psicose Maníaco Depressiva. Caracteriza-se por comportamentos altamente variáveis; que pode, na fase maníaca, se manifestar como agitação, pensamento rápido, insônia, obsessão com assuntos ou pessoas etc; e na fase depressiva - bom, precisa explicar? Eu explico, depressão, desânimo, desalento, sensação de inutilidade (esse é sintoma favorito do Coxinha).
Resolvi traçar um mapa das doenças que atingem o jornalista, em seus mais variados aspectos.
Comecemos pela Neurose. O genial Einstein, que não era neurótico, nem psicanalista, descrevia a neurose (que ele chamava de loucura) assim: "Loucura é fazer a mesma coisa repetitivamente, e esperar resultados diferentes!". Essa é a descrição da neurose, que eu prefiro descrever como o distúrbio em que o comportamento do afetado se assimila ao de um disco arranhado; quando a agulha chega no ponto arranhado do disco, ao invés de seguir em frente, ela volta ao sulco anterior numa espiral sem fim. Isso se repete, até que alguém dê um cutucão, pra colocar a agulha, de novo, em sua trilha. Esse tipo de distúrbio parece afetar de maneira assoberbante uma grande parte dos nossos "doentes" (leia-se jornalistas), que há anos tentam, através dos mesmos atos e artifícios, contaminar a sociedade com sua neurose obsessiva com o Lula. As mesmas técnicas e artifícios se repetem, sem jamais alcançar seu objetivo. Num sem fim de insanidade (ou canalhice) ele repete o mesmo comportamento, causando perplexidade nos mais ajustados à realidade, até o ponto de provocar fobia; nos mais sadios, fobia das idéias e seus donos.
Em seguida seria de bon ton analisarmos a esquizofrenia. Esta se caracteriza por alucinações, visuais e auditivas, vindas de um mundo fantástico que só existe na cabeça do esquizofrênico. O resultado é um indivíduo com incapacidade de se comportar no mundo real de maneira satisfatória, levando-o a uma total falta de conexão com a realidade. Delírios ou falsas crenças patológicas que não são corrigíveis pela razão (neoliberalismo), pensamento desorganizado, alterações dos afetos, das emoções, do juízo crítico e de vontade. A pessoa que sofre de esquizofrenia pode falar incoerentemente, deixar de falar, ter respostas emocionais desadequadas (matérias e piadas de mau gosto), humor embotado ou neutro (caso do Chico SemUso), ausência de respostas emocionais (Willian SuWaacko) ou períodos longos de exaltação ou depressão (Eliane Tacanhede), ideias de perseguição e grandeza (Alexandre Gracinha) ou outras de conteúdo fantástico (Arnaldo Jabourro). Esse distúrbio também parece afetar o Reinaldo, além dos outros representantes da mídia citados aqui. Em suas alucinações veem a esquerda como algum poder demoníaco que os persegue em sonhos e delírios e contra os quais o doente pode praticar atos ensandecidos travestidos de uma imitação de heroísmo, raramente o esquizofrênico fere alguém além de si mesmo, mas entre jornalistas essa regra é nula.
Passemos então à obsessão compulsiva, ou Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Essa patologia se caracteriza por um desconforto que leva o obsessivo a pensar constantemente numa só coisa, dezenas, até centenas de vezes. A Ideia fixa destrói a vida do indivíduo, levando-o a se tornar uma sombra do pensamento que lhe obsidia. Pessoas, lugares e fatos dominam a cabeça do obsessivo, impedindo-o de realizar a mais simples das tarefas, como sua obrigação profissional. Pudemos ver isso, em comportamento grupal, na transmissão do Julgamento da Ação Penal 470 (que pelas características alucinatórias e afastadas da realidade dos fatos, parece criação de um esquizofrênico do judiciário). Na GROBONIUS por exemplo, mesmo perdendo audiência, devido ao tédio de assistir um bando de togas pelancudas, falando uma língua que ninguém entendia, num assunto que a poucos interessava; a 'cobertura' obsessiva não conseguia se afastar para compreender o próprio ridículo. Enterraram-se até o pescoço na tentativa insana de ligar fatos corriqueiros de nossa realidade política (triste, sim, mas verdadeiro) a um único grupo, numa flagrante demonstração patológica de Obsessão Compulsiva.
Chegamos, enfim, ao mais danoso tipo de comportamento (sim, não é doença patológica, mas uma forma de comportamento) do psicopata. Desprovido de empatia, ou sentimentos verdadeiros como remorso e culpa, o psicopata tem a si como único ponto de referência. Incapaz de ver e compreender o outro, o psicopata se dedica tão somente a satisfazer a si, e suas doentias necessidades. Alcançar seus objetivos, por mais nocivos que sejam, é a única preocupação do psicopata. Ele não vê limites para sua atuação, nem mesmo a lei ou a possibilidade de punição (que para os jornalistas da grande mídia, jamais chega). É ardiloso e tem uma aparente inteligência que lhe dá a capacidade de articular tramas complexas e criminosas, só para ter o prazer de dominar suas vítimas (nós). Ele mente compulsiva, e competentemente, para atrair suas vítimas às suas armadilhas, que no fim só geram dor e desespero aos envolvidos. Nessa categoria podemos enxergar todos os representantes do jornalismo empresarial, enaltecidos e premiados, que fazem de tudo para que o que pretendem se torne realidade, mesmo que só para eles.
Existe tratamento para a maioria desses distúrbios, drogas pesadas e internação são altamente recomendados, em alguns casos, só lobotomia.
René Amaral
No Amoral Nato

Posted: 30 Jan 2013 02:16 PM PST

A postagem já foi retirada do ar da página da Rádio Globo, porém recebi de várias pessoas a denúncia com o print, foto, da página.
Denuncie
E daí que a garota tenha corpo de mulher? Violência é violência. Abuso é abuso.Perguntar se isso é crime enoja, revolta, indignação grita!
"Roberto Canazio quer saber: Algumas meninas de 12 anos têm hoje corpo de mulher, pensar "maldade" seria pedofilia por parte dos homens? 
No Maria da Penha Neles!

Posted: 30 Jan 2013 01:30 PM PST


Já lhe dei meu corpo
Minha alegria
Já estanquei meu sangue
Quando fervia
Olha a voz que me resta
Olha a veia que salta
Olha a gota que falta
Pro desfecho da festa
Por favor...

Deixe em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção, faça não
Pode ser a gota d'água...(2x)

Já lhe dei meu corpo
Minha alegria
Já estanquei meu sangue
Quando fervia
Olha a voz que me resta
Olha a veia que salta
Olha a gota que falta
Pro desfecho da festa
Por favor...

Deixe em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção, faça não
Pode ser a gota d'água
Pode ser a gota d'água
Pode ser a gota d'água....
Posted: 30 Jan 2013 01:22 PM PST


Os principais jornais de quarta-feira (30) amanheceram com destaque principal de primeira página para o primeiro aumento de gasolina da Petrobrás para as refinarias desde 2005, há mais de sete anos. Em média, o aumento deverá ser de 6,6% nos produtores.
Todavia, como a gasolina é misturada com 20% de álcool, o reajuste aos consumidores deverá ser de míseros 4% nas bombas.
Dias antes do aumento, o PSDB passou a inundar redes sociais na internet com a versão de que o governo estaria dando com uma mão ao consumidor e tirando com outra, vendendo a história de que o aumento da gasolina anularia o da energia elétrica.
Além disso, o partido de oposição vem alardeando que o suposto “escambo” governamental teria a intenção de anular, nos índices de inflação, o peso do aumento da gasolina.
Os jornais desta quarta-feira compraram integralmente a versão tucana e deram a ela um destaque grandiloqüente em suas primeiras páginas. Nos telejornais será a mesma coisa: tentarão vender ao público que ninguém ganhou nada com a redução da conta de luz.
Detalhe: fracassado o alarmismo sobre racionamento, apagão etc., a direita midiática teve essa idéia de “jênio” (By PHA).
Trata-se de uma falácia. Estudo do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) mostra que a frota brasileira de veículos automotores tem 32,9 milhões de automóveis e comerciais leves, 1,54 milhão de caminhões, 354 mil ônibus e 11,674 milhões de motocicletas. Com isso, relação de veículos por habitantes no país é de 1 para 4. Ou seja: só um quarto dos brasileiros tem algum veículo.
Não é preciso ser muito esperto para notar que é uma empulhação dizer que 4% de aumento no preço dos combustíveis anulará média de 20% de desconto nas contas de luz (18% para residências e 32% para empresas), pois 98% dos brasileiros têm energia elétrica em casa e só ¼ tem veículos.
O peso da redução no preço da energia elétrica, portanto, é muito maior do que o aumento irrisório no preço dos combustíveis. E isso sem falar que, de 2005 para cá, todos passaram a ganhar salários muito maiores enquanto que os combustíveis não subiram.
Até mesmo em termos de politicagem a estratégia da mídia e do PSDB para desgastar o governo Dilma é inepta. É óbvio que não são 25% dos brasileiros que têm carro ou qualquer outro veículo. Neste país de renda concentrada, uma minoria tem vários veículos.
A reação da grande maioria, mesmo de quem acreditar que o governo trocou aumento em combustível por desconto na energia elétrica, será de desprezo pelo aumento. A esmagadora maioria que não tem carro achará muito justa a troca que não houve.

Do Blog da Cidadania.
Posted: 30 Jan 2013 01:18 PM PST
Se não bastasse a estupidez do PSDB de entrar com representação(fato nunca visto antes na história deste país, nem quando o PT era um valente opositor) contra Dilma, os tucanos agora querem que a Justiça proíba Dilma usar vestido vermelho(pasmem! é isso mesmo).Segundo os tucanos corruptos, ao usar vestido vermelho Dilma está fazendo campanha antecipada e explícita.Mas que absurdo! Só falta o PSDB pedir  que a Justiça proíba Gabeira, Marina da Silva(que ainda é verde) e afins de usar a cor verde.Esses tucanos são engraçados, muito antes da eleição de 2010, José bolinha de papel fez propaganda da SABESP no Brasil inteiro, como se os eleitores da Bahia, Rio de Janeiro, Minas, Ceará, Piauí, Sergipe, Brasília, Mato Grosso, Amazonas, Pará, Paraná, Goiás, Tocantins, RN, RS, MA, SE, Pernambuco, Alagoas, Acre, Roraima, Rondônia, MT, SC, ES tivessem alguma a coisa a ver com o que faz ou deixa de fazer a SABESP. Aquilo, sim, que era propaganda vergonhosa, explícita.No caso de Dilma, não houve nada disso, a grande presidente apenas comunicou algo de interesse do Brasil inteiro(menos São Paulo, Paraná e Minas Gerais, claro!), se os tucanos não gostaram, que se fodam.
Nenhum comentário:  

Também do Blog O TERROR DO NORDESTE.
Posted: 30 Jan 2013 01:15 PM PST

 

:

Objetivo de apontar erros no que foi visto como um julgamento político de exceção tem mais uma etapa; campanha organizada pela CUT chega à Associação Brasileira de Imprensa, no Rio, para debate que será transmitido ao vivo pela internet; José Dirceu vai participar; link
 

Posted: 30 Jan 2013 11:16 AM PST
Posted: 30 Jan 2013 11:11 AM PST

 
Em reunião com os tucanos paulistas, na abertura do congresso do PSDB-SP neste início de semana (terça-feira), o ex-governador José Serra fez crítica ao aparelhamento da máquina pública. Deve ser com relação ao governo Geraldo Alckmin, que acabou de cooptar vários partidos para sua base de apoio oferecendo secretarias e cargos na máquina pública estadual.
Mas, o que ficou mesmo da fala dele e do senador Aloysio Nunes Ferreira Filho (PSDB-SP) é o lançamento de Alckmin para candidato a presidente da República no ano que vem e a defesa de prévias. Aloysio defendeu “trazer todas as forças políticas para reeleger o governador Geraldo Alckmin, se ele não for candidato a presidente”.
“Ele é um nome forte, é o governador de São Paulo, é um ser de tradição política, já foi candidato à Presidência”, disse o senador tucano paulista ao defender a ida de Alckmin para a disputa do Planalto. “Não se pode excluir a hipótese de o Geraldo vir a ser candidato à Presidência”, completou.
Serra candidato a governador. Acreditem se quiser...
O jogo dos tucanos paulistas é: se Alckmin disputar de novo (já concorreu e perdeu em 2006) a presidência da República, a vaga de candidato a governador fica para José Serra. Por isso, também, já há algum tempo a defesa da realização de prévias para escolha de candidatos tucanos entrou na pauta do PSDB paulista, agora com apoio dos serristas. Em 2010 Aécio Neves propôs esse caminho para escolha do candidato ao Planalto, Serra enrolou e inviabilizou a proposta.
Agora o PSDB, com o aval inclusive do governador Alckmin, tem defendido esse caminho. O que querem? Que Aécio dispute prévias. “(Candidato) se escolhe. Existem mecanismos democráticos para isso. Qual é o problema se você tiver mais de um candidato?”, perguntou ontem o senador Aloysio.
O senador Aécio Neves que se cuidade, então. E São Paulo, também, uma vez que alguns tucanos já insinuam que José Serra pode disputar o governo do estado... Acreditem se quiser...
José Dirceu, advogado, ex-ministro da Casa Civil e membro do Diretório Nacional do PT
No Justiceira de Esquerda

Posted: 30 Jan 2013 11:05 AM PST

Do Blog do Planlto - Quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 às 13:02   (Última atualização: 30/01/2013 às 14:55:29)

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, afirmou nesta terça-feira (29), durante o Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas, que a meta do Programa Minha Casa Minha Vida é contratar 3,4 milhões de novas moradias até 2014. Segundo o ministro, para que o objetivo seja alcançado é fundamental o estreitamento do relacionamento entre os governos federal, estadual e municipal.

Criado em 2009, o programa já entregou mais de 1 milhão de unidades habitacionais e investiu mais de R$ 156 bilhões. De acordo com o ministro, no ano passado o Minha Casa Minha Vida gerou um impacto positivo em relação ao PIB brasileiro de 0,8%, por meio da geração de empregos e movimentação da cadeia produtiva.

O ministro falou também sobre os recursos destinados aos projetos de mobilidade urbana. De acordo com Aguinaldo Ribeiro, já foram realizadas as seleções para as cidades da Copa do Mundo de 2014, para o PAC Grandes Cidades e agora será anunciada a seleção para o PAC Médias Cidades. “Estão sendo investidos R$ 22 bilhões no PAC Grandes Cidades, R$ 7 bilhões no Médias Cidades, R$ 7 bilhões para as obras de mobilidade para a Copa e R$ 7 bilhões em pavimentação e qualificação de vias urbanas”, informou.
.
Posted: 30 Jan 2013 10:54 AM PST


Leveson deu a saída, no Reino Unido…

“Depois de Leveson, a União Européia
Venício A. de Lima, Observatório da Imprensa

Sob o ensurdecedor silêncio da grande mídia brasileira, foi divulgado em Bruxelas, na terça-feira (22/1), o relatório “Uma mídia livre e pluralista para sustentar a democracia europeia”, comissionado pela vice-presidente da União Europeia, Neelie Kroes, encarregada da Agenda Digital [ver aqui a íntegra do relatório, acesso em 23/1/2013].

Preparado por um grupo de alto nível (HLG) presidido pela ex-presidente da Letônia, Vaira Vike-Freiberga, e do qual faziam parte Herta Däubler-Gmelin, ex-ministra da Justiça alemã; Luís Miguel Poiares Pessoa Maduro, ex-advogado geral na Corte de Justiça Europeia; e Ben Hammersley, jornalista especializado em tecnologia, o relatório faz trinta recomendações sobre a regulamentação da mídia como resultado de um trabalho de 16 meses que começou em outubro de 2011. As recomendações serão agora debatidas no âmbito da Comissão Europeia.

Posted: 30 Jan 2013 10:47 AM PST
Do Blog do Rovai - 30/01/2013

 

Renato Rovai 

 

A Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria Geral da República finalmente apresentou uma posição sobre a licitação para a compra de tablets numa licitação com todos os indícios de direcionamento com especificações técnicas que só poderiam ser atendidas pelo Ipad, tablet fabricado pela Apple.

A PGR afirmou que em nenhum momento quis esconder a intenção de adquirir Ipads, alegando que a escolha foi tecnicamente justificável, o que não fere a Lei de Licitações.

De acordo com o órgão, “a especificação foi embasada por relatórios técnicos da área de Tecnologia da Informação, que focaram principalmente em características de segurança do sistema operacional IOS, modelo de desenvolvimento e comercialização de aplicações, compatibilidade com serviços existentes, aspectos econômicos e de diminuição de custo de propriedade”.

Leia a íntegra da nota divulgada pela PGR:

“A Secretaria de Comunicação Social esclarece que a Procuradoria Geral da República promoveu sua licitação de tablets optando pela marca IPad. Tal opção não fere a legislação, encontrando amparo legal no Artigo 7º, §5º da Lei de Licitações e Contratos, o qual consigna que a indicação de marca é admissível, quando tecnicamente justificável, litteris:

“§5o. É vedada a realização de licitação cujo objeto inclua bens e serviços sem similaridade ou de marcas, características e especificações exclusivas, salvo nos casos em que for tecnicamente justificável ou ainda quando o fornecimento de tais materiais e serviços for feito sob o regime de administração contratada, previsto e discriminado no ato convocatório.”

O processo de aquisição, com os requisitos técnicos pertinentes e alinhados às necessidades institucionais, foi referendado pelo Subcomitê Estratégico de Tecnologia da Informação (SETI), que atua como instância consultiva no estabelecimento de prioridades e diretrizes para a tecnologia da informação no âmbito do Ministério Público Federal. O Edital é claro quando aponta a escolha da marca, visto que no item II, Especificações, Condições Gerais, estabelece: “…O produto a ser cotado deverá ser obrigatoriamente a versão mais nova existente no mercado. Por exemplo, na data de elaboração deste Termo de Referência o modelo mais novo disponível para venda é o iPad 3. Caso na época da entrega exista um modelo mais recente, este modelo mais recente é o que deverá ser entregue…”

Ademais, a especificação foi embasada por relatórios técnicos da área de Tecnologia da Informação, que focaram principalmente em características de segurança do sistema operacional IOS, modelo de desenvolvimento e comercialização de aplicações, compatibilidade com serviços existentes, aspectos econômicos e de diminuição de custo de propriedade. Os autos foram encaminhados para consulta à Auditoria Interna do Ministério Público da União, cujo entendimento concluiu pela observância dos princípios recomendados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e os constantes da Lei 8666/93, ressalvando apenas ampla pesquisa de preços para estipulação do preço máximo admissível. Durante todo o processo licitatório não foi registrado qualquer pedido de esclarecimento ou impugnação. O certame teve ampla competitividade, contando com mais de 20(vinte) participantes.

Por fim, o TCU, em diversos julgados, tem se manifestado pela possibilidade excepcional de indicação de marca em licitações, desde que fundadas em razões de ordem técnica ou econômica, devidamente justificadas pelo gestor, hipóteses nas quais não há ofensa ao princípio da isonomia, nem tampouco restrições ao caráter competitivo do certame (Decisão n. 664/2001 – Plenário; Acórdão n. 1.010/2005 – Plenário e Acórdão n. 1.685/2004 – 2ªCâmara)”

Não custa lembrar ao PGR que a empresa vencedora do certame licitatório para a compa de Ipads é uma ME pode ter no máximo R$ 240 mil de faturamento bruto anual, e que venceu uma licitação de quase R$ 3 milhões.

Além disso, apresenta-se na internet como especialista em licitações e tem como sede uma modesta loja em um bloco comercial de Brasília.


 
Afora o fato de que se o mesmo o mesmo modelo de Ipad tivesse apenas uma unidade comprada (e não 1.226) na loja virtual das lojas Americanas,  mais a capa exigida pela licitação, o preço final seria de R$ 3.383,20. Ou seja, o preço unitário saíria R$ 15,00 menor do que o pago pela PGR para comprar 1.226 unidades. Curioso, né? Isso revela ou que a licitação além de dirigida pode ter sido viciada ou que os órgãos públicos precisam acabar com os pregões eletrônicos e licitações, porque eles acabam resultando em prejuízo para o erário. Afinal, se um órgão pode ir na loja e comprar um produto mais barato do que no pregão eletrônico algo está muito errado.

Por fim, a PGR não tinha outra data mesmo para fazer o pregão. Ele precisava mesmo ser realizado na tarde do dia 31/12? A escolha do dia tem algo a ver com numerologia ou ciclo astrológico?
.
Posted: 30 Jan 2013 10:43 AM PST

TUBARÕES DA MÍDIA CATUCAM A PRESIDENTE COM VARA CURTA

A oposição e a mídia estão em ALERTA MÁXIMO com a "visita" que o jornalista Franklin Martins faz no dia de hoje ao Palácio do Planalto para uma "conversa de pé de ouvido" com a presidente Dilma Rousseff.

Ex-ministro (Comunicação Social) do governo Lula, Franklin conhece tudo sobre o comportamento (mau comportamento) das famílias que controlam as comunicações no BRASIL, e tem algumas "propostas" para que a DEMOCRATIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO passe a vigorar no nosso país, ao invés da DITADURA DA DESINFORMAÇÃO que hoje, a MÍDIA controlada pelo GAFE, impõe.

Eu ouvi dizer não sei onde, e não lembro quem foi que me disse, que Franklin Martins GOSTOU MUITO do pronunciamento da presidente, feito em cadeia de rádio e televisão, para comunicar a redução das tarifas de energia e desmentir a boataria da Mídia sobre a possibilidade de APAGÃO. Me disseram ainda, que talvez venha por aí um CHÁ COM A PRESIDENTA, nos moldes do CAFÉ COM A PRESIDENTA. O CHÁ seria as 5 h. da tarde, e pela TV. É possível ainda que Franklin Martins volte.
Posted: 30 Jan 2013 06:17 AM PST
Posted: 30 Jan 2013 03:57 AM PST

PSDB e aliados viraram piada nas redes sociais pela representação que fizeram contra o pronunciamento da presidenta Dilma e o uso de um vestido da cor vermelha que lembra a cor do PT.  Na imagem acima, nossa humilde contribuição para que os tucanos possam impedir outras "propagandas petistas" Brasil afora... #PSDBvermelhoDeRaiva
No Palavras Diversas

Posted: 30 Jan 2013 03:10 AM PST


Por Mário Augusto Jakobskind 

O jornal El País realmente bateu o recorde em matéria de barriga (termo utilizado por jornalistas para designar divulgação de informações erradas) ao publicar uma foto de um suposto presidente Hugo Chávez entubado na cama de um hospital. Os primeiros exemplares impressos foram rodados e distribuídos, bem como a foto divulgada no site ficou no ar algum tempo.

Tudo começou quando o jornalista italiano Tommasso Debenedetti enviou a foto, capturada do Youtube, para três agências de notícias, que não divulgaram nada. Estranhamente, a imagem acabou aparecendo no jornal El País, cujos editores, sem nenhum tipo de checagem, publicaram.

Debenedetti alega que ao divulgar a falsa foto de Chávez queria apenas testar o jornalismo que vem sendo exercido atualmente. Será? Então, por que ao enviar a imagem se fez passar pelo Ministro venezuelano da Cultura, Pedro Calzadilla?

O jornalista italiano não é confiável. Tem antecedentes negativos como autor dos rumores sobre a morte do líder da Revolução cubana Fidel Castro, do escritor colombiano Gabriel García Márquez e se apresentou no Facebook e Twitter como personagens famosos, entre os quais Mario Vargas llosa, Umberto Eco e até o Papa Bento XVI.

Na verdade, não é de hoje que a mídia de mercado tem publicado falsas informações sobre a saúde do presidente venezuelano. Aqui neste espaço já se comentou o desejo de algumas publicações em ver Chávez morto. A Rede Globo que o diga, bem como colunistas vinculados ao famigerado Instituto Millenium, já conhecidos e cujos nomes nem vale a pena citar.

O El País pediu desculpas aos seus leitores e teve de admitir publicamente o erro grosseiro. Se não o fizesse perderia de vez a credibilidade até mesmo entre os leitores que o consideram o melhor dos melhores.

Mas o governo venezuelano entendeu que não bastam as desculpas e decidiu entrar com uma ação judicial contra o jornal espanhol, conforme anunciou o Ministro da Comunicação e Informação, Ernesto Villegas.

Há muitos mitos sobre os meios de comunicação pelo mundo a fora. O El País, por exemplo, é citado por outros jornais, como “o consagrado jornal espanhol”. A BBC de Londres é considerada pelos acadêmicos de plantão como o exemplo de mídia pública a ser seguido. Mas nem todos pensam assim.

Dias desses, ativistas sociais fizeram manifestação em frente à sede da emissora britânica denunciando a parcialidade na cobertura dos acontecimentos no Oriente Médio. Os palestinos, segundo os manifestantes, são tratados de forma discriminada.

Na época da invasão e ocupação do Iraque pelos Estados Unidos e com o apoio do Reino Unido, a BBC foi acusada de apenas defender os interesses do Estado britânico,  ou seja, estadunidenses, nas coberturas sobre os acontecimentos.

Se analisarmos as coberturas jornalísticas de outras mídias eletrônicas no Brasil, não há como silenciar diante das barbaridades que estão sendo cometidas.

Para ficarmos em um exemplo mais recente, já comentado na reflexão da semana passada, a intervenção francesa no Mali teve a unanimidade favorável ao que determinou o presidente François Hollande.

Em décadas passadas, por exemplo, antes da derrota dos franceses no Vietnã, substituídos em seguida pelos estadunidenses, vale uma consulta aos meios de comunicação para constatar a unanimidade em torno da defesa da ação colonial contra os “bárbaros nacionalistas comunistas” comandados pelo General Giap. Era um tempo em que comunistas eram acusados de “comer criancinhas” .

Na África de décadas passadas, o esquema era semelhante. Para se ter uma ideia, há 52 anos a CIA e os serviços de inteligência belga assassinaram Patrice Lumumba, líder da luta de libertação nacional no Congo.

Vale também uma consulta sobre o noticiário da mídia de mercado. Aliás, praticamente nenhum meio de comunicação brasileiro concedeu agora espaço para analisar a figura de Lumumba, assassinado em 17 de janeiro de 1960.

Nem é preciso recuar muito no tempo para constatar a parcialidade da mídia de mercado em relação a fatos históricos recentes. Meios de comunicação que hoje posam de democratas desde sempre, apoiaram a ditadura chilena de Augusto Pinochet. Silenciaram sobre as atrocidades que ocorriam no Uruguai depois de 1973 e assim sucessivamente. Alguns chegaram a defender a invasão do Uruguai pelos “democratas” militares brasileiros para coibir os tupamaros. E assim sucessivamente.

Para citar um caso mais recente, já lembrado neste espaço, o atual presidente da CBF e do Comitê Organizador para a Copa do Mundo, José Maria Marin, um dos responsáveis pelo assassinato de Valdimir Herzog,  ao discursar como deputado estadual da Arena pedindo “rigor das autoridades para enfrentar a infiltração na TV Cultura”, nunca foi questionado pelos grandes veículos de comunicação. Tem aparecido muito em função dos cargos que ocupa, mas poucos foram informados sobre o seu passado de extrema direita e até defensor do famigerado delegado Sergio Fleury.

A exceção fica por conta de O Estado de S. Paulo que na semana passada, pelo menos, editou declaração de Igor Herzog pedindo a exoneração de Marin por considerá-lo um dos responsáveis pelo que aconteceu com o seu pai, Vladimir Herzog, em outubro de 1975.


Posted: 30 Jan 2013 03:04 AM PST

Sem mandato e prestígio, o ex-senador Demóstenes continua a desfrutar dos luxos da época de parlamentar. Comemorou o Réveillon num dos melhores restaurantes de Paris, frequenta uma badalada academia, faz tratamentos em clínicas estéticas e degusta vinhos

 
 
Josie Jeronimo e Adriano Machado (fotos), de Goiânia
Chamada.jpg
FELIZ E ASSOVIANDO
No dia de seu aniversário, o ex-senador Demóstenes Torres saiu
de casa de terno e gravata, mas não teve compromisso social:
foi a uma clínica estética e comprou iguarias para o jantar
 
 
Apanhado nos grampos que ajudaram a condenar o contraventor Carlinhos Cachoeira a 39 anos e 8 meses de prisão, o ex-senador Demóstenes Torres perdeu o mandato de senador em junho de 2012 e foi afastado do Ministério Público de Goiás. Seis meses depois, porém, embora desprovido de cargo e prestígio, o ex-parlamentar do DEM não perdeu a pose nem a boa vida sustentada por luxos e prazeres dos tempos de parlamentar, quando foi considerado no Congresso uma espécie de paladino da ética, antes de ser flagrado em tramoias com o bicheiro. A fama de mocinho acabou, mas sua rotina continua à base do bom e do melhor.

Na quarta-feira 23, em seu primeiro aniversário depois da queda, assistiu-se a uma pequena romaria na entrada do condomínio Parque Imperial, em Goiânia, onde Demóstenes reside num apartamento avaliado em R$ 2 milhões. Vestido de paletó e gravata, Demóstenes saiu de casa pouco depois das 9 da manhã. Ocupado, conforme um assessor, com os preparativos de um jantar de aniversário, assumiu o volante de uma Vera Cruz Hyundai e passou duas horas fora de casa. No fim da tarde, saiu mais uma vez, dirigindo-se a uma clínica estética. No carro com o vidro semiaberto, dava tchauzinho para quem o reconhecia. Em sua vida sem mandato, Demóstenes tem aproveitado para fazer testes frequentes de popularidade.
 
1.jpg2.jpg
Semanas antes de comemorar seu aniversário, o ex-senador saiu-se bem quando enfrentou 20 minutos de fila no Vapt-Vupt – nome do Poupatempo em Goiânia – para trocar o passaporte diplomático, a que tinha direito como senador, pelo comum. Foi reconhecido por cidadãos anônimos, que tiraram fotos com celular. A maioria o aplaudia, mas a funcionária Raquel Silva enquadrou a equipe de atendentes que ameaçava entrar na algazarra: “Coloquei o Demóstenes numa fila. Quando o pessoal foi tirar foto, igual a uma celebridade, eu disse: ‘Menos, gente, menos.’” Dias depois da cassação ele foi à rodoviária para renovar a carteira de motorista. Recebeu abraços e cumprimentos. O mesmo aconteceu em suas idas a supermercados.

A situação se inverte quando Demóstenes aparece nos lugares mais nobres da capital de Goiás. Numa badalada academia de ginástica localizada na Praça do Ratinho, que frequenta há anos, o tratamento é outro – revelam os funcionários. Antes, as pessoas daquele local, um dos pontos de concentração do mundo endinheirado da cidade, formavam rodinha para ouvir histórias e perguntar sua opinião. Na última semana, foi visto sozinho, como uma companhia a ser evitada. Um motorista de táxi que costuma levar Demóstenes até o aeroporto conta que recentemente ele estava muito animado e falante até a metade do caminho. Mas, quando o carro passou pelo rio Meia Ponte, ocorreu uma cena significativa. Chovia muito naquele dia, e o taxista comentou: “O rio Meia Ponte está parecendo uma cachoeira.” Ele conta que após ouvir a palavra “cachoeira” Demóstenes amarrou a cara e fez o resto da viagem em silêncio.

A vida de Demóstenes depois da queda tem elementos que lembram um melodrama do século XIX, mas vários capítulos poderiam ser escritos por Robert Parker, o mais celebrado enólogo do planeta. Em dezembro, Demóstenes esteve em Paris para passar o Réveillon e aproveitou a estadia para jantar no Taillevent, um dos mais exclusivos restaurantes da capital francesa. Situado a poucos passos da avenida Champs-Élysées e do Arco do Triunfo, o Taillevent serve vinhos que custam em média 1,8 mil euros, mas podem chegar a 18 mil euros, caso o cliente opte pelo Bordeaux Château Lafite-Rothschild, safra 1846. O gosto do ex-senador por vinhos raros e caros tornou-se conhecido nacionalmente depois que a Polícia Federal descobriu que Cachoeira lhe deu um lote de cinco garrafas do maravilhoso Bordeaux Cheval Blanc (nota mínima de 93 sobre 100 nas avaliações disponíveis de Robert Parker), pagando US$ 14 mil pela iguaria. Como se vê, longe do Senado e dos holofotes da televisão que ajudaram a transformá-lo num campeão da moralidade pública, Demóstenes continua um cálice refinado e aplicado.
 
DEMOSTENES-G-IE-2254.jpg3.jpg
Hoje em dia ele só aparece em Brasília uma vez por semana e passa a maior parte de seus dias em Goiânia. Foi ali que, há poucos dias, num jantar no restaurante Madero, degustou uma garrafa de Pêra Manca (nota mínima de 86 na avaliação de Parker), que custa R$ 940. Em outra ocasião, numa visita à cantina San Marco, informou aos garçons que faria um pedido modesto, para uma refeição rápida. Pediu um Sirah Incógnito, português cujo preço é R$ 450 (87 sobre 100 na avaliação de Parker). Ficou contrariado porque o estoque havia acabado. Acabou servindo-se de um Malbec argentino, o Angélica Zapata, a R$ 300 a garrafa (a qualidade varia, mas Parker deu 91 para a safra de 1997). Ao reunir três procuradores para um encontro festivo, Demóstenes pediu um “Barca Velha”, que pode chegar a R$ 1,4 mil nas boas safras. Como brinde de Natal, Demóstenes distribuiu aos amigos e aliados políticos uma garrafa do sugestivo espumante português “Terras do Demo”, vendida a R$ 80. Procurado por ISTOÉ para uma entrevista, Demóstenes alegou que, orientado por seus advogados, preferia não dar depoimento nem responder a perguntas, mas ficou claro que ainda acumula poder no Estado. Instalada nas vizinhanças da residência do ex-senador, a equipe de ISTOÉ foi abordada por uma viatura policial, que pediu documentos.

Do ponto de vista legal, Demóstenes tem algumas complicações pela frente. Em agosto de 2012, com receio de que, mesmo sem mandato, ele ainda tivesse influência para livrar-se de qualquer investigação interna, 82 procuradores de Goiás assinaram um manifesto público exigindo que fosse aberta uma investigação sobre sua conduta. O caso hoje se encontra no Conselho Nacional do Ministério Público, que tem três opções pela frente. Pode transformar o afastamento temporário em permanente, sem maiores consequências para Demóstenes. Pode ainda aposentá-lo compulsoriamente, o que lhe permitiria conservar os vencimentos de R$ de 24 mil. Ou votar por sua demissão, que implicaria perda de qualquer benefício.

Responsável por arquivar as primeiras denúncias sobre Cachoeira que chegaram ao Ministério Público, o procurador-geral, Roberto Gurgel, costuma fazer pronunciamentos enfáticos em que confirma a disposição de acelerar as investigações contra Demóstenes. Procurado para comentar o caso, o procurador-geral mandou dizer, através de uma assessora, que sempre atuou no Conselho de forma isenta, “sem qualquer interferência nas decisões, como qualquer co nselheiro poderá confirmar”. Na prática, o caso caminha devagar. Amigo de Demóstenes, o conselheiro Fabio Silveira foi sorteado como primeiro relator e depois de 20 dias declarou-se impedido, o que já atrasou o processo em um mês.
4.jpg
A apreciação dos embargos apresentados pela defesa estava marcada para a terça-feira 29, mas já foi retirada da pauta, o que pode atrasar o exame geral do caso, inicialmente previsto para fevereiro. Com receio daquilo que, em outros tempos, Demóstenes denunciava como pizza, na semana passada três promotores do Ministério Público de Goiás circulavam por Brasília, procurando marcar audiências com os 13 conselheiros que terão a palavra final sobre o caso. “Queremos um julgamento justo, em tempo razoável,” afirma um deles, Reuder Cavalcanti. Ele entende que, numa decisão equilibrada, Demóstenes não deve ter direito a aposentadoria compulsória porque passou os 13 anos fora do Ministério Público. “É por causa desse afastamento que defendemos a demissão.” Para Luiz Moreira Gomes, que foi representante do Congresso no Conselho do Ministério Público, já conseguiu uma nova eleição pelo voto dos deputados e aguarda uma deliberação do Senado que pode reconduzi-lo ao posto, o episódio de Demóstenes tem um caráter exemplar. “A inércia foi uma demonstração de que o Ministério Público não adota para si a conduta criteriosa que exige dos outros,” afirma.

Por causa de uma decisão do ministro Ricardo Lewandowski, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, Demóstenes também enfrenta um inquérito criminal no Tribunal Federal Regional da 1a Região. É investigado por corrupção passiva, prevaricação e advocacia administrativa. Esse processo é mais demorado e não tem prazo definido para chegar a uma conclusão.

Ao perder o mandato, Demóstenes ficou inelegível até 2027. Há poucas semanas, contestando o período em que não poderá candidatar-se, ele apresentou recurso ao Tribunal Regional Eleitoral para rever a decisão. Perdeu, mas cabe uma segunda tentativa. As incertezas da Justiça colocam várias opções no futuro político do ex-senador. Ele não foi totalmente abandonado pelos antigos aliados nem será. Muitos deles têm interesse confesso em sua herança. O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), que atua na mesma fatia do eleitorado, prepara sua candidatura ao Senado em 2014 e conta com os votos de Demóstenes.
No plano pessoal, Demóstenes pensa em atuar como advogado de grandes empresas. Atualmente, além dos vencimentos como procurador (R$ 24 mil), Demóstenes tem rendimentos como sócio da Nova Faculdade, estabelecimento de ensino em Contagem, Minas Gerais. O dono da instituição é Marcelo Limírio, sócio de Cachoeira em redes de laboratórios de Goiás. Nas conversas em que fala de seus planos, Demóstenes tem dito que, se for condenado pelo Conselho da Magistratura, poderá advogar. Wellington Salgado, ex-senador e amigo fiel, já se dispôs a ajudar.

Colaboraram: Izabelle Torres e Claudio Dantas Sequeira

Fotos: divulgação; adriano machado; Directphot

Foto: Adriano Machado
 
Nenhum comentário:  

Do Blog O TERROR DO NORDESTE.
Posted: 30 Jan 2013 03:00 AM PST

Do Brasil 247 - 29 de Janeiro de 2013 às 21:57

 

:
Nesta quarta, a presidente receberá no Palácio do Planalto o ex-ministro Franklin Martins, que comandou a área de comunicação no governo Lula, numa audiência aguardada com grande expectativa; visto como inimigo pelos grandes meios de comunicação, Franklin é autor de uma Lei de Meios que democratiza o setor no País; sua chegada ocorre no momento em que o PSDB representa contra Dilma, com base em editoriais escritos por Folha, Veja, Globo e Estadão

247 - A audiência mais esperada do ano ocorrerá nesta quarta-feira, em Brasília. No Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff receberá o jornalista Franklin Martins, ex-ministro da Secretaria de Comunicação, no Palácio do Planalto. Franklin é autor de uma Lei de Meios, semelhante à que foi implantada por Cristina Kirchner, para democratizar o setor de comunicação – estudo recente, da organização Repórteres sem Fronteiras, apontou a mídia brasileira como uma das mais cartelizadas do mundo, como se no Brasil houvesse "30 Berlusconis" (leia mais aqui).

Ao deixar o governo Lula, no fim de 2010, Franklin deixou seu projeto nas mãos do governo, mas o ministro Paulo Bernardo, das Comunicações, não o levou adiante. Até agora, o discurso do governo Dilma tem sido o de que a melhor maneira de regular o setor de mídia é o controle remoto – o que incomoda setores da esquerda, e especialmente do PT, que gostariam de uma nova regulamentação para o setor. O presidente do partido, Rui Falcão, condena, por exemplo, a propriedade cruzada – o que é vetado nos Estados Unidos e impede, por exemplo, que emissoras de televisão sejam também proprietárias de jornais.

Por ter elaborado um projeto de uma Lei de Meios, Franklin foi convertido em inimigo número 1 dos grandes meios de comunicação, que o acusam de querem implantar a censura no País. Ao mesmo tempo, há um certo cansaço com o "monopólio" da opinião no País. 
Praticamente todos os grandes veículos de comunicação do País repetem um discurso uniforme, elaborado no Instituto Millenium, contra o PT, contra Lula e, mais recentemente, contra iniciativas do governo Dilma. Um exemplo disso ocorreu nesta terça-feira, quando integrantes do PSDB apresentaram representação contra Dilma por seu pronunciamento sobre a redução das tarifas de luz. O que ancorava a representação? Editoriais da Folha, do Estado, do Globo, de Época e de Veja.

Leia, abaixo, reportagem da Rede Brasil Atual a respeito disso:

PSDB usa 'Folha, 'Estadão', 'Globo' e 'Veja' para justificar ação contra Dilma

Orientando-se pelos editorais da grande imprensa, tucanos afirmam que presidenta fez promoção pessoal e propaganda eleitoral e partidária no pronunciamento do último dia 23


São Paulo – O PSDB usou editorais dos jornais Folha de S.Paulo, O Estado de São Paulo e O Globo, além de um texto da revista Veja, para justificar a representação que protocolou hoje (29) na Procuradoria-Geral da República contra a presidenta Dilma Rousseff. A ação – acompanhando a linha dos textos pulicados na grande imprensa – acusa Dilma de fazer “promoção pessoal” e “propaganda eleitoral e partidária” no pronunciamento de rádio e TV levado ao ar no último dia 23, quando a presidenta anunciou a redução das tarifas de energia elétrica e criticou os que são “do contra”.

Segundo a representação, assinada por advogados do PSDB, Dilma “transformou o espaço (...) em um palanque de lutas partidárias” e fez “puro proselitismo político”.

O texto argumenta ainda que o formato do pronunciamento lembra as peças publicitárias da campanha presidencial de 2010, como caracteres e recursos gráficos. Para o PSDB, as “semelhanças” são indicativos do caráter “eleitoreiro”.

A ação também questiona o uso da logomarca do governo na abertura do pronunciamento e o fato de Dilma vestir uma roupa vermelha, “em uma clara referência às roupas vermelhas utilizadas na campanha de 2010 e nos programas partidários, fazendo alusão à cor do seu partido”.

No entendimento dos tucanos, tais elementos mostram que Dilma cometeu um “verdadeiro crime de responsabilidade” e um “desvirtuamento do escopo legal”.


.
Posted: 30 Jan 2013 02:54 AM PST
|

Faltando três dias, janeiro já é o melhor da história
 

– Foram vendidos até esta segunda-feira (28), 253.280 carros e comerciais leves, contra 252.692 em todo janeiro de 2012.
Com 253.280 unidades vendidas até esta segunda-feira (28) o mercado de carros e comerciais leves já garantiu que terá o melhor janeiro da história: em janeiro do ano passado, o melhor até então, foram vendidas 252.692 unidades.
Faltando três dias para encerrar o mês, a expectativa é de que as vendas ultrapassem os 300 mil carros.
A média de vendas até agora é de 13.330 unidades, 16% acima da média de vendas registrada em janeiro do ano passado (que tinha sido a melhor da história).
Esse desempenho é superior ao registrado em quase todo o primeiro semestre do ano passado: perde apenas para o mês de junho, quando as vendas explodiram por causa da eliminação/redução do IPI.
Ônix (quinto colocado até ontem) e HB20 (décimo) estão “bombando” nas vendas deste mês.
Posted: 30 Jan 2013 02:50 AM PST

 
A Procuradoria Geral da República (PGR) realizou licitação no final de 2012 para a compra de 1226 tablets — 1200 para a PGR e 25 para o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Não se discute a importância dos aparelhos para o exercício da função dos procuradores, o interessante foi como o edital para compra pelo órgão comandado pelo senhor Roberto Gurgel foi produzido para que a vitoriosa no processo fosse a Apple.
A Lei de Licitações determina que marcas não podem ser citadas em editais de compras públicas, mas o edital da licitação da PGR (141/2012) cita a Apple ao menos duas vezes e exige tecnologias que só a empresa detém, o que inviabiliza a participação de qualquer outra fabricante. Ou seja, como se diz no universo das concorrências, a licitação foi dirigida.
Nas especificações técnicas para os tablets licitados, o edital determina que o aparelho precisa possuir a tecnologia  “Tela Retina”, que é exclusiva da Apple e que venha equipado com o chip Apple A5X dual core, fabricado apenas para produtos da marca. Veja nas imagens.
 
E mais, as dimensões exigidas no edital são exatamente as mesmas do Ipad. Veja o comparativo entre o site da Apple e o texto da licitação.
Dimensões informadas no site da Apple, na imagem da esquerda, e dimensões exigidas na licitação da PGR, na imagem da direita (Foto: Reprodução)
Exige-se ainda uma capa para tablet, fabricada pela Apple e desenvolvida especificamente para o Ipad. Veja nas imagens abaixo onde a marca foi citada no edital.
O repórter Felipe Rousselet entrevistou Cláudio Weber Abramo, executivo da ONG Transparência Brasil, indagando-o sobre a legalidade de uma licitação feita nestes moldes. A resposta foi curta e direta: “Essa licitação é ilegal”. “As dimensões já direcionam. É difícil, mesmo pela Apple, conseguir este tipo de precisão. Não nas dimensões, mas no peso é aceitável que exista uma diferença de uma ou duas gramas”, comentou.
Evidente que a vencedora da concorrência em pregão eletrônico foi a Apple, conforme resultado publicado abaixo.
O repórter Felipe Rousselet entrou em contato com a assessoria de imprensa da PGR, do CNMP e da Apple, mas  até a publicação deste post, apenas o CNMP  se posicionou sobre o caso. Através da sua assessoria, o órgão afirmou que não participou da elaboração do edital para a compra dos tablets e do processo de fiscalização, apesar de ser beneficiado com algumas unidades do equipamento. O CNMP disse ainda que o dinheiro ainda não foi empenhado. Ou seja, a empresa vencedora já foi escolhida, mas o pagamento e a entrega dos tablets ainda não foram feitos.
Roberto Gurgel que abusou dos holofotes da mídia para discursar sobre o “mensalão”, agora prefere se calar sob a suspeita  de licitação dirigida envovendo R$ 2.940.990,10  no órgão que preside. Só para constar, o que em tese não é algo ilicito, mas pode explicar muita coisa. Esse pregão eletrônico ocorreu no dia 31 de dezembro à tarde, quando o órgão já estava em recesso. Dia 31 de dezembro à tarde, você não leu errado. E mesmo assim o órgão comandado por Gurgel acredita que não tem nenhuma explicação a dar à sociedade brasileira. Alvíssaras.
Atualizando: Por Sugestão do leitor Eric, acrescento mais uma questão a este post. Por que a vencedora do certame foi a empresa A.A. de Araújo M.E. Uma microempresa venceu uma licitação de aproximadamente 3 milhões de reais na venda de um produto de uma multinacional. Por que isso?
Renato Rovai

Posted: 30 Jan 2013 02:46 AM PST


http://www.alagoas24horas.com.br/legba/bancoDeMidia/b/7/%7Bb7723dcb-224a-465f-8df9-9498dc848122%7D_neto.jpg 

Pode parecer banal, mas serve muito bem como exemplo da irresponsabilidade que cerca nosso jornalismo: Neto, o folclórico comentarista da Band, afirmou que o Santos estaria na fase final da contratação do polêmico ex-jogador Adriano. A direção santista desmentiu categoricamente. E daí? Daí, nada.
Esse é um problemão. Supostos jornalistas plantam notícias, espalham boatos que se mostram inverídicos, alimentam versões que servem a interesses obscuros, isso quando não propagam, de forma deliberada, mentiras e calúnias.
O exemplo do fanfarrão Neto pode parecer, à primeira vista, apenas engraçado ou até mesmo irrelevante. Tirando o pânico que se instalou na torcida do time de Vila Belmiro, nenhum grande mal resultou da bazófia do apresentador com português sofrível e sotaque forçadamente caipira.
Mas exatamente por sua insignificância, seria o caso de o comentarista se retratar, pedir desculpas, ao menos denunciar a fonte que supostamente o fez cometer esse equívoco. Mas não é preciso ter inteligência acima da média de um torcedor de futebol para ter plena certeza de que vai tudo ficar por isso mesmo. Mesmo que não custasse nada um mínimo de humildade e decência ao envolvido.
Pois se um "jornalista" e uma emissora de TV não se dão ao trabalho de assumir um vexame ridículo desses, imagina quando o erro for relevante para o País?
Jornais, revistas e programas jornalísticos soltam esses balões de ensaio, encampam teorias conspiratórias, denunciam crimes não comprovados, acusam sem direito a defesa, condenam à revelia da Justiça, fazem sensacionalismo sem nenhum pudor. E fica tudo por isso mesmo.
Seria o caso de instituirmos uma Tolerância Zero para erros jornalísticos. Assim como pregam os editoriais intolerantes com políticos, autoridades e bandidos profissionais, a sociedade deveria devolver na mesma moeda.
Ou jornalistas podem cometer seus pequenos e grandes desvios sem responder por isso? E não vale vir com a desculpinha esfarrapada de que seria censura. Estou falando de vergonha na cara e em ser uma pessoa ética e confiável. Só isso.
Sem não sabem nem pedir desculpas, então vamos ensiná-los. Ora, bolas.

Posted: 30 Jan 2013 02:44 AM PST

O perfil oficial da Rede Globo no Twitter se retratou após postar uma mensagem em que convidava os internautas a criarem uma “divertida” lápide interativa
globo twitter santa maria
Globo se desculpa por mensagem “infeliz” sobre ‘Pé na Cova’
A ação, que faz parte da promoção da série Pé na Cova, foi mal vista pelos internautas, que criticaram a falta da sensibilidade da emissora em razão da tragédia envolvendo a morte de pelo menos 232 pessoas no incêndio de uma boate em Santa Maria (RS), na madrugada deste domingo.
“Já brincou de criar sua lápide divertida?”, dizia a mensagem com o link do aplicativo que direcionava para o site do seriado. Rapidamente, dezenas de internautas replicaram o tuíte, criticando “insensibilidade” da emissora com a tragédia ocorrida em Santa Maria. “Hoje, Globo? Hoje”, indagou um dos internautas sobre o post. “Tem vergonha não? Dia triste, e você fazendo tuiotes de #PéNaCova”, reclamou @CarolGomide02
Após as críticas, o post foi deletado do perfil, e a Globo se retratou quanto à publicação: “Claro que o tuitede #PéNaCova foi uma infeliz casualidade, pela qual nos desculpamos. Estamos solidários com as famílias de Santa Maria/RS”, dizia a mensagem.